Candidatura das “Festas em honra do Divino Espírito vence a “Lenda das Sete Cidades” na votação no programa das “7 Maravilhas da Cultura Popular”

O programa “7 Maravilhas da Cultura Popular” realizou-se, ontem na Calheta da ilha de São Jorge, tendo sido foi eleito o finalista regional, a candidatura das “Festas em Honra do Divino Espírito Santo” na categoria Rituais e Costumes.
De Ponta Delgada esteve presente o vereador Paulo Mendes, em representação da Câmara de Ponta Delgada, e Pedro “Pauleta”, como padrinho da candidatura da “Lenda das Sete Cidades”, que no decorrer deste programa, a “Lenda das Sete Cidades” esteve a votação, mas a candidatura da Calheta de São Jorge Saiu vencedora.
Na ocasião, o vereador que tutela a área da cultura do maior Município dos Açores afirmou que “Ponta Delgada está associada às Sete Cidades quer pela sua beleza, quer por esta lenda, que faz parte da nossa identidade enquanto povo e região”.
O edil aproveitou para realçar que “Ponta Delgada tem muito gosto pelo Pauleta associar o seu nome a esta candidatura” e realçou que “esta é uma lenda absolutamente fantástica sobre uma paisagem de beleza invulgar, que conquistou em 2010 o galardão das 7 Maravilhas Naturais de Portugal  e que capta a atenção de todos os visitantes”.
Por outro lado, Pedro “Pauleta” salientou que “hoje, a minha baliza é a lenda das Sete Cidades”.
“Em qualquer parte do mundo que esteja, vou defender sempre a minha terra. Sinto-me um embaixador dos Açores, sinto que tenho um dever com as nove ilhas do arquipélago e ainda mais com a ilha e o município onde nasci” adiantou o ex -futebolista.
Já José de Mello, dirigente a Unidade Orgânica de Património Cultural da Câmara de Ponta Delgada, participou neste programa que dá a conhecer as maravilhas de Portugal ao mundo, falando das várias obras, sejam elas científicas ou ficcionais, que têm como tema central, à semelhança desta lenda, a Lagoa das Sete Cidades.
Foi transmitida, desta forma, na RTP nacional e na RTP Play um pequeno resumo da “Lenda das Sete Cidades”, que “explica” a origem da conhecida lagoa verde e azul.
No vídeo promocional é indicado que reza a lenda que no antigo reino das Sete Cidades, havia uma princesa  que amava a vida campestre e costumava andar pelos campos a contemplar montes e vales, aldeias e costumes.
Segundo Jorge Arruda, em “Verde Azul lendas, contos e factos”: “Um belo dia [esta princesa] encontrou um jovem pastor. Conversou demoradamente com ele e dessa conversa nasceu o amor. Passaram, por esse motivo, a encontrar-se todos os dias, jurando amor e afeição mútua. Mas a princesa tinha o seu destino marcado, porque um príncipe, um herdeiro de outro reino, pretendia a sua mão. Havia, pois, que suspender o devaneio com o pastor. Assim, foi a princesa proibida de se encontrar com ele, embora lhe consentissem uma despedida”.
Foi nesta despedida que se deu a origem desta Lagoa de duas cores, estes jovens enamorados “ao encontrarem-se pela última vez, choraram ambos tanto, que a seus pés se formaram duas lagoas: uma azul, feita de lágrimas caídas de olhos azuis da linda princezinha; outra verde, devido às lágrimas derramadas dos olhos verdes do pastor”.
Aproveitado esta deslocação, o representante autárquico de Ponta Delgada e “Ciclone dos Açores”, Pedro Resendes, - o conhecido Pauleta - deram os parabéns e apresentaram cumprimentos a Décio Pereira, Presidente do Município, que acolheu este programa televisivo e venceu  esta etapa das “7 Maravilhas da Cultura Popular” .

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima