Procissão do Senhor dos Terceiros na Ribeira Grande realiza-se amanhã

No cumprimento do seu compromisso, a Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande promoverá, no próximo Domingo, a tradicional festa em honra do Senhor Santo Cristo dos Terceiros, procissão que sairá da Igreja do antigo convento dos Frades, na cidade da Ribeira Grande, hoje Museu Vivo do Franciscanismo.
Este ano, voltarão a incorporar um grupo de encapuzados, recriação histórica de um ritual processional que terminou nos finais do século XIX, que correspondia à prática de «tomar a disciplina» pelos Irmãos Terceiros, da qual fazia parte o açoitamento e a autoflagelação em público, bem como o uso de crânios humanos, coroas de espinhos e cruzes utilizadas, como também adereços cénicos durante a procissão, passam a ser um costume comum neste tipo de manifestação pública, durante os séculos XVII e XVIII, condizente com o seu carácter de movimento penitente.
Com efeito, no primeiro domingo da quaresma realiza-se a primeira procissão de cariz penitencial, celebração trazida para estas ilhas pelos franciscanos e que a Secular Ordem Terceira promovia por todos os Açores e que cumpre à Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande continuar a preservar esta procissão quaresmal, pois constitui um importante legado de um Património Cultural Imaterial que valoriza a cidade da Ribeira Grande e mesmo os Açores.  
Assim, no próximo Domingo, haverá uma solene celebração litúrgica, pelas 15 horas, presidida pelo Cónego Adriano Borges, reitor do Santuário de Nossa Senhora da esperança, saindo de seguida a procissão pelas 16 horas, em que a Imagem do Senhor Santo Cristo dos Terceiros é o principal dos 10 andores, todos eles evocando a história de São Francisco de Assis e dos santos pertencentes à Ordem Terceira.
Participam nesta venerável procissão os movimentos paroquiais da Ouvidoria da Ribeira Grande, mormente representações dos ranchos de romeiros, bombeiros voluntários, escuteiros e filarmónicas da cidade.
O Provedor da Santa Casa da Misericórdia, Nelson Correia, apela para que as pessoas do Concelho e da ilha continuem participar naquele ato penitencial, esperando, tal como nos anos anteriores o Senhor Santo Cristo dos Terceiros possa levar àquela cidade muitos forasteiros, recordando que foi na Igreja dos Frades que Madre Teresa da Anunciada, ainda criança, começou o seu desvelado entusiasmo de venerar a a paixão de Cristo, junto da Imagem do Senhor Santo Cristo dos Terceiros. O Museu Vivo do Franciscanismo tem a missão de prosseguir acções de carácter cultural e educativo, pelo que neste sentido, a incorporação dos ‘encapuzados’ no cortejo processional de Os Terceiros oferecem um olhar sobre o legado histórico e museológico, material e imaterial, que foi transmitido pelos nossos antepassados e que a nós compete preservar, valorizar, conservar e divulgar. Como se sabe, a procissão do Senhor Santo Cristo dos Terceiros ou Cristo da Coluna é a primeira procissão quaresmal, saindo da igreja de Nossa Senhora do Guadalupe, propriedade da Santa Casa da Misericórdia da Ribeira Grande.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima