Jovens com apoio para inovação e modernização

Apostar na formação dos jovens agricultores é capacitar o futuro do sector e zelar pela sustentabilidade

Apostar na formação dos jovens agricultores é capacitar o futuro do sector agrícola e zelar pela sua sustentabilidade. A afirmação pertence ao Secretário Regional da Agricultura e Florestas quando discursava na cerimónia, presidida pelo Presidente do Governo, Vasco Cordeiro, de inauguração do caminho do Juncal, de assinatura do contrato da empreitada de construção do sistema de abastecimento de água nas Fontaínhas, com capacidade para 250 metros cúbicos, e de apresentação do projecto de beneficiação do caminho agrícola da Carrasca, no âmbito da visita do Governo dos Açores à ilha do Faial. “Foi publicado em Jornal Oficial a portaria que regulamenta o Programa de Apoio à Formação de Jovens Agricultores (FORJAGRI), que permite comparticipar despesas relacionadas com o reforço de competências e conhecimentos profissionais de quem está a iniciar o seu percurso no sector agrícola”, referiu João Ponte, acrescentando que este será um complemento importante à formação que já é ministrada nos Açores.
“Na prática, estamos a falar de um apoio a fundo perdido que comparticipa 50% de despesas apresentadas, num montante global até 2.000 euros, por candidatura, permitindo aos jovens agricultores frequentar iniciativas de formação profissional com o objectivo de gerirem a sua exploração de forma mais eficiente e aplicarem uma gestão empresarial que lhes permita ter maior rendimento”, frisou João Ponte.
A portaria  publicada define que podem candidatar-se aos apoios jovens agricultores com idade entre os 18 e menos de 40 anos.
“A dinâmica e a disposição que tem existido por parte dos jovens para se dedicarem à agricultura na Região é muito importante e deve ser acarinhada cada vez mais, porque, deste modo, estamos a zelar pela sustentabilidade futura desta atividade económica geradora de emprego e riqueza”, afirmou João Ponte, salientando que nesta legislatura foram dados passos significativos neste âmbito, desde logo com a aprovação do programa Jovem Agricultor, que contempla várias medidas de apoio específicas à inovação, à modernização e à formação.
 

Consumir o que é açoriano é contribuir para o reforço 
da nossa economia,

Depois da visita à Loja do Triângulo, gerida pela Associação de Agricultores da Ilha do Faial, no Mercado da Horta, João Ponte afirmou que consumir o que é açoriano é contribuir para reforçar a economia regional. “Optar por consumir, preferencialmente, o que é produzido localmente é contribuir para reforçar a nossa economia, para gerar riqueza local e mais emprego, algo que importa termos todos consciência disso”, referiu João Ponte, considerando que, na actual fase de relançamento da atividade económica, “consumir o que é açoriano ajuda quem produz, ajuda quem transforma e ajuda quem comercializa, ou seja, permite ajudar-nos uns aos outros”.Para além dissodisse ser  essencial fomentar na Região uma cultura de orgulho daquilo que melhor os Açorianos sabem fazer e produzir, frisando que isso faz-se, desde logo, optando por consumir produtos açorianos.
“Mas, produzir bem e com qualidade não é suficiente para vender mais e melhor, daí o trabalho que tem vindo a ser feito a esse nível, e que terá de ser intensificado no futuro em termos de reforço da notoriedade”, frisou João Ponte, considerando que projetos como o da Loja do Triângulo são importantes, pois materializam e potenciam o desenvolvimento do mercado interno, que pode e deve continuar a ser aprofundado. E destacou ainda a importância dos mercados como verdadeiras montras privilegiadas das produções agrícolas  açorianas e o papel que o comércio de proximidade teve nos últimos meses no escoamento das produções locais, bem como as vantagens que apresentam as cadeias comercias mais curtas, facilitando maior proximidade.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima