Incentivos do Proenergia aumentaram 111% em três anos

A Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo revelou ontem, em Ponta Delgada, que se verificou, desde 2016, um aumento de 111% no valor dos incentivos à produção de energia a partir de fontes renováveis, no âmbito do Proenergia.
“Se recuarmos ao início desta legislatura, assistimos a um aumento de 322 candidaturas, em 2016, para 586, em 2019, representando um crescimento de 82%, o que corresponde a cerca de 1,2 milhões de euros de apoio direct-o do Governo dos Açores”, frisou Marta Guerreiro.
A titular da pasta da Energia falava na apresentação dos resultados do programa em 2019, ano que registou “um aumento de 34% do valor dos incentivos face a 2018, correspondendo a um total de apoios de cerca de 437 mil euros, que representa um investimento de 1,6 milhões de euros por parte dos promotores”.
“Estes dados comprovam a importância do programa e a consequente maior procura dos Açorianos por opções mais sustentáveis”, sublinhou.
Marta Guerreiro referiu ainda que, no que diz respeito ao número de equipamentos, “em 2019 foram apoiados 662, mais 18% que em 2018 (561 unidades) e mais 106% que em 2016 (322 unidades), ou seja, durante a presente legislatura, o Governo dos Açores incentivou cerca de 1.900 equipamentos”.
“Dos equipamentos apoiados no ano transato, 69% correspondem a bombas de calor, seguidos dos recuperadores de calor, com 24%, coletores solares, com 4%, e sistemas solares fotovoltaicos, com 3% de representatividade”, especificou.
Quanto ao tipo de promotor, a Secretária Regional referiu que “o maior destaque, ao longo dos últimos anos, têm sido os particulares, seguindo-se as empresas, tendo no último ano surgido um forte incremento de adesão das IPSS ao programa, considerando as suas atuais caraterísticas, mais atrativas”.
“Estes são dados que nos mostram que estamos no caminho certo e que os Açorianos estão connosco: mais informados e mais alerta para a produção de energia limpa, tanto térmica como elétrica, e para a preservação do ambiente com redução das emissões de gases com efeito estufa”, salientou.
Na ocasião, Marta Guerreiro lembrou que, no ano passado, foi aprovada na Assembleia Legislativa “uma profunda alteração deste programa, tornando-o mais abrangente e possibilitando que os Açorianos assumam um papel ainda mais ativo e determinante no que diz respeito à transição para redes inteligentes, tendo os resultados de 2019 espelhado esta aposta”.
“Desde o início da legislatura, o Proenergia mostrou ser um sistema de incentivos fundamental para fazer cumprir um dos objetivos do Programa do Governo: o de promover a eficiência energética na Região, potenciando o uso eficiente de energia produzida a partir de fontes renováveis e, mais do que isso, integrando-as na rede”, reforçou.
O Proenergia dirige-se a pessoas singulares ou condomínios, pequenas e médias empresas (incluindo empresários em nome individual), cooperativas, IPSS e associações sem fins lucrativos, com o objetivo de maximizar a adoção de fontes de energia limpa, em detrimento do recurso a combustíveis fósseis, bem como a sua produção a nível local.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima