24 de maio de 2020

Maria Corisca

Recados com amor...

Meus Queridos! Não sou mulher de me meter em política, mas como sou uma eleitora que cumpre sempre com o seu dever de cidadã esclarecida, não levo à paciência o que todos os dias vou vendo e ouvindo nas televisões… que se transformaram em canais oficiais  do regime… pois não têm mais nada para informar senão as visitas do Presidente Marcelo a tudo quanto é canto, umas vezes sozinho e outras acompanhado pelo Primeiro António Costa e até pelo sorumbático Presidente da Assembleia da República… e outras vezes em que a visita é a duas mãos… Presidente e Primeiro Ministro, com máscara ou sem máscara… É o que já alguns alcunham de grande centrão…  na orla dos partidos. O meu querido Presidente Marcelo já faz campanha para a sua reeleição sem gastar um cêntimo, enquanto o Primeiro-Ministro António Costa de braço dado com Marcelo… vai segurando o Governo sem geringonça e sem necessidade de partilhar o poder com outros… bastando-lhe a COVID-19, que se tornou numa abençoada bengala de apoio aos dois poderes do Estado…. Presidente da República e Primeiro-ministro… adulados pelas televisões que à falta de melhor estão a desgastar sem se aperceberem … as duas principais figuras do país… Mas como dizia a minha comadre Maria da Praia, albarda-se o burro à vontade do dono!...

 


Meus queridos! No final de cada ano há sempre a nomeação das palavras mais pronunciadas e mais procuradas ao longo do ano. A minha prima Maria da Praia, diz que tem um palpite que se a nível internacional a mais procurada será “covid” e “corona”, por cá ela aposta que ganharão as palavras confinamento e desconfinamento, pois é quase só disso que se fala nos últimos tempos… E juro que foi disso que me lembrei no dia em que estava a escrever estes meus recadinhos… porque finalmente na ilha de São Miguel embora muito timidamente… começaram a abrir alguns serviços e algum comércio, queixando-se alguns comerciantes de que estavam a vender pouco… Pudera! Há muita gente que viu a vida andar para trás e que agora sem saberem onde vão parar as modas, não podem abrir cordões a bolsas quase vazias. Mas por outro lado gostei de ver os nossos políticos cá do burgo darem um ar da sua graça em dia de desconfinamento. O meu querido Bolieiro andou às compras na baixa de Ponta Delgada, enquanto o meu querido presidente Vasco preferiu ir ao peixe na lota e à lavoura em Santana, por sinal dois sectores que não tiveram confinamento já que nem a lota fechou e na Associação Agrícola só fechou o restaurante… Mas quanto às escolhas… quem sou eu para as desvendar… isso é coisa que não me meto, pois o meu rico Presidente lá terá as suas razões e que a razão desconhece, …como costumava dizer o meu falecido Professor Gilberto que ensinava história e interrogava os alunos deitando sortes com umas bolas numeradas e que depois o número sorteado seria respondido pelo aluno que se sentava na carteira correspondente aquele número… coisa que não agradava muito… e por isso o Dr. Gilberto ficou conhecido entre os alunos como o ”saca das bolas” …


Ricos! Este ano não desci daqui da minha Rua Gonçalo Bezerra com o meu vestido azul bandeira para as festas do Senhor Santo Cristo que foram suspensas. Foram suspensas mas não foram esquecidas e foram muitas as promessas cumpridas, lentamente e em silêncio. Foram muitas as orações, simbolizadas em centenas de ramos de flores e velas que fizeram do adro do Senhor o jardim que não teve lá dentro. Em perfeita ordem lá foram fazendo as suas homenagens, os Bombeiros, os taxistas e outros. Disse-me a prima da Rua do Poço que lá foi fazer a sua oração que até ficou comovida com o meu querido Padre Pedro Maria que ali esteve tempo sem fim, sentado na soleira da porta do torreão do Convento em profunda meditação. Quando as coisas estão no coração, o povo é capaz de fazer festa até quando festa não há.


Meus queridos! E já que estou a falar das festas do Senhor Santo Cristo, mando um ternurento beijinho a quantos prepararam e participaram na Missa cantada por um excelente coro durante a qual foi interpretado o magnífico “Ecce Homo” composto por Ana Paula Andrade e que o Conservatório tem cantado à passagem da Imagem pela rua Ernesto do Canto. Um momento de excelência. Sobre a homilia do meu querido Reitor, Cónego Adriano Borges, só vou dizer aqui que quando um padre no altar se atreve a comentar alguma coisa da política, sabe com o que pode contar. No caso concreto, os mesmos que na semana antes andaram a aplaudir o padre Mário Rui, de São Nicolau, no centro de Lisboa, por se ter atirado ao que a “geringonça” fez com o primeiro de Maio, são os mesmos que o condenam. E os que condenaram o Padre de São Nicolau, agora desfizeram-se em defesa do Reitor. Portanto, rico, este “dar a Deus o que é de Deus e a César o que é de César”, tem muito que se lhe diga, conforme as conveniências…


Ricos! Quando se começa a retomar uma certa normalidade de vida e depois de se pensar que muitos comportamentos iam ser alterados, principalmente no respeito ao ambiente, parece que, como diz a minha prima Jardelina, “acabaram-se as cercas, soltaram-se as bestas”. É que ela mora para os lados dos Poços de São Vicente, e mesmo com a zona toda limpa e arranjadinha e com recipientes de lixo bem à vista, bastou um dia, ou uma noite para deixarem o chão numa verdadeira estrumeira de papéis e recipientes de comida dos “compra e leva”. Uma coisa de meter nojo. Enquanto no mundo o vírus fez com que a poluição retrocedesse ao nível de há 15 anos, porque muitos, como bem escreveu o charmoso director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, “deixaram de fazer do avião a sua casa”, há sempre alguém que não aprende que o lixo é para o lixo. Mas é com isto que temos de viver para mal dos nossos pecados…


Ricos! E já agora falando de coisas lixosas,… se houve profissão que não beneficiou da Lay off os trabalhadores da recolha e tratamento de lixo foram uma delas. Graças ao seu denodo, enquanto milhares estiveram em teletrabalho muito bem resguardados, aqueles tiveram sempre na primeira linha como estiveram e estão os profissionais de saúde. O que não consigo perceber é a razão pela qual se deixou de cortar e tratar as bermas e taludes das estradas de São Miguel, que estão num autentico mato… Não sei se foram todos parar ao Lay off… mas apesar do tráfego ter diminuído e disso ter certamente reflexo na receita da entidade gestora da PPP, agora o trabalho vai ser a dobrar e espero que não leve muito tempo a limpar o que é preciso limpar… pois lá por não haver turistas à vista, não se pode castigar os residentes!  


Ricos! Quem gosta de comunicar, nunca lhe perde o gosto e mesmo com os confinamentos todos arranja sempre maneira de “matar o vício”. O meu querido Carlos Melo Bento, advogado, escritor e historiador, não deixa os seus créditos por mãos alheias e, nas redes sociais, tem deliciado muitos dos seus amigos, com magníficas lições de história, essencialmente dedicadas à genealogia açoriana, mas numa linguagem simples e despida de academismos e complicações, a modos de todas perceberem. A minha sobrinha-neta que gosta muito de história, principalmente quando fala das nossas origens e dos nossos reis e dos nossos fidalgos e nobres, sem complexos nem manias de reescrever o passado, diz que não perde pitada das “conversas” de Melo Bento e vai vendo lá na net que são muitas mesmo as pessoas que seguem os ditos programas… Um ternurento beijinho para o presidente da Fundação Sousa Oliveira.


Meus queridos! Desde há muito tempo prometi a mim mesma que não ia falar de política aqui nos meus recadinhos, porque sempre achei muito esquisito e de mau tom andar a aproveitar o drama de tanta gente e de tantas empresas para tirar dividendos políticos. Mas esta semana fiquei pior que estragada quando ouvi o Ministro das Infraestruturas que eu nem sabia que existia dizer que foi uma posição muito “firme” ter mantido a TAP a voar para os Açores mesmo contra o que pretendia o Governo regional. Não sei, nem quero saber se o dito isolamento era bom, era demais ou podia ser diferente, que isso de opiniões é como a água benta… cada um toma a que quer. Mas uma coisa que me revolta é a “firmeza” que o dito senhor Ministro alardeia e que mostra que há muita gente lá para os lados do rectângulo que vai passar a vida sem perceber o que é ser autónomo e vai tentar ser sempre o papá “firme” a dizer ao filho rebelde que “quem manda aqui sou eu”. Perante tudo o que tenho visto é caso para dizer ao ex- Secretário de Estado e agora Ministro e a quem manda nele que é muito fácil ser “firme” perante os fracos e tremer perante os fortes. É o que se tem visto!


Meus queridos! A última que me contaram é prova provada que há cada vez mais gente a tentar enganar o vizinho do lado. E com os avanços da net ainda pior. A minha prima Teresinha recebeu um mail, supostamente dos CTT a dizer que estavam a entregar telemóveis de uma conhecida marca japonesa a clientes apurados aleatoriamente e que receberia o dito cujo pelo correio com uma encomenda que lhe tinham mandado dos States e que bastaria pagar 20 euros por multibanco para receber a encomenda mais depressa. A minha prima ligou aos Correios e a simpática menina que a atendeu disse que era burla e que não era a primeira pessoa a ser enganada. Ora vejam lá se os CTT que nem tem pilim para manter abertas as suas lojas de proximidade, iam agora oferecer telemóveis aos clientes… É obra…. Lá isso é!

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima