XIII Jornadas no Teatro Ribeiragrandense

CASA reflecte problemas e desafios da infância com profissionais de Saúde e Educação em jornadas

A décima-terceira edição das Jornadas da Infância, formação promovida pelo Centro de Apoio Social e Acolhimento – C.A.S.A., Bernardo Manuel da Silveira Estrela, encheu por completo o Teatro Ribeiragrandense, num debate e partilha da temática «CRESCER: Olhos que vêem, braços que confortam – alertas na primeira Infância».
Partindo da vontade dos próprios Colaboradores daquela Instituição, as Jornadas da Infância assumem-se, segundo Lurdes Alfinete, Presidente da Direcção da Instituição, «como um momento de referência na formação de Profissionais da Educação; como um espaço de construção de caminhos de parentalidade; e uma oportunidade de desmistificação de problemáticas e de anseios com que, diariamente, a Educação Activa presenteia os seus intervenientes».
A edição deste ano contou com as intervenções do neuropediatra e autor Nuno Lobo Antunes, que abordou temas na área das perturbações do desenvolvimento da Criança e do papel do Profissional de Educação no suporte à Família; e com as reconhecidas Professoras universitárias e autoras Suzana Nunes Caldeira e Célia Barreto Carvalho, que, junto com os psicólogos Carolina Pereira e Marco Teixeira, permitiram a reflexão sobre questões como a do desenvolvimento de competências parentais junto de Crianças com perturbações do desenvolvimento e dos contextos educativos no desenvolvimento socioemocional.
Segundo registos do Secretariado da organização (CASA), este painel de excelência trouxe ao Teatro Ribeiragrandense profissionais de Educação de toda a ilha de São Miguel, Colaboradores de outras IPSS, Pais e Encarregados de Educação, assim como profissionais de Saúde.
Radiante com o alcance desta iniciativa do CASA, Lurdes Alfinete reforçou que «poder trabalhar numa Instituição que procura, graças aos seus excelentes colaboradores, refletir ela própria sobre a sua dinâmica educativa é um privilégio; da mesma forma que é um privilégio contribuir para atenuar a falta que ainda há em torno das respostas a estes novos paradigmas da Educação (particularmente, da Inclusiva) para, juntos, termos uma Educação Activa, Significativa e Emocionalmente Adequada a cada Jovem e Criança» 
A Vice-presidente da Câmara da Ribeira Grande, Tânia Fonseca na abertura das das jornadas disse que as mesmas “permitem que nos debrucemos sobre as perturbações no desenvolvimento das crianças, tema que causa incertezas, dúvidas e angústias na comunidade, educadores e pais.” 
Tânia Fonseca, considerou ser um “orgulho trabalhar com o CASA – Bernardo Manuel Silveira Estrela como parceiro social, na medida em que é uma instituição que tem vindo a adaptar-se e a crescer na criação de respostas na medida exacta daquilo que a comunidade em que está inserido precisa.”
Tânia Fonseca apontou que a autarquia “vê nas instituições de solidariedade social parceiros imprescindíveis no apoio às respostas às dificuldades que nos chegam diariamente no domínio da educação”, elogiando, em particular, a ação do CASA.
“O CASA é uma instituição que não se contenta e sai da zona de conforto a que tantas outras instituições se entregam. Vai sempre mais além e aposta em iniciativas que complementam e conferem qualidade ao trabalho diário que desenvolve na comunidade”, registou.
O CASA promove este espaço de formação há 13 anos e, da partilha e reflexão decorrentes do mesmo, tem também adaptado perspectivas educativas e formas de se aprender, visando um desiderato último: “ser uma CASA de Todos e um espaço de Felicidade!”
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima