António José Pimentel, Presidente da AVSM

“Há um desinteresse dos miúdos e despreocupação dos pais em incentivarem os filhos para a prática desportiva”

António José da Mota Pimentel é uma figura incontornável da Associação de Voleibol de São Miguel (AVSM), que está prestes a terminar o seu cargo como Presidente da Direcção, cujas eleições para os novos Corpos Sociais foram remarcadas para o dia 8 de Setembro. Os mandatos têm a duração de quatro anos.
O nosso entrevistado iniciou funções como 2.º Suplente da Direcção, na AVSM, em Novembro de 1994, presidida por Hélio Ormonde. Em Setembro de 1996 assumiu as funções de 2.º Secretário e em 1998 ascendeu a 1.º Secretário, mantendo-se com a mesma função nas eleições de Julho de 2002, presidida por Clarimundo Medeiros, que embora com mandato para o quadriénio, em Agosto de 2004 assumiu as funções de Tesoureiro da Direcção, então presidida por Eduardo Elias da Silva, que se manteve até 2016. O Presidente da Direcção, Eduardo Elias da Silva, em Outubro de 2016 toma posse como membro da Direcção da Federação Portuguesa de Voleibol, suspendendo o mandato, assumindo a Direção o Vice-presidente, Hélio Ormonde. Em Setembro de 2019, por razões profissionais, suspendeu o mandato e fez-se a reposição dos lugares vagos, assumindo assim António José da Mota Pimentel a Presidência da Direcção.

Redução nos apoios oficiais

António José Pimentel releva que “o último quadriénio foi trabalhoso e difícil, face à redução dos apoios oficiais, notando-se uma diminuição do número de atletas inscritos na Federação Portuguesa de Voleibol. Na última época tentamos dinamizar as Escolinhas do Desporto/Gira-Vólei, criando Núcleos com monitores convidados pela AVSM. Por outro lado, reactivamos o Centro de Treino de Ilha com minis femininos. Só que a Pandemia complicou toda a programação do auge da competição, definição dos campeões de ilha e participação nos campeonatos Regionais e Fases Finais Nacionais”.
E porque, entretanto, as eleições para os Corpos Sociais foram remarcadas para o dia 8 de Setembro, era imperioso saber se iria ter algum desempenho na nova Direcção que vai ser eleita? “Não tem sido fácil acertar na data das eleições da AVSM. Na Assembleia-geral de Junho de 2020, o Presidente da Mesa, Mário Lourenço calendarizou as eleições para 20 de Julho de 2020. Não surgindo qualquer lista concorrente, remarcou-se as eleições para 27 de Julho, incumbindo a Direcção de apresentar uma lista. Reconhecendo o tempo ser curto para formar uma lista, a Direcção solicitou adiamento das eleições, para o dia 8 de Setembro de 2020, o que foi aceite. Pessoalmente gostaria de continuar nos Órgãos Sociais da AVSM, mas não na Direcção, pois já são muitos anos e apreciaria o surgimento de novos dirigentes, antigos praticantes de voleibol”.
Emanuel Cordeiro avança

Sobre quem poderá assumir o cargo, António José Pimentel regozija-se com a pretensão do actual Vice-presidente, Emanuel Cordeiro, que foi “quem mostrou intenção de assumir os destinos da Associação de Voleibol de São Miguel”. No demais, é de resto, “um propósito que muito me satisfaz, por ser uma pessoa «apaixonada» pelo voleibol e só a sua intensa vida profissional, o tem impedido de estar mais presente. Estou esperançado ser a pessoa que poderá reorganizar o funcionamento da AVSM e criará empatia com os nossos associados”. Aliás, “pelo que já conversamos, é sua intenção manter a maioria dos elementos, nos diferentes Órgãos Sociais; e igualmente pretende continuar com os elementos do Gabinete Técnico”.

Pandemia: “Desilusão”

Ao nível das finanças, António José Pimentel concerta que “financeiramente a AVSM tem-se mantido sem se endividar, embora não tenha sido fácil, pois a base do funcionamento administrativo, advém do apoio da Direcção Regional do Desporto para a actividade local, que tem diminuído significativamente nos últimos anos. Ainda em Junho de 2020, o Relatório e Contas foram aprovados, apresentando um resultado positivo”. 
A pandemia surgiu presidente no momento auge da competição. “Tínhamos programado o Regional de seniores masculinos, no fim-de-semana quando foi decretado o confinamento. Para todos os atletas foi uma grande desilusão, porque as fases regionais e nacionais, são sempre momentos importantes para os próprios e seus clubes. Ficamos atónitos sem saber o que fazer. Temos esperança, da próxima época começar com alguma normalidade. Veremos como evolui a situação. Ultrapassei, pessoalmente, esse tempo de confinamento, sem dificuldades, mantendo a parte mental e física sempre activa. O que muita falta fez foram os banhos diários na Piscina do Pesqueiro”.
Apesar do voleibol ser a segunda modalidade com mais atletas inscritos na respectiva federação, “a modalidade tem passado por algumas dificuldades em algumas ilhas. Por outro lado é justo salientar o bom trabalho que tem sido desenvolvido nas ilhas das Flores e Santa Maria, continuando São Miguel como o principal aglutinador das provas regionais. Notam-se mais atletas do sector feminino e a programação das provas regionais contavam com as oito ilhas, enquanto, que em masculinos participavam cinco ilhas. A nível Nacional, a Zona Açores tem sido uma mais-valia para os nossos atletas, ao passo que o Clube Kairós nos jogos da 1ª Divisão são o melhor meio de propaganda para a modalidade, chamando muito público, principalmente nos jogos com as equipas mais históricas”.  

Desinteresse dos miúdos 
e despreocupação dos pais

Acerca do trabalho que tem vindo a ser feito nos clubes ao nível da formação, António José Pimentel salienta que “todos os nossos clubes têm técnicos qualificados a trabalharem com os diferentes escalões. Existem clubes a trabalharem muito e bem com os seus atletas. O escalão de minis tem sofrido uma evolução positiva considerável, tendo nesta parte, o Gabinete Técnico da AVSM sido uma mais-valia para todos, não só na organização dos encontros, mas também no apoio que dão aos intervenientes. Procuramos captar mais atletas para as nossas equipas, mas não tem sido fácil, derivado a algum desinteresse dos miúdos e despreocupação dos pais em incentivarem os filhos para a prática desportiva”.
Já sobre a situação da arbitragem a nível da Associação de Voleibol de São Miguel diz ser “preocupante”, onde “o número de efectivos é reduzido face à actividade desportiva que desenvolvemos. Temos tentado colmatar esta lacuna, através da organização de cursos, com periodicidade anual, no entanto, o número de candidatos é, por norma, reduzido. Actualmente encontram-se inscritos, nesta Associação, um total de 6 árbitros de nível 1; 7 de nível 2; 3 de nível 3 e 1 de nível 4 (Internacional), que cessou a actividade”.
Fora da esfera do voleibol, António José Pimentel gosta muito de “fazer passeios pedestres, conhecendo sítios e paisagens em São Miguel e outras ilhas, que de outra forma não se dão por eles”, não enjeitando a possibilidade de assistir a “um bom jogo de voleibol e mesmo futebol”, onde também, claro está, um “banho de mar diário não pode falhar”, mas também aprecia muito “um bom encontro com a família e amigos. Viajar, conhecer outros locais por este mundo fora”, mas também não gosta de “ver um jogo com picardias, que em nada dignificam o jogo”.


 

Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima