23 de maio de 2020

Postal de Gaia: “O meu cartão de parabéns”

Está em festa o prestigioso Clube União Micaelense – baluarte do desporto açoriano – pela passagem do seu aniversário. 109 de profícua actividade em prol do desporto.
A HISTÓRIA ESPELHA E RETRATA, fases da humanidade e a atividade dos homens em diversas épocas. A prática do DESPORTO, fez sempre, parte da maneira de viver e de estar do homem.
NAS LONGÍNQUAS DÉCADAS de 10, 20 e 30 do século passado, foram os Clubes, verdadeiros sustentáculos e utensílios bases, de uma actividade desportiva ao serviço da comunidade. Os Clubes Desportivos, nesta Região, tiveram a sua história, fizeram história, cumpriram e cumprem a sua missão.
OS VELHOS CLUBES, como relíquias do DESPORTO que tivemos, vão aos seus primórdios, descobrir factos, nomes, capítulos notáveis escritos pela determinação e pelo amor, dos homens comuns.
O CLUBE UNIÃO MICAELENSE, velha e prestigiosa agremiação desportiva, baluarte do desporto açoriano, uma das “pedras vivas” do desporto micaelense, que surgiu nos princípios do século XX, mais precisamente no dia 7 de Maio de 1911 (acabou, por isso, de festejar 109 anos de existência) e ainda hoje, em plena e fecunda actividade – Deus queira por muitos mais anos – Clube por onde passaram, dezenas e dezenas de figuras marcantes da prática desportiva, do dirigismo e da sociedade micaelense, teve, durante e sua longa e meritória história, momentos de glória e situações de fracasso, como todas as colectividades que se dedicam durante longo tempo à actividade desportiva. São décadas, a fomentar e a contribuir, para que o DESPORTO esteja ao serviço da juventude e da comunidade em geral.
QUANDO NAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO XX, se ponha em causa os benefícios da prática da educação física e os programas escolares passavam ao lado de uma correta utilização e de uma válida integração da disciplina da ginástica, épocas usualmente integradas num período de asfixia, um “medo permanente”, concreto mas, também difuso. Do obscurantismo insidioso e contínuo. A falta de ar. A falta de perspectivas, de possibilidades e de alternativas, eram situações, comuns e normais.
HAVIA, PORÉM, EXCEPÇÕES. Existiam figuras de “vistas largas”, admitindo horizontes diferentes. E foi o CLUBE UNIÃO MICAELENSE, o pioneiro a nível de Clubes, na implantação de Educação Física em Ponta Delgada, sob a batuta de um dos mais  esclarecidos e ilustres dirigentes desportivos da época, o saudoso Dr. Raul Benevides, organizando um curso de Educação Física para os seus associados. Estiveram inscritos no curso perto de 140 crianças, orientadas por 9 instructores.
O CLUBE UNIÃO MICAELENSE criou as suas raízes, construiu o embrião do actual, em 7 de Maio de 1911, na sua primitiva sede no Campo de São Francisco – Praça 5 de Outubro – numa casa localizada no sitio onde mais tarde foram instaladas, as Escolas Primárias de São José, as conhecidas “Escolas do Campo”
CLUBE QUE GOZAVA DE GRANDE SIMPATIA nas classes média-alta, como club recreactivo e cultural, promovendo saraus músico-literários e sessões dançantes
MAIS TARDE foram elaborados e organizados os estatutos do Clube que foram aprovados pelo Governo Civil em 10/12/1919. Neste período (1911/1919) de dúvidas e dificuldades, muita “pedra foi partida”, muitos obstáculos ultrapassados de forma a manter e a cimentar uma base de um clube com história. Nos seus sócios iniciais que alicerçaram e contribuíram para cimentar a base de um clube com história no desporto micaelense e açoriano constam os nomes de Agostinho Raposo de Paiva, Alfredo Ferin Jr. António Carlos Mendonça, António de Lima Carvalho, António Mendonça Machado, Ernesto Soares de Freitas, Manuel Raposo de Medeiros, Olivério Horta Serpa e Teófilo da Costa Benevides entre outros.
PARA QUE SE CONCRETIZASSE a fundação da então Associação de Foot-Ball de São Miguel e para que pudesse participar como sócio fundador daquele organismo, foram enviados como seus delegados, os senhores António de Medeiros Frazão Jr.Dr.José Jacinto Pereira da Camara, José da Costa Maiato e Dr. Pedro Cymbron Borges de Sousa. Em 14 de Maio de 1924, era Presidente da Direcção o senhor Horácio Teves, tendo como colegas os senhores, Ricardo Mont’Alverne de Sequeira, Aires Mariano da Silva, Tenente Miguel de Almeida Jr., Cláudio de Sousa Pereira e António Augusto de Teves.
NESTA REUNIÃO foram admitidos como sócios-jogadores, João Revoredo Botelho, José Júlio Teixeira, Hipólito Atayde Correia, Manuel Pavão de Medeiros, Ernesto Machado Macedo, Jorge Moura, Mariano de Sousa Lima entre outros.
E, ASSIM, O CLUBE UNIÃO MICAELENSE que se enraizou em 1911, e se oficializou em 10/12/1919, é hoje um baluarte do Desporto Açoriano, festejando, com galhardia o seu 109 aniversário com muita pujança e pleno vigor na defesa dos seus pergaminhos.
Na pessoa do seu ilustre Presidente, Dr. Manuel Arruda quero felicitar toda a Direcção transmitindo aqui e agora, os mais sinceros votos de muitos parabéns e desejo de longa vida em defesa e na defesa do Desporto Açoriano.

Gaia/Vila do Paraíso, 
7 de Maio de 2020
 

Print
Autor: CA

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima