Reitor do Santuário pede que se reze

“Há uma profunda tristeza por não haver a festa do Senhor Santo Cristo”

Hoje era o dia maior das festas em honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Estas festividades seriam presididas pelo Diretor da Biblioteca e Arquivos do Vaticano, Cardeal D. José Tolentino Mendonça, que estará na ilha no próximo ano.
Nesta manhã de Domingo a população citadina saia a rua para fazer os grandiosos tapetes de flores e outros com aparas e farelo tingidos a várias cores para receber o Senhor à tarde na tradicional procissão que percorria as principais artérias da maior cidade açoriana. Nela se incorporavam o clero, a classe política e estudantil e as forças vivas das várias comunidades da ilha, ao som de mais de uma dezena de filarmónicas e da associação de bombeiros. A tudo isso se juntava os milhares de promessas que incorporavam o cortejo processional. Esta imagem pertence a um passado recente na esperança que no próximo ano se retome a tradição e que  todos possamos juntarmo-nos, pois era sinal de que esta pandemia estava controlada e/ou erradicada. Mas se houver condições antes disso, No entanto, quer o Reitor quer o bispo de Angra já manifestaram disponibilidade para, ainda este ano, permitirem uma saída extraordinária da imagem pelas principais artérias de Ponta Delgada, ou haver apenas uma saída da Imagem em procissão de Mudança ao redor do Campo de São Francisco com uma Missa de Acção de Graças.
 Contudo, num cenário ainda de contingência, o Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres tem assinalado a data simbolicamente e hoje une as comunidades açoriana e da diáspora espalhadas pelo mundo com a Missa, às 09h30 (hora dos Açores), através das redes sociais em senhorsantocristo.com e em directo na RTP, no canal 1 e, RTP Internacional, com a transmissão em directo da Igreja do Senhor Santo Cristo dos Milagres. Como sempre, o Reitor do Santuário, Cónego Adriano Borges, lembra que “o ponto mais alto das festas é sempre a Eucaristia. 
Este ano será uma Eucaristia mais intima, nas nossas casas junto com os nossos, e rezando sempre muito ao Senhor Santo Cristo para que a todos ajude e abençoe”.
O Reitor do Santuário, Cónego Adriano Borges, assume que o cancelamento das festividades devido à Covid-19 causa “uma profunda tristeza”, garantindo que nestes tempos difíceis tem recebido muitos emails, telefonemas e cartas em menor número – [o transporte de correio está a levar mais tempo devido à diminuição do número de voos]. 
O que consta em quase todas as missivas, segundo o Reitor,  “é a tristeza de não ver as festas”, mas o que se verifica também “é que há a compreensão de todos por não haver festa e da impossibilidade de se fazer a procissão. Todas as cartas estão neste sentido, acompanhadas de um pedido de acção de graças, normalmente de gente que todos os anos costuma vir às festas do Senhor Santo Cristo”. 
Para todos, o Cónego Adriano Borges  diz que a mensagem tem de ser “de esperança e de confiança”.  E é nesta confiança e esperança que a comunidade pretende continuar a viver, e a vivenciar os grandes momentos de emoção, de promessa e de agradecimento pelas graças recebidas. 
Arraiais, concertos e arrematações também faziam parte das festas e este é o desejo da comunidade, conforme o Correio dos Açores tem tido oportunidade de ouvir junto da população.                  
 

Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima