Diocese de Angra disponibiliza Clínica do Bom Jesus para o apoio ao Serviço Regional de Saúde

A Diocese de Angra acaba de disponibilizar a Clínica do Bom Jesus, em Ponta Delgada, para o apoio complementar ao Serviço Regional de Saúde, informa um comunicado enviado ao sítio da Igreja Açores pela Vigararia- Geral.
“Dada a situação difícil por que passam os serviços de saúde na Região, a diocese de Angra disponibiliza a Clínica do Bom Jesus para o apoio complementar ao Serviço Regional de Saúde, dentro das suas capacidades, bem como outras instalações em regime de alojamento, para os profissionais de saúde em exercício que desejem ou delas tenham necessidade. A sua disponibilidade e ocupação será coordenada pela Vigararia-geral, dentro das possibilidades em cada vigararia territorial, durante o período da crise”, diz o comunicado.
O vigário geral, cónego Hélder Fonseca Mendes, que assina o documento apela à manutenção do clima de “serenidade e responsabilidade, que cada um cuide de respeitar integralmente as orientações das autoridades de saúde”.
“Prestamos a nossa solidariedade e oração por todos os doentes já declarados para que em breve trecho obtenham a graça da cura e acompanhamos na fé e na esperança a situação de todos os que  estão em expectativa dos resultados médicos ou que se venham a encontrar nesta situação”, refere ainda o comunicado.
O Vigário-geral, que tem assinado todos os comunicados com as orientações da Diocese para este tempo de contingência em que Portugal de encontra, relembra algumas das directrizes que foram sendo comunicadas sobre a suspensão de celebrações comunitárias desde missas a funerais.“ Como os funerais se revestem de uma especial sensibilidade para as famílias e comunidades, solicitamos que se respeitem as normas emitidas pela autoridade de saúde e reafirmadas pela Diocese. Que se limite ao mínimo de tempo, a uma breve oração de sufrágio e com um número limitado de pessoas”, avança ainda o comunicado.
O cónego Hélder Fonseca Mendes recorda, ainda, que diante da impossibilidade da recolha da renúncia quaresmal no tempo adequado, ela será feita na primeira celebração comunitária que se realizar após este período. Recorde-se que a renúncia quaresmal na Diocese de Angra reverte a favor das obras de recuperação da Igreja do Capelo, na ilha do Faial, parcialmente destruída por um incêndio no princípio do ano.
Na Diocese de Angra as celebrações comunitárias estão suspensas desde Segunda-feira.
 

Padres açorianos unidos às comunidades locais através das novas tecnologias

 Três dias depois de terem sido suspensas as celebrações comunitárias na Diocese de Angra, são inúmeros os contributos que os sacerdotes insulares dão às suas comunidades, ajudando-as a refletir sobre a Palavra de Deus em casa e em família.
As novas tecnologias têm sido utilizadas de forma, mais ou menos criativa, para orientar os açorianos na oração e na escuta e reflexão sobre a Palavra de Deus.
Além da oferta diária que o Vaticano faz através do Vatican News todas as manhãs, a partir das 10h00 (hora dos Açores) ou o Santuário de Fátima, à mesma hora, com a missa (neste mesmo espaço pode acompanhar mais uma missa às 18h15 e dois momentos de terço, ás 17h30 e 20h30, hora dos Açores), os sacerdotes açorianos estão a disponibilizar nas suas redes sociais reflexões e meditações sobre a palavra de Deus, meditação do rosário, momentos de música e adoração.
O padre José Claudio, em Rabo de Peixe, na paróquia do Bom Jesus, todos os dias promove momentos de oração e cânticos que podem ser  acompanhados em directo.
Também o padre Marco Luciano, das paróquias do Santíssimo Salvador, na Horta e Flamengos, disponibiliza vários momentos, inclusive a eucaristia que pode ser seguida através da página do facebook.
Na ilha Terceira, o Santuário da Serreta, disponibiliza reflexões sobre a Palavra de Deus, tal como os padres Nemésio Medeiros (Matriz de São Sebastião, Ponta Delgada), Nuno Maiato (Santa Cruz da Lagoa, ilha de São Miguel) e José Júlio Rocha (Porto Martins e Fonte Bastardo, ilha Terceira).
Nos Açores estão, as celebrações litúrgicas comunitárias como missas, procissões, lausperenes e outros actos de culto público foram suspensos na passada Segunda-feira, dia 16 de Março, até pelo menos dia 3 de Abril, altura em que está prevista uma reavaliação da situação pela Cúria.
Ficaram, também, “sem efeito” as celebrações do sacramento da confirmação ou crisma que estava a decorrer na ilha de São Jorge, bem como a visita pastoral ordinária do Bispo diocesano àquela ilha.
Foram ainda canceladas as celebrações comunitárias ou privadas do sacramento da penitência ou da reconciliação, “a não ser por pedido explícito e necessário do penitente e salvaguardadas as devidas distâncias do confessor” e são suspensas as visitas dos párocos e ministros extraordinários da comunhão aos doentes, quer domiciliárias e a lares, refere ainda o comunicado.
Ficaram, igualmente, adiadas as celebrações comunitárias dos sacramentos do batismo e do matrimónio, ou “em caso de necessidade absoluta” que serão restritas apenas aos familiares diretos sem a participação de convidados.
Relativamente aos funerais, a diocese determina que  devem evitar-se os velórios com muita gente, devendo apenas estar presentes os familiares mais diretos do defunto. Ficam também suspensas as missas exequiais ou de corpo presente, de 7º. 30º. dia e de aniversário, até indicações em contrário.
“Esperamos fazer a avaliação desta situação até ao dia 3 de abril, de tal maneira que possamos celebrar a Semana Santa e a Páscoa comunitariamente, se as condições de saúde pública assim o permitirem” avança o Vigário-geral que, no entanto, alerta para a possibilidade do rito do lava-pés em 5ª. feira-santa, bem como a adoração da cruz em 6ª. feira-santa poder ser feito mas por uma genuflexão ou inclinação e não por osculação. Não é aconselhável a procissão da Ressureição aos enfermos, diz ainda o comunicado.
“Aconselhamos os sacerdotes diocesanos a celebrarem a Eucaristia ao domingo e em dias de semana, ainda que de um modo particular, sem celebração comunitária. Aos demais fiéis, pede-se que acompanhem a celebração da Eucaristia dominical pelos meios de comunicação social ou pela internet, devendo estes manter as transmissões caso tal seja possível. Intensifique-se a vida de oração em casa, biblicamente alimentada, a escuta da criação e da natureza, a atenção familiar, o jejum dos excessos e a esmola de cuidar dos mais frágeis, como é próprio deste tempo da Quaresma ” refere o comunicado.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima