Governo responde positivamente às reivindicações da lavoura açoriana e anuncia aumento de 45 euros ao prémio por vaca leiteira

O Presidente do Governo visitou ontem a fábrica de rações da Cooperativa União Agrícola, onde anunciou que o Executivo açoriano está a trabalhar na atribuição de um complemento regional ao prémio à vaca leiteira, no montante de 45 euros, uma “medida importante” de reforço do rendimento dos produtores de leite da Região.
 “Nós estamos a analisar a forma como podemos reforçar o prémio à vaca leiteira em 45 euros, colocando-o no patamar dos 190 euros nas ilhas de São Miguel e Terceira e de 235 euros nas restantes ilhas, uma medida que, nesta fase extraordinária provocada pela pandemia de Covid-19, constitui um contributo importante para o rendimento dos produtores”, afirmou Vasco Cordeiro.
Numa manhã dedicada ao sector primário, o Presidente do Governo salientou que, apesar da situação provocada pela pandemia nos últimos meses, o sector agrícola manteve-se sempre em actividade na Região, um período que também coincidiu com a decisão das indústrias de baixar o preço do leite à produção.
“Perante essa conjuntura, estamos a construir uma solução para, efectivamente, termos condições de continuar a desenvolver esse trabalho de futuro”, assegurou Vasco Cordeiro.
Em declarações aos jornalistas, o Presidente do Governo adiantou, por outro lado, que a visita à fábrica da Associação Agrícola de São Miguel pretendeu ser uma forma de “reconhecer o trabalho de todos aqueles que, durante este período de maiores restrições, nunca deixaram de trabalhar e foram um elo essencial” na cadeia de abastecimento alimentar.
“Esta visita insere-se também no acompanhamento desta fase de retoma que já se iniciou e que agora ganhará maior intensidade na Região”, salientou Vasco Cordeiro, que, na próxima semana, vai desenvolver um conjunto de contactos com representantes do turismo, da saúde, do comércio e indústria, das obras públicas e das centrais sindicais.
“Nós temos um grande desafio que esta situação de pandemia nos colocou de forma repentina, o desafio de nos adaptarmos, nas actividades económicas e diárias, a uma nova realidade. Esta fábrica já se está a adaptar, como, por todos os Açores, há muitas outras empresas que já o estão a fazer”, sublinhou o Presidente do Governo. 

     Federação Agrícola satisfeita com soluções
Para o Presidente da Federação Agrícola dos Açores, Jorge Rita, a visita do chefe do Executivo açoriano à fábrica de rações Santana, “revela por um lado, o reconhecimento da importância do sector, e por outro lado, mostrou empenho e interesse na resolução dos problemas da agricultura açoriana, tendo constituído, neste período de pandemia provocado pela Covid-19, um incentivo e um estímulo a todos os agricultores que trabalham diariamente em prole da economia regional”.
Jorge Rita entende que “esta visita demonstrou que este sector económico, nunca parou nem bloqueou, durante os estados de calamidade e de emergência decretados devido à pandemia da Covid-19, uma vez que os agricultores tiveram sempre de desenvolver a sua actividade de modo a alimentar a população, mostrando o papel insubstituível que assumem na sociedade e na coesão socioeconómica da Região. Desta forma, a fábrica de rações Santana, embora tenha elaborado o seu plano de contingência, de acordo com as normas decretadas pela autoridade regional de saúde, nunca deixou de laborar durante este período crítico, já que a sua produção, é essencial no funcionamento das explorações agropecuárias”. 
O dirigente dos agricultores açorianos refere que “a Federação Agrícola dos Açores não pode esquecer os serviços prestados aos agricultores pelas empresas ou pelas cooperativas distribuídas por todas as ilhas, na vertente comercial e industrial, que desenvolveram dentro das condicionantes existentes, a sua atividade e também, as agroindústrias pelo fornecimento de produtos nos diferentes canais de abastecimento alimentar, embora algumas ligadas à fileira do leite, não protejam devidamente os seus produtores, quando baixam o preço de litro de leite praticado. 
O anúncio da implementação de uma ajuda regional de 45 euros por vaca leiteira aos produtores de leite dos Açores, segundo Jorge Rita, vai  “ao encontro às reivindicações que têm sido feitas pela Federação Agrícola dos Açores, que se veio juntar à aprovação por unanimidade ocorrida, do decreto Legislativo Regional do regime jurídico da cessação da atividade agrícola, proposto pelo Governo dos Açores, no plenário da Assembleia Legislativa Regional”.
“As soluções apresentadas são fundamentais para a viabilidade das explorações nos Açores, no entanto e devido à situação problemática que o sector do leite, da carne, hortofrutifloricola e da vinha atravessam, são necessárias outras medidas adicionais, de carácter regional, nacional e europeu que possam satisfazer as necessidades da Agricultura dos Açores”, remata Jorge Rita em comunicado.      

N.C/GaCS

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima