Queijarias artesanais açorianas com queda de 30% na laboração

As 15 queijarias artesanais existentes na Região sofreram quebras no volume de laboração de leite da ordem global dos 30%, só nos últimos três meses, devido à pandemia. 
O Secretário Regional da Agricultura e Florestas anunciou ontem que o Governo dos Açores vai apoiar a manutenção das mesmas.
 “As queijarias artesanais estão, assim, confrontadas com novos desafios face aos impactos causados pela pandemia, que provocaram uma redução nos volumes de leite transformado e uma grande redução ao nível das vendas, muito por força do encerramento dos mercados internacionais, do canal HoReCa e das quebras ao nível do número de turistas nas ilhas”, salientou João Ponte, frisando que o Executivo açoriano não podia ficar indiferente a esta realidade.
O governante falava à margem de uma visita à queijaria ‘O Morro’, na ilha do Faial, que considerou ser um exemplo de uma empresa que apostou na inovação, que contribui para aumentar a notoriedade dos produtos lácteos açorianos, mas que, devido à pandemia, viu as suas vendas fortemente afectadas.
João Ponte revelou que, nos últimos meses, houve mesmo queijarias que acabaram por suspender a laboração, sendo que, nestes casos, as cooperativas e grandes indústrias tiveram um papel importante na recolha do leite excedente.
 “Esta é uma situação que veio abalar toda a dinâmica que havia antes da pandemia de surgimento de novas queijarias, de aposta em novos queijos, o que estava a contribuir para criar emprego, fixar população nas zonas rurais e criar riqueza”, salientou o governante, acrescentando que o crescimento do turismo era a grande alavanca destes pequenos negócios, que muito acrescentam valor ao sector agrícola nos Açores. 
João Ponte indicou que, no último ano, as 15 queijarias tradicionais existentes nos Açores alcançaram um volume total de transformação que representou 5,6 milhões de litros de leite.
 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima