Reunião entre a Direcção e a Comissão Especializada do Comércio diz que a situação preocupa

Comerciantes defendem redução da carga fiscal e o regresso dos funcionários públicos ao local de trabalho

A Direcção da Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada e a Comissão Especializada do Comércio reuniram, tendo como objectivo analisar a situação no sector na actual conjuntura decorrente da pandemia da Covid-19, chegando à conclusão de que a situação no sector foi considerada preocupante, tendo em consideração as repercussões que a quebra significativa que se tem vindo a verificar na procura da generalidade das actividades comerciais e o seu natural impacto negativo na situação financeira das empresas.
Em comunicado, a Câmara do Comércio e Indústria desta cidade revela que a quebra que se tem vindo a registar “está associada a um conjunto de factores, com especial realce para a diminuição muito acentuada do turismo, a redução do rendimento disponível de muitas famílias, a incerteza quanto ao futuro, a organização do trabalho designadamente de entidades públicas, que continuam com muitos trabalhadores em teletrabalho e de serviços públicos com atendimento ao público encerrado ou limitado. Todos estes factores contribuem para uma redução no movimento de circulação de pessoas nos centros das cidades e vilas e para uma menor procura dos clientes do denominado comércio tradicional”
Os elementos da Câmara do Comércio registam “como positiva a resiliência do sector, que apesar da redução de vendas, tem conseguido manter a sua capacidade de oferta, bem como a opção da generalidade das empresas em manterem os postos de trabalho, aproveitando as medidas públicas disponibilizadas pelos governos da República e Regional, com especial relevo para o lay-off simplificado”. 
A Direcção e a Comissão Especializada do Comércio entendem que “as entidades públicas nacionais, regionais e locais devem tomar medidas que ajudem a dinamizar o sector”, tendo destacado, entre outras, “a redução da carga fiscal, em especial no que se refere à taxa máxima do IVA, medida que reforçaria o rendimento disponível das famílias e também com impactos positivos para as empresas”.
Preconizam a retoma do trabalho presencial para muitos trabalhadores da Administração Regional e Local, bem como reabertura de alguns serviços públicos, medidas que contribuirão para estimular a atividade comercial das cidades e vilas.
Defendem ainda os comerciantes na mesma nota enviada às redacções “a realização de acções de animação, que, respeitando as necessárias medidas de segurança sanitária, possam contribuir para a dinamização e atracção de pessoas aos centros urbanos e preconizam a alteração das políticas de estacionamento, no sentido de estimular a procura do denominado comércio tradicional”.             

N.C.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima