No espaço de 3 meses foram administradas menos 2.788 vacinas nos Açores

 Entre os meses de Fevereiro e Abril deste ano, foram administradas nos centros de saúde da Região um total de 11 mil 938 vacinas, menos 2 mil 788 vacinas  do que em igual período de  2019, em que foram administradas 14 mil 726 vacinas.
Contudo, e tendo esta informação em conta, a Secretária Regional da Saúde adianta que pelo facto de as “vacinas salvarem vidas”, quer pais quer filhos devem “cumprir escrupulosamente o esquema vacinal”, independentemente de vivermos tempos de pandemia que têm vindo a afastar as pessoas quer dos atendimentos de urgência, quer dos centros de saúde.
Assim, e uma vez que “a vacinação constitui um dos maiores avanços da ciência”, permitindo ainda erradicar doenças em Portugal e no mundo como a poliomielite, o sarampo e a rubéola, Teresa Luciano recomenda que a população não hesite em “contactar o centro de saúde e que façam o agendamento das vacinas”, uma vez que “os profissionais dos centros de saúde estão preparados para garantir a segurança e a protecção de todos os utentes”.
No que às crianças diz respeito, a Secretária Regional afirma que “não vacinar uma criança é retroceder em matéria de saúde pública, pondo em risco a imunidade de grupo e propiciando o ressurgimento de doenças”, como é o caso do sarampo, e como recentemente se veio a discutir na comunicação social.
Por esse motivo, no contexto actual, adianta que ao existir “incumprimento do esquema de vacinação, as pessoas são contactadas via telefone pelo centro de saúde, lembrando que a vacina está em atraso e disponibilizando o respectivo agendamento”, garante.
                                                                                         

J.M.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima