Socialistas e social-democratas congratulam-se com a decisão

Danças, Bailinhos e Comédias classificados como património Cultural Imaterial

As Danças, Bailinhos e Comédias de Carnaval da ilha Terceira foram colocadas no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial considerando-a “um marco na cultura popular dos Açores”.
O PS/ Açores congratula-se com a classificação. O anúncio nº 176/2020, publicado no “Diário da República” e que se segue à proposta da Direcção Regional de Cultura dos Açores, é o culminar de um esforço colectivo que dá, finalmente, o que há muito devido destaque a uma manifestação cultural única na região, em Portugal e no mundo.
As Danças, Bailinhos e Comédias da ilha Terceira são feitos pelo povo e para o povo, envolvendo centenas de pessoas, que se entregam durante os quatro dias e noites de Entrudo à maior expressão de teatro musical popular de todo o país.
O relevo agora, finalmente, concedido a esta manifestação cultural única, honrará os inúmeros e talentosos atores, músicos, cantores e dançarinos amadores que, gratuitamente, percorrem os salões da ilha Terceira durante o Carnaval, bem como os autores e os compositores, os responsáveis pelo guarda-roupa, penteados e maquilhagem e todos os que fazem do Carnaval terceirense a obra de arte que, realmente, é.
“É também com enorme orgulho que vemos igualmente reconhecido junto da República o esforço conjunto dos representantes socialistas da Região, que há muito se empenharam para que fosse dado a uma das maiores expressões da alma terceirense o devida lugar no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial”, refere o PS Terceira.
O PSD/Açores também se congratulou com a classificação. O deputado César Toste, recorda, por seu turno,  que foi o PSD/Açores, em 2013 e pela mão da então deputada Judite Parreira, que apresentou na Assembleia Legislativa “um projecto de resolução, recomendando ao Governo Regional que diligenciasse a classificação.
Segundo César Toste, “o projecto pretendia salvaguardar uma manifestação cultural de um povo, garantindo-lhe futuro e perenidade, dando-lhe o devido relevo e projeção e homenageando em simultâneo todos quantos a tornam possível, contribuindo para promover o respeito pela diversidade cultural e pela criatividade humana”, explica.
“Na altura, essa proposta foi aprovada por unanimidade da Assembleia Legislativa. Após um processo longo, o Carnaval da Ilha Terceira foi finalmente reconhecido a nível nacional”, afirma o deputado.
Para César Toste, “o nosso Carnaval distingue-se pela sua duração, participação, juventude e assistência, não sendo equiparável a sua dimensão humana, que se estende às nossas comunidades de emigrantes nos EUA e no Canadá”.
“O Carnaval da Ilha Terceira é um exemplo vivo da criatividade do nosso povo”, afirmando-se como “uma tradição popular que atravessa e contagia as gerações”, disse ainda o deputado do PSD/Açores, revelando “uma enorme satisfação, também pessoal, pela distinção agora conseguida”, concluiu, citado em nota à imprensa. N.C.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima