Visitas a lares de idosos dos Açores sem data anunciada pela Autoridade Regional de Saúde

 A Autoridade Regional de Saúde ainda não definiu qualquer data para as visitas de familiares aos idosos em estruturas residenciais das Santas Casas da Misericórdia, às Unidades de Cuidados Continuados e às Casas de Saúde isto quando, a nível nacional, já foi anunciado o início das visitas na próxima Segunda-feira. 
Ao longo da conferência de imprensa de ontem de ponto da situação epidemiológica da Covid-19 nos Açores, foi transversal no discurso de Tiago Lopes um apelo à “calma”, à “ponderação”, deixando a convicção de que a “pressa” é má conselheira. Voltou a deixar claro que, de facto, o levantamento das medidas restritivas e cautelares tem vindo a ser feito, está a ser feito e vai continuar a ser feito a ritmos diferentes pela Direcção Geral de Saúde no que se refere ao território continental e pela Autoridade Regional de Saúde no que se refere à Região.
Foi uma conferência de imprensa que ficou também marcada pela preocupação da Autoridade Regional de Saúde nas medidas que tem adoptado e na descompressão destas em sintonia com o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, com quem a Região tem uma relação histórica de cooperação. “Temos tido esta maior proximidade e este maior contacto com o instituto Ricardo Jorge, temos trocados várias impressões com ele. Temos mesmo encaminhado amostras biológicas para o Instituto para testar e fazermos a devida investigação de modo a que se produza mais conhecimento sobre o novo coronavírus. E estamos também a trabalhar com o Instituto Ricardo Jorge naquilo que são os próximos passos no âmbito do combate a esta pandemia e para o período pós-pandemia”, disse.

Visitas a lares de idosos:
Açores “mais zelosos”
 
Quando questionado sobre se a Região iria seguir a decisão da Direcção Geral de Saúde de proporcionar no território continental as visitas aos lares de idosos, a resposta de Tiago Lopes foi cautelosa mas não deixou dúvidas. Deixou mesmo claro que, apesar da situação nos Açores “ser ,neste momento, mais favorável do que aquela que se verifica no continente,  (…) nós temos sido mais cautelosos e mais zelosos, sem qualquer tipo de crítica àquilo que tem sido as opções tomadas ao nível do território continental”. 
“Estamos a avaliar esta situação. Para já, não posso dizer que iremos tomar uma decisão esta semana ou no início da próxima semana. Poderá sê-lo mas, para já, estamos ainda a proceder aos rastreios às estruturas residenciais para idosos, às Unidades de Cuidados Continuados da Região e, dependendo dos resultados que vamos obtendo e da evolução epidemiológica na Região, podemos, a qualquer momento, tomar esta decisão, em conjunto com outros responsáveis do Governo Regional”.
“Esta é uma situação que estamos a acompanhar e, pese embora que a Direcção Geral de Saúde tenha tomado esta decisão, não é por a ter tomado que iremos, de certa forma, fazer igual só por isto mesmo. Iremos avaliar a situação na Região e, depois, ponderadamente e com a devida análise, tomaremos esta decisão”, afirmou Tiago Lopes.
Um dos jornalistas insistiu, em determinada altura, questionando sobre se o rastreio aos lares estaria quase concluído, e a Autoridade Regional de Saúde, clarificou um pouco mais a sua posição: “Não deveremos ter pressa”, disse Tiago Lopes, “para que levantemos algumas das medidas mais restritivas e de contenção que foram adoptadas por via daquilo que foi feito, ou pensado ou implementado, nomeadamente a nível do território continental.” 
“Devemos manter o nosso plano com a devida calma, com a devida parcimónia e lá chegaremos a seu tempo a esta nova normalidade de abrir espaço para que os utentes e as suas famílias possam reencontrar-se com as devidas condições de segurança para que não exista nenhuma situação que possa colocar em risco os utentes, funcionários ou visitantes”, disse.
Chegou a pedir desculpa mas, reforçou, a decisão de visitas aos idosos nos lares deve ser tomada “sem qualquer tipo de pressa. Compreendo que da parte das famílias e dos utentes exista esta necessidade de contactar com as suas famílias, de os reencontrar e de os ver. Até porque todos nós temos familiares. Mas, com a devida calma, para assegurarmos que temos todas as condições para este regresso à normalidade”. 

Abertura das creches
nem tão cedo…

Mas, se o apelo a um maior cuidado na visita aos lares de idosos é ainda pacífico nos Açores pelo receio do que aconteceu no Lar de Idosos do Nordeste, o ‘travão’ colocado pela Autoridade Regional de Saúde na abertura de creches, jardins-de-infância, ATL’s e outras estruturas ocupacionais para crianças já está a gerar ondas de descontentamento pela necessidade que os pais têm em ver estas estruturas em funcionamento.
A questão surgiu, em sequência, ao anúncio pela Câmara Municipal da Praia da Vitória de que creches, jardins -de-infância e  ATL’s não abrirão no concelho antes do dia 15 de Junho.  E, a propósito, há um recado nas palavras de Tiago Lopes: “este é um assunto que, curiosamente, ainda o abordei com a Secretária da Solidariedade, no sentido de trabalharmos de forma articulada relativamente a esta matéria e que tem de ser analisada em conjunto pelos restantes membros do Governo antes mesmo daquilo que possa ser a ideia, a opinião e o entendimento dos diferentes municípios. Isso tem de ser pensado em conjunto e de forma articulada atendendo à situação epidemiológica em cada uma das ilhas, em cada um dos concelhos e em cada uma das freguesias. E, portanto, sobre isso, a seu tempo, haveremos de comunicar essa reabertura se houver lugar a isto mesmo. Mas, a seu tempo, com a devida ponderação e com a devida análise, relativamente a esta matéria. Pese embora os municípios possam ter o seu entendimento e a sua avaliação dentro daquilo que é o seu conhecimento da evolução do surto a nível concelhio. Mas, muito em breve, vamos dar novas informações sobre a reabertura de creches, jardins-de-infância e ATLs e outros centros de actividades ocupacionais”.
Outra das questões abordadas por Tiago Lopes no encontro com os jornalistas foi a do incómodo das grávidas do Pico que têm os filhos no Faial. A Autoridade Regional de Saúde deixou claro que até têm uma situação de privilégio. E, a propósito, anunciou para breve novas medidas. “Muito em breve iremos ter alterações naquilo que diz respeito às quarentenas e às deslocações inter-ilhas…”
Pediu, em sequência, “a compreensão de todos para que dêem tempo para que tudo se ajuste e voltemos progressivamente a uma nova normalidade”. (…)
“Temos vindo a trabalhar com a devida calma atendendo á situação epidemiológica que temos, neste momento no país, que nos permite ter esta ponderação. E, portanto, sem timing definido porque nos importa sobretudo é termos a segurança de que a resposta que está a ser dada é a melhor para a população”.
No quadro da testagem que está a ser feito referiu que, nos próximos dias os números vão subir, porque as equipas estão a fazer testes a professores e alunos nas escolas que vão começar as aulas na Segunda-feira.
Os números anunciados pela Autoridade Regional de Saúde evidenciam uma diminuição progressiva no número de casos activos da Covid-19 na Região.
                                                         

J.P.
 
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima