Vila Galé investe 10 milhões de euros em novo hotel em Ponta Delgada que pretende ser “uma referência na hotelaria nacional”

É o resultado da parceria ontem firmada entre a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada e o Grupo Vila Galé, responsável actualmente por 34 hotéis em funcionamento dentro e fora de Portugal. O novo hotel vai surgir junto ao Campo de São Francisco, onde funciona o edifício sede da Santa Casa da Misericórdia, e vai ter cem quartos, juntamente com restaurante, bar, spa e piscinas. Dentro de 60 a 90 dias o Grupo espera ter já o projecto pronto para ser apresentado na Câmara Municipal de Ponta Delgada, para poder depois avançar com as obras, que irão aproveitar as áreas existentes, principalmente na envolvente do claustro, com optimização de alguns espaços. 
Será um investimento de 10 milhões de euros que deverá estar concluído no final de 2021 e que, de acordo com o Presidente do Conselho de Administração do Grupo, Jorge Rebelo de Almeida, vai “valorizar muito” não só a cidade, mas toda a ilha, o arquipélago e o país. “É uma peça que será de referência na hotelaria nacional”, refere Jorge Rebelo de Almeida que destaca o edifício “lindíssimo, histórico e importante para desenvolver um hotel”. 
Não é a primeira vez que o Vila Galé estreita parcerias com as Misericórdias e Jorge Rebelo de Almeida lembra a reconversão do Hospital de São Marcos, em Braga, no Hotel Vila Galé Braga. 

Inovar é reabilitar

A aposta na reabilitação de edifícios pelo Grupo é encarada como uma mais-valia, garante o administrador Gonçalo Rebelo de Almeida, que destaca que a experiência dos turistas sai fortalecida com o lado histórico dos edifícios. “Num mundo em que cada vez mais as empresas têm dificuldades em encontrar inovação e diferenciação, quando conseguimos pegar num edifício único temos vantagem competitiva. E isso tem valor do ponto de vista turístico”, explica.
O Grupo já há cerca de 12 anos que tentava entrar no mercado açoriano onde, das sete Regiões turísticas de Portugal, ainda não tinha conseguido estabelecer-se. “E até estamos contentes porque encontrámos aqui um edifício que preenche os nossos principais requisitos que têm sido muito na prática de reabilitar património histórico”, afirmou Gonçalo Rebelo de Almeida. 
O administrador do Grupo avança que há algum tempo “andávamos a observar este crescimento aparentemente sustentado dos Açores e fazia todo o sentido estar aqui e estávamos a ser assediados pelos parceiros que trabalham connosco a termos uma presença nos Açores”. Até porque considera que o crescimento turístico no arquipélago ainda está “numa fase de progressão e achamos que faz sentido poder acrescentar valor, porque há potencial de crescimento no turismo dos Açores”, que tem vindo a apostar num turismo de natureza que tem vindo a ser cada vez mais valorizado pelos clientes que escolhem os hotéis do Grupo. Desta forma, Gonçalo Rebelo de Almeida não descarta a possibilidade de surgirem novos investimentos nos Açores.

Trazer novos turistas

Sendo o arquipélago “complementar” à oferta do restante território, o Grupo acredita que vai conseguir trazer “novos fluxos de turistas” aos Açores, nomeadamente de mercados onde tem parcerias de negócio e onde a marca “já é conhecida”. Com canais de distribuição e redes comerciais dispersas, o Grupo Vila Galé consegue abranger mais de um milhão de turistas nos seus 34 hotéis actualmente em funcionamento e que se preparam para ser 37, com a abertura este ano de duas novas unidades em Portugal e outra no Brasil. “Todos os anos há novos clientes, temos uma base de dados significativa e que trabalhamos e que responde muito bem às novas unidades que lançamos”, explica Gonçalo Rebelo de Almeida que acrescenta que o Grupo tem um núcleo de 3 a 4 mil pessoas, maioritariamente portugueses, que nos primeiros meses depois de abrir uma nova unidade hoteleira vão conhecer os novos espaços.
Por tudo isso, Gonçalo Rebelo de Almeida acredita que este novo hotel Vila Galé em Ponta Delgada é “um projecto emblemático e reconhecido” que será positivo para a cidade e para a Região. 

Mais-valias para a Santa Casa

Na apresentação desta parceria o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, explicou que o processo de construção e exploração de um hotel na sede da instituição remonta há cerca de um ano e meio, quando foi lançado um concurso de ideias para reordenação das valências sociais que funcionam no edifício. José Francisco Silva lembrou que o objectivo do concurso de ideias era também preencher com novas actividades alguns espaços que não estavam a ser usados, tendo em vista alguma rentabilidade para garantir a sustentabilidade da instituição. 
A ideia de implementar um hotel naquele edifício, onde já funcionou o antigo hospital de Ponta Delgada, “sempre foi acarinhada” e daí até as duas partes chegarem a acordo foi um passo que ontem se formalizou. 
José Francisco Silva admite que com este acordo a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada retira mais-valias importantes, satisfazendo “o interesse de ambas as partes”. 
Depois, além das mais-valias financeiras de uma renda que será paga pelo espaço, a Santa Casa “preserva e mantém o seu património”, que passa agora a estar afecto a uma actividade económica importante na Região. “Porque falamos de criação de emprego e de uma alteração nesta zona da cidade”, refere José Francisco Silva ao acrescentar que a Santa Casa também vai beneficiar ao nível da execução de uma sede administrativa, que será deslocalizada para outro local. 
“O projecto integra-se num outro, de desenvolvimento de novas actividades sociais, de construção de um lar de idosos, centro de dia, para além da recuperação e remodelação que está praticamente em curso da unidade de cuidados continuados, e do que já temos, como o restaurante”, afirmou José Francisco Silva que acrescentou que neste projecto também está prevista a construção de apartamentos preferencialmente para arrendamento a idosos, “com uma condição pessoal e de vida razoável e que gostam de viver na malha urbana e na proximidade dos serviços de saúde e de apoio social”. 
Mais-valias que no seu conjunto criarão benefícios para as actividades de apoio social da Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada e, acredita o Provedor, para o próprio Hotel Vila Galé. 

Vasco Cordeiro reconhece que investimento da Vila Galé comprova capacidade de atracção da Região

O Presidente do Governo Regional dos Açores entende que o projecto de construção de um hotel em Ponta Delgada, por parte do Grupo Vila Galé comprova a capacidade de atracção dos Açores para investimentos no sector turístico. “É com gosto que tomámos conhecimento e acolhemos esta iniciativa por aquilo que ela significa de comprovar a capacidade de atracção que a Região continua a ter em termos de investimento, desde logo, no sector turístico”, afirmou Vasco Cordeiro que reuniu ontem com o Conselho de Administração do Grupo Vila Galé. 
Uma capacidade de atracção comprovada por vários indicadores, referiu Vasco Cordeiro dando como exemplo do número de dormidas na hotelaria tradicional que, entre Janeiro e Novembro de 2019, cresceu 5,1 por cento, mais do dobro do verificado a nível nacional.
“Para além disso, no conjunto de todas as tipologias de alojamento, estamos a falar de um crescimento de cerca de 17 por cento” na Região, referiu o Presidente do Governo Regional que acrescentou que o turismo é também um dos sectores onde se registam sinais claros de uma forte dinâmica de investimento, com “várias centenas de projectos em análise em todas as ilhas”.
Este investimento previsto para uma parte do antigo hospital de Ponta Delgada, através de uma parceria entre o Grupo Vila Galé e a Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada, vai permitir “recuperar um edifício icónico” da cidade, com benefícios também para a zona circundante, que passará a ter um hotel com a marca Vila Galé. 
“Em relação a este projecto, como em relação a todos os outros, estamos inteiramente motivados e interessados em, o mais rapidamente possível, o analisar e dar a respectiva resposta, como, aliás, a dinâmica deste sector bem comprova que assim tem acontecido”, concluiu o Presidente do Governo Regional.
 

Print
Autor: Carla Dias

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima