Presidente da Assembleia desafia os jovens açorianos na busca de respostas combativas ao flagelo da violência doméstica e no namoro

A Violência Doméstica e no Namoro: da Sensibilização à Acção! esteve em debate durante dois dias na 25.ª edição do Parlamento dos Jovens do Ensino Básico, que se realizou na sede da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na Horta, de recebeu este ano participações de todas as ilhas dos Açores.
De acordo com informação disponibilizada pela parlamento açoriano, o projecto base apresentado pela Escola Secundária Vitorino Nemésio foi o eleito pela maioria dos jovens representantes das Escolas dos Açores. Posteriormente decorreu o debate em sede de Comissão, onde os Jovens Deputados tiveram a oportunidade de apresentar várias propostas de alteração ao projeto-base que, depois de votado, resultou no documento final que será apresentado pelo círculo dos Açores na Sessão Nacional, a decorrer na Assembleia da República, nos próximos dias 4 e 5 de Maio.
A Escola Secundária Vitorino Nemésio, a Escola Secundária Jerónimo Emiliano de Andrade, a Escola Secundária Domingos Rebelo e a Escola B1, 2, 3/S Mouzinho da Silveira foram eleitas para representar o Círculo dos Açores na Sessão Nacional. Gonçalo Matos, da Escola Secundária Vitorino Nemésio, foi o aluno eleito porta-voz da delegação regional.
Quanto ao tema proposto para a edição do Parlamento dos Jovens do próximo ano, o mais votado, segundo a assembleia regional dos Açores, foi o Sistema Educativo Português apresentado pela Escola Secundário Vitorino Nemésio.
Paralelamente decorreu ainda a sessão do concurso Euroscola, este ano subordinada ao tema ‘Valores Europeus – também são os teus’, tendo como vencedoras as alunas Carolina Porto e Eva Rodrigues, do Colégio do Castanheiro, em Ponta Delgada.
As duas jovens vão representar os Açores na Sessão Nacional, em Maio, com a possibilidade de poderem vir a representar a Região na Sessão Europeia, no Parlamento Europeu.
A Presidente da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores apelou aos jovens açorianos para que sejam os agentes mobilizadores de uma azção profícua contra o desrespeito pelo outro, nomeadamente, nos casos de violência doméstica.
Depois de saudar os jovens presentes na sessão, e segundo nota publicada no site da Assembleia, Ana Luís reforçou a importância do tema escolhido que “exige, da nossa parte, uma grande responsabilidade e consciência” porque “ é, sem dúvida, uma realidade premente da nossa sociedade e muito preocupante.”
A  Presidente da Assembleia Legislativa apontou, como exemplo, os números “assustadores” de casos de violência doméstica em Portugal, desde 2016 e até aos dias de hoje. “Se é verdade que no contexto da violência doméstica, esta é exercida, na sua maioria, pelos homens contra as mulheres, na violência no namoro, apesar da maior percentagem de vítimas serem raparigas, as agressões, sejam elas físicas ou verbais, são praticadas por ambos os géneros”, realçou a  Presidente do Parlamento junto dos jovens deputados açorianos.
Ana Luís sublinhou que “existe um grande trabalho de sensibilização, mas os números revelam de que ainda temos um longo caminho a percorrer”, alertando os jovens para a “perceção” dos vários tipos de violência, que não apenas a física, como “uma violação dos Direitos Humanos”, que não deve ser tolerada de forma alguma. Para isso, salientou Ana Luís, “temos que, em conjunto, continuar a trabalhar para uma alteração efetiva de comportamentos que favoreçam uma mudança cultural e social para então alcançarmos uma sociedade mais justa, baseada no respeito pelos direitos humanos”, seja através de ações de sensibilização, de formação às famílias, de alargamento da rede de apoio social, de ajuda às instituições que apoiam diretamente as vítimas, entre tantas outras ações. Daí a importância de “termos a consciência que a mudança começa em cada um de nós, com a nossa capacidade de respeitar o outro, com as suas diferenças e com as suas características próprias”, realçou a Presidente do Parlamento Açoriano. Antes de terminar, Ana Luís destacou a importância do envolvimento dos jovens nestas temáticas e também no processo democrático, na qualidade de futuros agentes da mudança, que começa, primeiramente, “em nós e no respeito pelo outro”.
Por seu turno, o Director Regional da Juventude destacou na sessão parlamentar que os jovens Açorianos “querem participar nas decisões políticas”, considerando que o Parlamento dos Jovens “é a prova disso”.
“É um orgulho chegarmos à 25.ª edição desta iniciativa e ver aquilo que se passa dentro das nossas escolas com os alunos, bem como a forma como o Parlamento dos Jovens, e outras atividades extracurriculares, são organizadas pelos professores”, salientou o Diretor Regional.
Relativamente ao tema em discussão  Lúcio Rodrigues sublinhou que este é “um flagelo que nos deve preocupar a todos”, mas realçou também “a preocupação dos jovens com o tema, uma vez que foram eles que elegeram debatê-lo no Parlamento dos Jovens”.
“Quando a restante sociedade aponta o dedo aos jovens, quando apontam os números alarmantes dos estudos relacionados com a violência doméstica e no namoro, parece-me importante frisar que foram os próprios jovens que escolheram abordar este tema e discutir possíveis soluções a implementar”, afirmou Lúcio Rodrigues, citado numa nota do GaCS.

N.C.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima