Bispo de Angra desafia o clero a encontrar-se “vitalmente” com os pobres e oprimidos

O bispo de Angra presidiu à Missa Crismal, celebrada na Sé, e desafiou os sacerdotes a serem um modelo para as comunidades cristãs, sobretudo nestes tempos “desafiadores” que exigem “um esforço redobrado de todos”, seja na proclamação da palavra a quem dela precisa seja no testemunho de vida cristã.
 “O modo de ser de cada um de nós e como estamos em presbitério é algo de fundamental para edificarmos comunidades cristãs” assinalou D. João Lavrador na homilia da Missa Crismal, adiada da Semana Santa para esta data, na sequência da pandemia da Covid-19.
 “Nestes tempos de pandemia e atendendo às vítimas que dela resultam, esta exigência torna-se ainda mais premente, discernindo, acolhendo, partilhando e incentivando. Pertence-nos a nós, junto das nossas comunidades, a iniciativa de proclamar pela palavra e testemunhar com os nossos comportamentos o mundo mais humano que se exige a partir do contexto em que vivemos” assinalou D. João Lavrador. “Somos enviados com a missão especifica de nos encontrarmos vitalmente com os pobres, com os cativos e com aqueles que estão oprimidos, e ainda, com aqueles que ainda não abriram o seu olhar para a verdade de Deus e continuam a viver nas trevas” disse ainda.
Dirigindo-se aos sacerdotes, que renovaram as suas promessas, como é hábito na Missa Crismal, o prelado diocesano lembrou a responsabilidade dos padres na dinamização da experiência comunitária da fé, alicerçada em serviços e ministérios.
Na homilia desta celebração, durante a qual foram ainda assinalados quatro jubileus sacerdotais- os dos cónego Gil Mendonça pelos 70 anos de ordenação sacerdotal e dos padres António Henrique Pereira, José Paulo Machado e Herminio Mendes pelos 25 anos de ordenação sacerdotal-  o prelado ressalvou a importância do momento presente da diocese de Angra, e deixou um apelo.
 “Caros sacerdotes, não desperdicemos esta hora de graça para a nossa Igreja diocesana. É um tempo exigente? É sem dúvida. É uma caminhada que nos desinstala? Com certeza. Que é um itinerário que exige escuta, criatividade, humildade e despojamento? É verdade. Contudo, é uma exigência permanentemente repetida e referida pelo Santo Padre o Papa Francisco e é sobretudo uma resposta aos Sinais dos Tempos presentes no mundo de hoje a exigir a luz do Espirito de Deus para uma acção evangelizadora da Igreja” exortou D. João Lavrador.
Nesta celebração participaram além dos sacerdotes das ouvidorias de Angra e da Praia da Vitória, o bispo emérito de Angra, D. António de Sousa Braga, que no passado dia 17 de maio celebrou 50 anos de ordenação sacerdotal. O bispo emérito, o 38º bispo de Angra, o segundo açoriano na história da diocese, foi ordenado a 17 de Maio de 1970 pelo papa Paulo VI em Roma.
Esta celebração na Catedral repetiu-se na Madalena do Pico ontem e amanhã será a vez de Ponta Delgada. A Missa Crismal, onde se benzem também os santos óleos que depois são usados nos sacramentos do batismo, crisma e unção dos doentes foram também benzidos nesta celebração.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima