Central de gelo do porto de Rabo de Peixe foi inaugurada e não trabalha

 A nova central de fabrico e armazenamento de gelo no porto de pescas de Rabo de Peixe, inaugurada no dia 14 de Fevereiro último, ainda não funcionou e as 20 toneladas de gelo que se encontram no seu interior vão ser tiradas à mão, soube o ‘Correio dos Açores’.
A central, um investimento à volta de 400 mil euros, “ainda não estava nas devidas condições” no dia em que foi inaugurada e, desde então, nunca trabalhou.
O facto é que, segundo apurou o ‘Correio dos Açores’ em Rabo de Peixe, a lota local está a receber gelo transportado em camiões da ‘Lotaçor’ a partir, nomeadamente, do Entreposto Frigorífico de Ponta Delgada. 
A obra, adjudicada pela Lotaçor pelo valor de 352.720 euros acrescido de IVA à taxa legal em vigor, e constou do fornecimento e montagem de uma central de produção e distribuição de gelo em escama e respectivo silo de armazenagem, bem como dos trabalhos de construção civil necessários à montagem, alimentação de electricidade e água.
O equipamento é constituído por dois circuitos frigoríficos independentes com a capacidade nominal de 5 mil quilos por dia, totalizando uma capacidade de produção diária de 10 mil quilos e 20 mil quilos de armazenagem. 
A  pesagem do gelo, quando a central estiver a trabalhar, será feita por um sistema automático que alimenta duas mangas de fornecimento, uma em terra e outra directamente para as embarcações no mar, junto ao cais. 
A montagem do equipamento foi feita no interior de um pavilhão construído em alvenaria de blocos de betão, suportado por estruturas de betão e ferro com cintas de travamento, sendo a cobertura constituída por uma laje aligeirada em pré-esforço. 
A empresa adjudicatária da obra providenciou uma acção de formação profissional e técnica a 2 operadores para utilização, operacionalidade e manutenção do equipamento.
A central pretende “colmatar uma lacuna existente naquele que é o segundo maior porto de pescas da Região, substituindo um equipamento que já tinha mais de trinta anos de funcionamento e bons serviços prestados, mas que se encontrava já em fim de vida útil”.
Portanto, o porto de pescas de Rabo de Peixe, bem como todos os armadores, pescadores e compradores que o utilizam, ainda não dispõem de gelo fabricado em cima do cais.
O gelo para “a boa conservação do pescado descarregado, o que sem dúvida contribuirá para um aumento do preço médio e dos rendimentos do seu trabalho”, continua a der transportado do Entreposto Frigorífico de Ponta Delgada.
Na manhã do dia 14 dedicada à pesca em Rabo de Peixe, o presidente do Governo dos Açores comprometeu-se a avançar com a construção de um pavilhão no Porto de Rabo de Peixe, em São Miguel, um investimento destinado a garantir melhores condições de trabalho na preparação das artes de pesca.
Na prática, o pavilhão vai assegurar aos pescadores melhores condições de trabalho, uma vez que a preparação das artes de pesca, actualmente feita ao ar livre, deixará de estar dependente das condições climatéricas, evitando-se também atrasos na saída para o mar das embarcações de pesca.
Vasco Cordeiro teve também oportunidade de entregar cerca de 50 diplomas a pescadores da vila que frequentaram cursos para as categorias de Mestrança, Arrais de Pesca Local e Arrais de Pesca, assim como de GMDSS – Sistema Global de Socorro e Segurança Marítima. Realçou, então, a importância da formação profissional nas pescas. J.P.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima