Avaliação bancária dos apartamentos e moradias bate os máximos nos Açores em Dezembro

Em Dezembro, o valor médio de avaliação bancária realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1 321 euros por metro quadrado, mais 9 euros que no mês anterior. A nível regional, a maior subida, face ao mês anterior, registou-se nos Açores (2,3%). A única descida foi observada na Madeira (-1,2%). Em comparação com o período homólogo, o valor médio das avaliações cresceu 8,3%. A taxa de variação homóloga mais elevada para o conjunto das avaliações verificou-se no Algarve (10 %) e a menor foi registada na Madeira (5,4%).
O valor médio da avaliação bancária da habitação em 2019 nos Açores atingiu o máximo em Dezembro (1.150 euros o metro quadrado). Este valor é mais elevado do que o atingido no Alentejo (1.075 euros o metro quadrado); mas inferior à média nacional (1.321 euros o metro quadrado); e ao valor atingido na Madeira (1.413 euros o metro quadrado).

Apartamentos mais caros nos Açores do que 
na Madeira e que a média nacional

No mês de Dezembro, o valor médio de avaliação bancária de apartamentos foi 1 408 euros o metro quadrado , aumentando 9,7% relativamente ao mês homólogo de 2018. O valor mais elevado foi observado no Algarve (1 755 euros o metro quadrado) e o mais baixo no Centro (1 112 euros o metro quadrado). Comparativamente com Novembro, o valor para apartamentos subiu 0,4%, tendo os Açores apresentado a maior subida (3,6%) e a Madeira a menos acentuada (0,1%). Em termos homólogos, os Açores apresentaram o crescimento mais expressivo (13,8%) e a Madeira o mais baixo (6,6%). 
O valor médio da avaliação para apartamentos T2 subiu 12 euros, para 1 456 euros o metro quadrado, tendo os T3 subido 5 euros, para 1 312 euros o metro quadrado. No seu conjunto, estas tipologias representaram 83,2% das avaliações de apartamentos realizadas em Dezembro.
O preço médio da avaliação bancária dos apartamentos atingiu em 2019, nos Açores, o máximo em Dezembro (1.475 euros o metro quadrado). Este valor estava acima da média nacional (1.408 euros o metro quadrado), muito acima do valor atingido no Alentejo (1.113 euros o metro quadrado; e também na Zona Centro (1.112 euros o metro quadrado); e superior ao da Madeira (1.445 euros o metro quadrado).

Moradias: Maior aumento nos Açores

O valor médio da avaliação bancária das moradias foi de 1 172 euros o metro quadrado em Dezembro, o que representa uma subida de 4,7% em relação mesmo mês do ano anterior. Os valores mais elevados observaram-se no Algarve (1 696 euros o metro quadrado) e na Área Metropolitana de Lisboa (1 644 euros o metro quadrado), tendo o Centro registado o valor mais baixo (1 009 euros o metro quadrado). Comparativamente com Novembro, os Açores apresentaram o maior aumento (2%), enquanto a Madeira registou a única descida (-2,9%). Em termos homólogos, os Açores apresentaram o maior crescimento (9,5%) e o menor ocorreu na Madeira (3,6%). 
Comparando com o mês anterior, os valores nacionais dos T3 e T4, tipologias responsáveis por 48,3% das avaliações, atingiram os 1 095 euros o metro quadrado e 1 171 euros o metro quadrado (menos 5 euros e mais 24 euros, respectivamente). Já as moradias T5 ou superior, com 37,4% das avaliações de moradias em Dezembro, subiram 6 euros, para 1 268 euros o metro quadrado.
Também a avaliação bancária das moradias atingiu o ano passado, nos Açores, o máximo em Dezembro (1.105 euros o metro quadrado), mesmo assim, abaixo da média nacional (1.172 euros o metro quadrado); mas acima do valor médio no Alentejo (1.010 euros o metro quadrado). Na Madeira, o valor médio de avaliação bancária das moradias foi de 1.372 euros o metro quadrado, acima do valor atingido nos Açores.
 O valor médio de avaliação bancária no país para o ano 2019 fixou-se em 1 286 euros o metro quadrado, o que se traduziu num acréscimo de 7,9% relativamente ao ano anterior. Observou-se um crescimento do valor de avaliação em todas as regiões portuguesas, tendo as regiões Algarve e Norte apresentado as variações de maior intensidade (10,9% e 8,7%, respectivamente). 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima