Nordeste precisa de ampliação do parque industrial, estrada para ligar Lomba da Fazenda à vila, habitação a custos controlados e mais emprego, alega o Presidente

O Presidente do município do Nordeste, António Miguel Soares, e os dois vereadores do Executivo camarário manifestaram aos deputados regionais as preocupações mais actuais e outras já antigas do concelho do Nordeste, algumas delas relacionadas com a condição geográfica do concelho, que até há poucos anos o penalizou ao nível do investimento externo e interno, assim como por alguma desertificação, sobretudo dos activos mais jovens, e pela prevalência de um concelho rural com um desenvolvimento mais lento e avesso ao crescimento da população. Em comunicado a autarquia dá conta dos pedidos feitos aos deputados na reunião.
A nota refere que entre as carências do concelho do Nordeste estão, conforme apontou o Presidente da autarquia, a ampliação do parque industrial, localizado na sede do concelho, para dar resposta aos empresários que têm mostrado vontade de alargar o negócio e a outros investidores que precisam desta infraestrutura para se montar. A referida ampliação poderá, também, servir para uma futura construção de um novo quartel para a Associação dos Bombeiros Voluntários do Nordeste, facultando-lhes uma infraestrutura mais moderna e direccionada aos desafios actuais e com isso melhores condições de trabalho. 
A seguir à criação de condições propícias ao crescimento das empresas, o Presidente da autarquia pediu à Assembleia Legislativa Regional que olhe para a necessidade de se construir uma via alternativa ao troço da estrada regional entre a Vila do Nordeste e a Lomba da Fazenda, uma vez que a via rápida (SCUT) não se estendeu à vila, como pretendido pelo concelho aquando da sua construção. 
O problema da actual via prende-se com as derrocadas que frequentemente no Inverno ali ocorrem colocando em perigo a vida das pessoas e causando danos materiais. A proposta da Câmara do Nordeste passa pela construção de uma ponte sobre a Ribeira do Guilherme que ligue os arruamentos já existentes de acesso ao Parque de Campismo da Feira, quer da Vila do Nordeste quer da Lomba da Fazenda.
Os últimos eixos comunitários têm outras orientações que não a rede viária, no entanto, esta via alternativa poderia ser aprovada através das verbas destinadas à Protecção Civil, uma vez que está em causa a segurança de pessoas e uma solução para permitir transitar também as viaturas de emergência, em caso de derrocadas na estrada regional, pelo que se apelou aos deputados da Comissão Política Geral que levassem este assunto e preocupação ao Governo Regional. 
Ainda para a actual via entre a Vila do Nordeste e a Lomba da Fazenda, a Câmara Municipal propôs, como medida complementar, a sustentação dos taludes de modo a evitar a queda de pedras e o deslizamento de terra de menor impacto mas que podem causar acidentes graves além de frequentemente interromperem a via. 
Relativamente aos Bombeiros Voluntários do Nordeste e respondendo a algumas questões levantadas pelos deputados em termos de Protecção Civil, o presidente da câmara referiu a necessidade de se renovar e aumentar o número de ambulâncias. O autarca acrescentou que o município se candidatou a uma viatura de todo o terreno para apoio ao Serviço Municipal de Protecção Civil, acrescentado que o Plano Municipal de Emergência já se encontra há muito tempo aprovado e que têm sido realizados os simulacros implicados.
O Nordeste precisa também de loteamentos para habitação a custos controlados, sobretudo na Vila do Nordeste e na Lomba da Fazenda, para famílias que podem recorrer ao crédito mas que estão condicionadas pela disponibilização de terrenos a custos comportáveis.
Para o Complexo de Piscinas Cobertas, que se encontra sem utilidade, no centro da Vila e com a consequente ameaça de degradação, o Presidente da Câmara do Nordeste relembrou que o concelho não possui piscinas cobertas, obrigando os nordestenses a fazer longas deslocações, sugerindo que o Governo Regional apoiasse a sua abertura, o que possibilitaria aos alunos da Escola Básica e Secundária do Nordeste contar com a modalidade de natação na disciplina de Educação Física, indo ao encontro do que foi feito noutras localidade ao equipar as próprias escolas com esta importante infraestrutura. 
António Miguel Soares referiu, ainda, que a sede do concelho necessita de um edifício multiusos onde se possam realizar eventos de cariz desportivo e cultural.
O desemprego como um problema do concelho do Nordeste foi outra questão deixada aos deputados regionais por António Miguel Soares, o qual tem sido colmatado pelos programas ocupacionais do Governo Regional, que ajudam muito perante as circunstâncias actuais mas que não resolvem o grande nível de desemprego que se verifica no concelho, disse o autarca. A ampliação do parque industrial, por exemplo, referiu, poderia vir a ser uma medida que ajudaria a criar emprego no concelho. 
Dos programas ocupacionais, o programa Prosa tem sofrido uma redução muito acentuada e com isso penalizado muitas pessoas inscritas no Centro de Emprego. No entanto, referiu o autarca, com o aproveitamento de outros programas a Câmara do Nordeste tem neste momento cerca de 150 pessoas ocupadas em diferentes valências. 
 O problema do desemprego, associado a outras debilidades do concelho do Nordeste, muito ligadas à condição de ultraperiferia e ruralidade, foram vistos como razões para que o concelho possa vir a usufruir das mesmas condições das “Ilhas de Coesão”, sendo uma reivindicação que já foi levantada no passado.
Quanto ao funcionamento dos serviços do município e ao quadro de pessoal, o autarca disse estar limitado pelo Reequilíbrio Financeiro na contratação de mais activos, estando a autarquia a funcionar actualmente com cerca de 60 funcionários, sendo que 40 estão afectos a serviços não administrativos. Trata-se de uma situação que tem preocupado o autarca em termos de funcionamento futuro do município, atendendo à média de idades ser avançada, sendo alguma falta de pessoal colmata com os programas ocupacionais. 
Questionado sobre candidaturas aprovadas a fundos comunitários, a Câmara Municipal do Nordeste apontou duas candidaturas, da empresa municipal Nordeste Activo, sendo uma para execução de uma adutora de abastecimento de água às populações e outra de saneamento básico, rondando as duas 1 milhão e 500 mil euros. 
Quanto a candidaturas da Câmara, está aprovada a “Racionalização Energética” e encontra-se em fase de análise para aprovação a candidatura para a “Administração Inteligente”.
Sobre os eixos comunitários, António Miguel Soares mostrou descontentamento pelas áreas contempladas uma vez que não vão ao encontro dos concelhos rurais e com capacidade financeira limitada que carecem de infraestruturas básicas, como é o caso da rede viária.
Do orçamento de 2020, cerca de 4 milhões e 400 mil euros destinam-se a despesas correntes e cerca de 1 milhão e 900 mil euros a despesas de capital. Para o autarca, o investimento poderia ser maior, uma vez que o município possui em tesouraria valor suficiente para proceder a mais candidaturas a fundos comunitários, no entanto, as áreas disponíveis pelos eixos comunitários não são as prioritárias para o concelho do Nordeste, conforme é divulgado no comunicado da autarquia nordestense.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima