Projecto para Ponta Delgada passa “pelas pessoas primeiro” e trabalhar pelo desenvolvimento das freguesias do concelho, diz Maria José Duarte

A nova Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Maria José Duarte, assumiu que vai continuar a linha que foi traçada pelos seus antecessores, José Manuel Bolieiro e Humberto Melo, no que concerne às orientações para a melhorias das condições de quem vive no centro, na periferia e nas freguesias. E este seguimento no entender da autarca faz todo o sentido porque a equipa de trabalho é na sua maioria a mesma que foi eleita nas últimas eleições [dois novos vereadores] e porque à época “aceitámos fazer  parte de uma equipa para ajudarmos a concretizar um projeto de quatro anos a favor do nosso concelho.
Os eleitores de Ponta Delgada sufragaram este projecto e confiaram nesta equipa para um mandato que termina em 2021”, disse em entrevista.
A autarca lembra que “este ano as circunstâncias mudaram, mas o projeto mantém-se e continuará a ser cumprido, agora com uma equipa renovada. 
A equipa está renovada nos exactos termos que a lei prevê para estas situações. Tem toda a conformidade legal”, fez questão de sublinhar Maria José Duarte, justificando que a sua escolha para vice-presidente recaiu sobre Pedro Furtado porque “tem 15 anos de experiência autárquica”. 
A terceira mulher presidente de uma câmara nos Açores e segunda a assumir a liderança da maior autarquia do arquipélago garantiu que o projecto que vai levar por diante até ao fim do mandato “será continuado nos exactos termos em que foi sufragado pelos eleitores. Tem toda a legitimidade política”.
Maria José Duarte não teme qualquer desestabilização e não antevê qualquer cenário perturbador no modelo de gestão mas reconhece que a sua maior preocupação tem a ver com os dossiers económicos. Fora isso lembra que tem um percurso profissional de que se orgulha e com provas dadas não sendo desconhecida da população de Ponta Delgada a partir das muitas iniciativas em que participou em todo o concelho.                                                          
“Estamos organizados, estamos determinados e estamos motivados para continuarmos a trabalhar pelo desenvolvimento de cada uma das nossas 24 freguesias”. E neste contexto, questionada se pretende retomar as iniciativas de sair para o terreno, Maria José Duarte garante que é sua pretensão estar em todas as freguesias e conhecer os projectos de cada uma e decidindo com a população o melhor para cada uma delas, mas também lembra que ainda é cedo para anunciar as suas decisão, até porque só ontem foi investida no novo cargo, para o qual se sente preparada para desempenhar, pois “como vice-presidente estamos sempre preparados para assumir a presidência”, em situações necessárias, só que agora não é por alguns dias mas até às próximas eleições, mas que também não descarta ser uma candidata na primeira pessoa, já que diz apenas: “Veremos”.
Aos munícipes de Ponta Delgada, aos autarcas da Assembleia Municipal e das Juntas de Freguesia e a todos os colaboradores da Câmara Municipal, Maria José Duarte, que apareceu na entrevista acompanhada da sua equipa – Pedro Furtado, Alexandra Viveiros, Paulo Mendes e Ana Dâmaso de Almeida - quis deixar “uma mensagem de tranquilidade e uma palavra de confiança no futuro da nossa terra”, garantindo que se sente “bem acompanhada para vencer este novo desafio”.
Para Maria José Duarte o trabalho a desenvolver vai ter em conta também o que foi projectado por Humberto Melo e, por isso, conforme referiu vai ser dado corpo às 77 medidas anunciadas pelo ex-presidente da Câmara (60 já estão a ser executadas) para fazer face aos problemas que surgiram no concelho devido à pandemia. 
Recorde-se que Humberto Melo a 21 de Maio anunciou que a  Câmara Municipal de Ponta Delgada - sem considerar os Serviços Municipalizados de água e Saneamento – estima um impacto orçamental de mais de dois milhões de euros (2.152.649,76 euros) com a implementação de 77 medidas extraordinárias de combate à propagação e às consequências da pandemia de Covid-19. Porque, como referiu na ocasião Humberto Melo, “mais importante do que as verbas previstas é o exemplo de que se dá de preocupação genuína e responsável pelas dificuldades das pessoas”. 
Recorde-se ainda que durante o período de Março a Maio deste ano, a Câmara Municipal de Ponta Delgada tomou 60 medidas extraordinárias com um impacto orçamental de valor superior a um milhão de euros (1.030.225,76). Destes, 557 mil euros equivalem à não arrecadação da receita proveniente das isenções, ficando o dinheiro nas mãos dos contribuintes e não nos cofres da Câmara, e 470 mil euros correspondem a pagamentos de aquisições e apoios realizados até 15 de maio.
Para o período de Junho a Dezembro, propõe-se tomar mais 17 medidas extraordinárias, também estas de valor superior a um milhão de euros (1.122.424,00). O executivo presidido por Humberto apresentou, ainda, um pacote com mais 13 medidas de apoio à revitalização económica e social. Isso tudo é para cumprir, segundo Maria José Duarte.
Recorde-se ainda que as medidas tomadas pela Câmara Municipal de Ponta Delgada no âmbito do combate à propagação e às consequências da pandemia de Covid 19, durante os meses de março, abril e maio, já apresentam um impacto financeiro de valor superior a um milhão de euros - 1.030.225,76 € - dos quais 557.480,00 € equivalem à não arrecadação de receitas proveniente das isenções (estimadas até 31 de maio) e 472.745,76 € correspondem a pagamentos de aquisições e apoios (realizados até 15 de Maio).

Trabalhar para vencer é o lema
“Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para ajudar o nosso concelho a vencer esta fase difícil”, reiterou o edil apostado na recuperação económica e apelando a que as pessoas e as instituições tenham confiança no futuro”.
Maria José Duarte segue o mesmo diapasão porque “primeiro as pessoas” e porque “não estamos aqui para fazer política partidária. A política partidária é para os partidos políticos.
Estamos aqui para servir uma instituição, que é a Câmara Municipal, e para afirmar um concelho, que é o maior dos Açores.
Estamos aqui, como equipa coesa e motivada, para continuarmos um projeto a favor das pessoas. O que nos preocupa e o que nos move é o bem-estar da nossa população.
Por isso o nosso projecto de desenvolvimento continuará a colocar as pessoas em primeiro lugar”, garantiu a autarca aos jornalistas presentes na entrevista.
Para Maria José Duarte a missão que esta equipa tem à frente dos destinos da maior autarquia dos Açores é a de “servir os nossos munícipes e desenvolver a nossa terra. Para isso, contamos com todos - com os parceiros sociais, com os agentes económicos, com as Juntas de Freguesia, com o Governo Regional. A cada um disponibilizamos a nossa vontade de cooperação em benefício de todos”, opinou.
A autarca também quis deixar bem claro, numa referência pessoal: “Tudo farei para continuar e honrar o trabalho que fizeram os meus antecessores na presidência deste mandato - o Dr. José Manuel Bolieiro e o Eng. Humberto Melo, que tiveram que deixar a nossa equipa por razões devidamente justificadas e respeitadas”.
            Nélia Câmara

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima