Açores com sete finalistas às “7 Maravilhas da Cultura Popular”

A RTP anunciou as sete finalistas dos Açores às “7 Maravilhas da Cultura Popular” nas categorias de Rituais e Costumes, Artesanato, Músicas e Danças, Procissões e Romarias e Lendas, todas com candidatura feitas pelas respectivas autarquias.
 Das finalistas regionais quatro são de Miguel, as Escamas de Peixe de Ponta Delgada, a Procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres, a lenda das Sete Cidades de Ponta Delgada e as Cavalhadas de São Pedro da Ribeira Grande, e as outras três são as Festas em Honra do Divino Espírito Santo da Calheta de São Jorge, o artesanato baleeiro das Lajes do Pico e a Chamarrita da Madalena do Pico.
A Câmara de Ponta Delgada fez eco da selecção do seu concelho. A tricentenária Procissão do Senhor Santo Cristo dos Milagres é a maior da Europa e a segunda maior do Mundo, sendo a mais antiga devoção de Portugal.
A primeira procissão ocorreu a 11 de abril de 1700. Madre Teresa foi a sua maior devota e responsável por toda a fé que ao Senhor Santo Cristo dos Milagres se pratica. 
Quanto à Lenda das Sete Cidades, segundo Jorge Arruda, em “Verde Azul lendas, contos e factos” fala sobre “o antigo reino das Sete Cidades”.
Reza a lenda que os reis tinham “uma filha muito linda” (...) que “amava a vida campestre, motivo por que andava pelos campos a contemplar montes e vales, aldeias e costumes”.
O mesmo autor conta sobre a princesa: “Um belo dia encontrou um jovem pastor. Conversou demoradamente com ele e dessa conversa nasceu o amor. Passaram, por esse motivo, a encontrar-se todos os dias, jurando amor e afeição mútua. Mas a princesa tinha o seu destino marcado, porque um príncipe, um herdeiro de outro reino, pretendia a sua mão. Havia, pois, que suspender o devaneio com o pastor. Assim, foi a princesa proibida de se encontrar com ele, embora lhe consentissem uma despedida”.
“Ao encontrarem-se pela última vez, choraram ambos tanto, que a seus pés se formaram duas lagoas: uma azul, feita de lágrimas caídas de olhos azuis da linda princezinha; outra verde, devido às lágrimas derramadas dos olhos verdes do pastor (...).
As Cavalhadas de São Pedro são uma tradição secular que remonta ao século XVI foi selecionada pelo júri para integrar as eliminatórias regionais a partir do dia 6 de julho.
 “Esta é uma qualificação que nos orgulha e demonstrativa da relevância das nossas tradições”, salientou Alexandre Gaudêncio, presidente da Câmara da Ribeira Grande que também destacou a importância da nomeação para a divulgação do município.
 “O concurso das 7 Maravilhas da Cultura Popular coloca o foco no turismo interno e convida os portugueses a conhecerem um pouco mais do país. A Ribeira Grande não foge à regra, diz um nota da autarquia ribeiragrandesnse, e a divulgação da tradição das Cavalhadas através do canal público de televisão reforça a premissa que já começamos a divulgar de, este ano, convidar as pessoas a fazerem férias cá dentro.”
As vinte finais regionais correspondem a vinte programas em direto, a transmitir no mês de julho, apurando-se para a final os vinte vencedores através do voto popular. Nos dias 23 e 30 de agosto terão lugar os programas que vão apurar os catorze finalistas, realizando-se a final do concurso no dia 5 de setembro.
As Cavalhadas de São Pedro são um desfile a cavalo que integram a figura de um “rei” ladeado por dois lanceiros (vassalos), seguidos por duas alas com dezenas de cavaleiros, aparecendo no meio delas três corneteiros e com um fecho vigiado por outros dois lanceiros.
Segundo uma das teorias, os homens que montam a cavalo, devidamente trajados, cumprem uma promessa em agradecimento pelo facto da igreja de São Pedro – localizada na freguesia de Ribeira Seca – e respetiva imagem do santo padroeiro, terem ficado intactas durante a erupção vulcânica ocorrida no Pico do Sapateiro no ano de 1563.
Representando a genuína essência do nosso povo, o Município da Madalena apresentou, em fevereiro deste ano, a candidatura da Chamarrita do Pico e das Festas do Divino Espírito Santo ao concurso 7 Maravilhas da Cultura Portuguesa, dando assim a conhecer ao país e ao mundo estes dois incontornáveis patrimónios locais, que exprimem a verdadeira identidade picarota, a fé e as nossas mais intrínsecas tradições, num hino ao nosso povo.
Os sete patrimónios açorianos agora apurados serão apresentados a todo o país, na Gala da Eliminatória Regional, transmitida em directo na RTP-1 para votação pública, conferindo uma visibilidade sem precedentes aos mesmos, em particular à Chamarrita, este grande ex-líbris da cultura picarota e açoriana, refere uma nota da autarquia. 
A organização das 7 Maravilhas de Portugal recebeu 504 candidaturas, tendo um grupo de especialistas das diversas áreas, composto por sete elementos de cada um dos 18 distritos e das duas regiões autónomas, elegeu 7 patrimónios de cada região, num total de 140 finalistas regionais, que vão a votação a partir do dia 6 de Julho na RTP1 e RTP Internacional.
Estas 20 finais regionais correspondem a 20 programas em directo, a transmitir no mês de Julho. A 5 de Setembro será feita a Declaração Oficial das 7 Maravilhas da Cultura Popular da RTP.                 

N.C.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima