João Pimentel, Presidente do Clube K

Carlos Silveira assume comando dos seniores masculinos

O Campeonato terminou quando faltavam duas jornadas para o fim da fase regular de seniores masculinos e nos seniores femininos quando se iria entrar na fase final. Pensa que deveria ter sido feito um esforço para concluir a época? Concorda com a decisão tomada?
Penso que foi a decisão correcta tendo em conta a situação de pandemia e as consequências negativas que podiam resultar da continuação da realização dos jogos. Claro que para nós, em termos desportivos e financeiros, foi bastante prejudicial mas primeiro está a saúde pública. A equipa feminina estava a preparar-se para a fase final da época e a lutar pelo título nacional. Uma das jogadoras tinha chegado no princípio de Fevereiro para podermos estar mais fortes nessa fase final. No caso da equipa masculina a última jornada iria ser decisiva para sabermos se nos classificávamos nos 8 primeiros lugares do campeonato e garantir desde logo a manutenção. Essa última jornada decidia a classificação.

Esta pandemia trouxe muitos problemas ao voleibol profissional do Club? Que medidas tiveram de ser tomadas? Houve dispensas de alguns atletas e membros da equipa técnica?
Os problemas foram essencialmente financeiros porque tivemos de encerrar a época mais cedo e perdemos alguns apoios por não realizarmos a segunda fase de ambas as provas. Em relação às saídas de atletas e equipas técnicas de ambas as equipas era algo que já estava a ser equacionado com ou sem pandemia. 

Já há data para o início da próxima época? Quando começam os treinos?
Ainda não temos datas oficias mas já sabemos que a nossa equipa feminina vai participar na supertaça e que que os jogos serão realizados no fim de semana de 12 e 13 de Setembro. Em relação à equipa masculina está previsto o início do campeonato para o último fim de semana de Setembro. Começaremos os treinos de ambas as equipas por volta do dia 15 de agosto.

Nas seniores femininas, o treinador Paulo Barreto não irá continuar. Esta decisão partiu da direcção ou do próprio treinador? Já escolheram o próximo treinador?
Sim, o Paulo Barreto fez um bom trabalho no clube tendo projectado a nossa equipa para patamares muitos altos no campeonato nacional. Também não podemos deixar de registar que nos últimos anos, as nossas equipas femininas, têm estado recheadas de excelentes jogadoras e que todas elas conseguem nas épocas seguintes propostas de contrato com as melhoras equipas nacionais. Mas como em tudo na vida foi o fim de um ciclo. A decisão partiu da direcção e pretendeu-se diminuir custos com a equipa técnica e definir novos objectivos para as equipas contribuindo mais para a formação das atletas regionais. 

Ainda no sector feminino, pode dizer-nos se a base/a espinha dorsal da equipa vai continuar?
A equipa feminina vai ser totalmente nova e já está formada. Todas as atletas estrangeiras vão sair. Há necessidade de renovar objectivos, definir novas metas, criar uma cultura de clube e não apenas de equipa. Para podermos redefinir e reorientar a equipa e o clube necessitamos de começar um novo projeto. O João Carronha vai ser o novo treinador da equipa feminina e terá como adjunto o Gonçalo Machado. As atletas estrangeiras já foram contratadas e iremos ter novamente um equipa bastante competitiva. O Campeonato feminino na próxima época será bastante competitivo. As equipas têm-se reforçado muito. No próximo ano teremos a equipa do F C Porto, do Sporting, do Leixões, do Porto Volei, do Castêlo da Maia muito fortes. Nós vamos querer estar a competir com elas entre as melhores.

E nos masculinos?
Na equipa sénior masculina vamos ter a equipa técnica formada com o treinador Carlos Silveira e o treinador adjunto Diogo Cortez. A equipa já está formada e vai lutar pela manutenção na I Divisão numa prova que será inédita porque vai competir com um número muito elevado de equipas.

Qual será o orçamento do Club k para a próxima temporada? Será maior ou menor relativamente ao ano passado?
O orçamento para a próxima época ainda não está completamente definido porque ainda não sabemos que apoios se vão manter por parte da Direção Regional do Desporto e também ainda estamos a negociar alguns patrocínios que, tendo em conta a situação actual, não estão a ser fáceis de concluir.

Quais são os grandes objectivos para o futuro? Qual é o seu grande sonho para o Club K?
Pretendemos continuar a apostar na formação de novos jogadores, de novos talentos. Temos apostado muito em treinadores jovens e outros mais experientes que são ambiciosos e que muito têm dado ao clube. Estamos muito contentes com as equipas técnicas que temos nos diversos escalões e que nos podem dar um futuro mais tranquilo, com equipas mais equilibradas e competitivas. O Clube Kairós completa 20 anos em Agosto. Sou presidente do Clube Kairós desde o seu início, portante há 20 anos. Penso que foi feito um trabalho de enorme qualidade e de projecção do nome da nossa cidade e da nossa ilha com o Voleibol do nosso clube. Hoje, o Clube Kairós é reconhecido a nível nacional pela quantidade de títulos nacionais já alcançados e por estar há muitos anos entre os melhores. No entanto, acho que está a chegar o fim da minha liderança no Clube. É necessário renovar a direcção e dar oportunidade a novas pessoas para projectarem o futuro do clube para a próxima década.

Falemos um pouco da formação? Quantos atletas praticam voleibol no Club K? Já estão a preparar a nova época?
Os escalões de formação têm tido números de cerca de 200 atletas entre os núcleos de escolinhas de voleibol e escalões de formação. Este ano, devido à pandemia que impossibilitou a realização dos campeonatos regionais, deve ser o primeiro ano que não iremos conquistar títulos regionais. Aos longo de todos estes anos temos conseguindo conquistar títulos regionais quer nos escalões femininos quer nos escalões masculinos. Temos tido sempre muitos atletas nas selecções regionais e chegámos mesmo a ter atletas nas selecções nacionais. As equipas técnicas dos escalões de formação para a próxima temporada já estão completas e já iniciaram os trabalhos para impedir que os atletas estejam muito tempo parados. Como a pandemia impediu os treinos no pavilhão em Março, continuámos a fazer treinos online com muita participação e agora já voltámos ao pavilhão. Assim, mantemos os jovens no ativo durante cada vez ais tempo.

O voleibol é uma modalidade que tem história nos Açores e muito concretamente em São Miguel. Que avalização faz do actual momento do voleibol na região?  
Realmente é um marco muito importante na história do voleibol em Portugal o facto de tudo ter começado em São Miguel. Tenho pena de que não existam mais clubes e mais atletas a praticar esta modalidade que seria muito benéfico para todos porque nos obrigaria a evoluir e sermos mais competitivos. Mas também reconheço que o associativismo na região passa por momentos muito delicados e não vejo, sinceramente, que o Governo Regional olhe para os clubes e associações como um elemento de extrema importância no desenvolvimento da formação dos mais novos. Normalmente, apenas referem números e mais números de atletas federados, independentemente de serem praticantes ou de serem os mesmos, mas que estão federados em várias modalidades. Esta crise, provocada pela pandemia, ainda vai acentuar mais as fragilidades financeiras com que vivem a maior parte dos clubes e das associações na região. Lamento que, enquanto em outras áreas se encontrem formas de tentar financiar e apoiar empresas privadas ou não, a fundo perdido ou não, no caso dos clubes e das associações desportivas, a preocupação é ver onde se podem cortar as majorações a que os clubes tinham direito se concluíssem todos meses da época que estavam previstos. Os clubes tinham contratos com jogadores e com treinadores e vão ter de os cumprir com ou sem paragem de campeonatos. Não houve sensibilidade da tutela para pensar em ajudar os clubes e as associações neste aspeto como aconteceu em outras áreas da nossa sociedade. No caso do desporto, o que se fez, foi reformular contratos já assinados e cortar os apoios das majorações. É pena, mas é a nossa realidade desportiva na região. 

Luís Lobão

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima