Grupo de trabalho vai elaborar plano estratégico para potenciar pastagens

O  grupo de trabalho para o Plano de Desenvolvimento das Pastagens e Forragens Sustentáveis nos Açores, criado pelo Executivo açoriano, é coordenado por Fernando Barbosa, do serviço de Desenvolvimento Agrário de São Miguel, foi ontem anunciado.
Fazem ainda parte do grupo de trabalho Cristina Silva, do Serviço de Desenvolvimento Agrário, da Terceira; José Viana, da direcção regional da Agricultura; Adriano Mota, do Laboratório Regional de Sanidade Vegetal; Nuno Dias, da Associação Agrícola de São Miguel; Tiago Costa, da Associação de Jovens Agricultores Terceirenses; Rui Calouro, da empresa Formageries Bel e Anabela Gomes, da Universidade dos Açores.
Segundo a resolução do Governo dos Açores que cria este grupo de trabalho, o sector agro-pecuário, em particular a produção de leite, “assume um papel determinante na economia e no desenvolvimento da Região, contribuindo de forma decisiva para a criação de emprego, integração e bem-estar das populações nos meios rurais”. 
Os recursos naturais abundantes, o clima ameno e os solos férteis dotam os Açores de “condições excelentes para a produção de pastagem, conferindo assim à Região condições excepcionais para a produção de leite e de carne, cujas potencialidades e características possibilitam uma diferenciação pela qualidade e pela sustentabilidade ambiental”.

Criar vantagens competitivas

A resolução considera que a globalização “aumentou a competitividade e que se regista uma crescente exigência por parte dos consumidores quanto à origem e quanto à forma das produções”, aspectos em que os Açores “têm vantagens que importa valorizar”.
Releva “o grande peso que a alimentação animal tem no rendimento dos agricultores, nomeadamente nos sectores do leite e da carne”. 
Destaca “a importância de apostar na melhoria da qualidade das pastagens e forragens de forma sustentável, com vista à optimização dos sistemas de produção pecuários da Região, à eficiência e a sustentabilidade das explorações”.
 O grupo de rabalho tem por missão elaborar, no espaço de 180 dias, um plano estratégico que reúna, de uma forma integrada, os objectivos, políticas e acções a implementar com vista à sustentabilidade das pastagens e forragens nos Açores.
Os membros do grupo de trabalho podem fazer-se acompanhar por técnicos das entidades que representam, com competência na matéria.
Enquanto durar a situação epidemiológica provocada pelo Coronavirus SARS-CoV-2 agente causador da doença COVID-19, as reuniões do grupo de trabalho serão realizadas por videoconferência, ou outro meio digital, desde que haja condições técnicas para o efeito. 
O apoio técnico, administrativo e logístico necessário ao funcionamento do grupo é assegurado pela Secretaria Regional da Agricultura e Florestas. 
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima