4 de março de 2020

Cidadania

Por detrás do PIB

Por detrás do PIB dos Açores (Produto Interno Bruto) há muito que se diga, mormente na igualdade de oportunidades, na educação e na saúde. Apesar da máquina de propaganda socialista ser poderosa e omnipresente, tentando a todo o custo esconder esta realidade.
Por detrás do PIB verifica-se que os Açores é a região do país com mais pobres e de longe a que apresenta as maiores desigualdades em termos de rendimentos.
O valor dos rendimentos dos 20% mais ricos é nos Açores 7,3 vezes mais que o valor dos rendimentos dos 20% mais pobres, comparado com o valor nacional de 5,2. 
É a região do país que apresenta o maior fosso entre ricos e pobres.
 Na União Europeia a 28 países, atrás dos Açores está apenas a Bulgária. A média é de 5,17. 
Depois de quase 24 anos de poder socialista, os Açores têm ainda 77.225 pessoas em risco de pobreza ou exclusão social, uma taxa de 31,8%, de longe a mais alta do país, que é de 17,2%. 
Os Açores têm 31.813 pessoas em privação material severa. São 13,1% da população, mais do dobro da taxa nacional, que é de 5,6%.
Por detrás do PIB há 11.333 açorianos que desesperam por uma cirurgia nos três hospitais da região. 
O tempo médio de espera é (pasme-se!) de 466 dias. Ou seja 5 em cada 100 açorianos, saudáveis e doentes, precisam de uma cirurgia e não a têm. 
Em S. Miguel a situação ainda é pior: 8.042 utentes a aguardar e o tempo de espera é de 511 dias. 
Por detrás do PIB verifica-se uma taxa de retenção e desistência no ensino básico de 8,7%, comparada com 5,1% da taxa nacional. O mesmo indicador ainda é pior em S. Miguel, 9,6%. No concelho da Povoação este indicador é de 19,7% o pior de toda a Região. 
Por detrás do PIB esconde-se a taxa de transição/conclusão no ensino secundário de 79,7%. A média nacional é de 86,1%. De novo em S. Miguel ainda é pior: 77,8%. A Lagoa é o pior concelho com uma taxa de apenas 66,1%, a pior dos 19 concelhos dos Açores.
Valores já de 2019 indicam uma taxa de abandono precoce de educação e formação de 27%, enquanto que a média nacional é de 10,6%. É a pior região do país.
Por detrás do PIB esconde-se uma taxa de escolarização no ensino superior de 8,8%, menos de um quarto da taxa nacional de 36,4%. Os diplomados do ensino superior por 1000 habitantes nos Açores são 16,3. A média de Portugal é de 73,5. 
O PIB, que o governo socialista tem sempre na ponta da língua,porque sobe umas míseras décimas, esconde uma situação socioeconómica dramática, apesar dos milhões e milhões de fundos vindos do exterior,que não se traduziram em igualdade de oportunidades. Preocupante para milhares de açorianos!
 

Luís Anselmo

Print
Autor: CA

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima