Governo dá apoio máximo de 150 euros para açorianos irem de férias conhecer outras ilhas do arquipélago

“Viver os Açores” é o nome da campanha que pretende estimular e incentivar viagens de férias e de lazer dos açorianos pelas duas ilhas, promovendo a revitalização económica da Região no pós-Covid através do turismo interno. 
Assim, qualquer residente nos Açores com idade igual ou superior a dois anos, pode candidatar-se a este incentivo que é fixado em 50% do valor pago por pessoa, até ao limite máximo de 150 euros por pessoa, no caso da viagem inter-ilhas ser feita por via aérea, e até ao limite de 100 euros por pessoa, para que realizar a viagem por via marítima. 
Com um investimento de 1.750 mil euros, a campanha permite que sejam elegíveis ao apoio, uma única vez, todas as viagens realizadas de 16 de Junho a 31 de Dezembro de 2020, sendo que a candidatura só poderá ser submetida a partir de 21 dias antes da data prevista do início da viagem. As reservas podem ser feitas em qualquer agência de viagem física, ou digital ou por contacto directo com cada fornecedor de serviço. Para o cálculo do incentivo são contemplados a viagem aérea; viagem marítima; alojamento; restauração; actividades de animação turística; serviços de reserva e aluguer de viaturas. 
No caso da viagem ser feita por via aérea terá um limite máximo de 150 euros por pessoa, sendo que no caso de crianças entre os dois e os doze anos, inclusive, o valor máximo do incentivo é de 100 euros.
No caso de ser uma viagem realizada por via marítima, o incentivo terá um limite máximo de 100 por pessoa, enquanto no caso de crianças entre os dois e os doze anos, inclusive, o valor máximo do incentivo é de 70 euros. Para ambas as situações, o incentivo tem uma majoração de 25 euros, se o beneficiário recorrer ao aluguer de viatura.
Para poder usufruir deste incentivo concedido pelo Governo Regional, há requisitos mínimos que têm de ser cumpridos. Para tal, o beneficiário tem de adquirir a viagem aérea ou marítima, de ida e volta, da ilha de residência para outra ou outras ilhas dos Açores. Está ainda obrigado a adquirir três noites em empreendimento turístico, alojamento local ou Pousada de Juventude, em outras ilhas que não a de residência. É ainda requisito obrigatório a aquisição de três refeições em restaurantes, por pessoa, no valor de pelo menos 15 euros cada; assim como a aquisição de uma actividade turística, por pessoa, no valor de, pelo menos, 30 euros. As crianças entre os 2 e os 12 anos, inclusive, não ficam obrigados à aquisição destes dois últimos pontos. 
Como proceder
Depois de adquirir o pacote da viagem para outra ilha que não a de sua residência, o beneficiário deve preencher um formulário electrónico, disponível através da página http://viverosacores.azores.gov.pt, declarando sob compromisso de honra que a viagem é exclusivamente de turismo e lazer. Para se inscrever basta apenas documentação que comprove a residência fiscal nos Açores, bem como uma cópia dos documentos de identificação e o respectivo IBAN. 
Após preencher o formulário o beneficiário é notificado, via e-mail, da submissão do pedido de atribuição do incentivo, sendo-lhe também enviado um número de registo atribuído á candidatura, assim como uma password para aceder a uma zona reservada. 
Será nesta zona, no separador “formulário”, que após a realização da viagem serão submetidos os comprovativos das despesas comparticipadas, com o número de registo. Ou seja, comprovativos das viagem aérea ou marítima, alojamento, alimentação, actividades turísticas, e também de despesas de reserva e aluguer de viatura, que poderá significar uma majoração de 25 euros no apoio. 
Depois de submetidos os comprovativos, o Governo compromete-se com o pagamento do incentivo no prazo de dez dias, através transferência bancária, após validação administrativa de toda a documentação submetida.

“Nos desafios temos de encontrar oportunidades” afirma Secretária Regional do Turismo

Na apresentação da campanha “Viver os Açores”, a Secretária Regional da Energia, Ambiente e Turismo, Marta Guerreiro, começou por falar da “nova realidade” em que vivemos e em como o turismo precisa de se adaptar no pós-pandemia. 
“Outras crises económicas e financeiras já demonstraram a resiliência do turismo, actividade que conseguiu recuperar de forma rápida, fortalecida e ajustada às oportunidades que foram surgindo”, referiu Marta Guerreiro que acredita que a importância do turismo e “a resposta sanitária exemplar dos Açores à minimização dos efeitos da pandemia Covid-19 são dois factores que sugerem que a retoma será bem-sucedida”. 
Além disso, a governante acredita que o turismo assumirá, novamente, uma posição primordial no desenvolvimento económico e social da Região.
Muito também devido ao trabalho que tem sido feito no posicionamento do destino onde a Região é “incontestavelmente, um exemplo de boas práticas na área da sustentabilidade, com uma notoriedade internacional positiva, pela nossa afirmação como o primeiro, e único, Arquipélago do Mundo certificado enquanto Destino Sustentável”. Um posicionamento que será das primeiras escolhas daqueles que ao decidir viajar, optam por destinos com condições de segurança sanitária, associada a uma oferta de descanso e lazer não massificada. 
É nesse contexto, refere Marta Guerreiro, de retoma económica e social da Região após o confinamento da Covid-19, “que se justifica o relançamento da actividade turística, em primeiro lugar em contexto regional”.
Surge assim a campanha “Viver os Açores” que a governante considera ser a oportunidade de incentivar os açorianos a fazer turismo interno “como forma de vivenciarem realidades, culturas e ambiências distintas das suas, muitas vezes, menos conhecidas ou valorizadas”.
Assim esta campanha surge como complemento aos restantes mecanismos de apoio às empresas e à manutenção de emprego que têm vindo a ser adoptados na Região, promovendo a revitalização económica através do turismo. 
Porque “nos desafios temos de encontrar oportunidades” e porque está “é uma boa oportunidade para se incentivar os açorianos a optarem pelo turismo interno”, referiu Marta Guerreiro. 

Print
Autor: Carla Dias

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima