11 de agosto de 2020

Objectivos cumpridos

Vinho Madeira positivo para Luís Miguel Rego

Luís Miguel Rego nunca tinha estado no Rali Vinho Madeira e isso notou-se conforme confirmou o piloto. “Quando não se conhecem os troços e ainda por cima estamos a estrear o novo carro que também precisa de trabalho de afinação, é normal que alguns, pequenos erros possam surgir e, por isso, optámos por arrancar com uma toada calma e segura que nos permitisse ir progredindo ao longo do rali.”
Sem quaisquer objectivos em termos classificativos, Luís Miguel Rego e Jorge Henriques foram subindo de andamento, sobretudo nas segundas passagens em que tiraram sempre muito tempo aos cronos anteriores, terminando à porta do top 10 (11.º). “As sensações foram sempre melhorando ao longo da prova e agora é que o rali devia estar a começar”, referiu o piloto do Team Além Mar no final do Rali Vinho Madeira. “Tenho a noção que ainda há muito para aprender mas estamos supersatisfeitos com a progressão que fizemos e que é bem notória através dos tempos que melhoraram muito nas segundas passagens. O rali tem troços fantásticos e já estávamos com um andamento que dava para nos divertirmos imenso com a condução”.
O piloto de Ponta Delgada enaltece o trabalho da equipa técnica da ARC Sport, coadjuvada pelos técnicos da Rego Jr. Competições, que “esteve fantástica, como sempre”. Membro fundamental da equipa é o segundo condutor, Jorge Henriques que desta feita assumiu um papel ainda mais proeminente uma vez que, ao contrário de Luís Miguel Rego, possui um conhecimento assinalável das provas madeirenses. “O trabalho do Jorge é sempre de uma qualidade e profissionalismo a toda a prova mas desta vez fiquei com a certeza que sem ele não teria sido possível progredir como o fizemos ao longo da prova”, elogiou o piloto.
O campeão dos Açores deixa, ainda, um agradecimento especial “ao público e à comunicação social madeirenses que muito nos acarinharam” mas também o apoio que sentiu, vindo dos Açores, através dos incentivos e das inúmeras mensagens que foi recebendo através das redes sociais.
Luís Miguel Rego não esconde que gostaria de voltar para a edição de 2021 da prova madeirense mas centra já atenções no Campeonato dos Açores de Ralis que deverá arrancar em Setembro com a disputa do Azores Rallye.

 

Miguel Nunes foi o vencedor

 

Miguel Nunes venceu a 61ª edição do Rali Vinho da Madeira, uma prova em que esteve na liderança da primeira à última das dezasseis provas especiais que compunham o programa. O piloto do Skoda Fabia R5 Evo venceu metade dos troços cronometrados, cinco dos quais na 1.ª etapa em que construiu uma importante vantagem que veio depois a gerir.
O seu grande opositor ao longo da maior parte do evento foi Pedro Paixão. No entanto, o piloto com um Skoda Fabia R5 de primeira geração e vencedor de três classificativas, veio a sentir dificuldades no motor da sua viatura e abandonou à entrada da última secção do programa. Tal infortúnio deixou caminho livre para que Alexandre Camacho, vencedor das três últimas edições, ascendesse à segunda posição depois de uma prova em que foi descobrindo e acertando o seu Citroën C3 R5 e em que apenas venceu uma prova especial.
Com dificuldades semelhantes no seu Citroën C3 R5, agravadas por um menor conhecimento do terreno, o espanhol José Maria Lopez completou o pódio após uma prova em crescendo e em que chegou a ser o melhor em dois troços cronometrados. Bruno Magalhães, num Hyundai i20 R5, também impos o seu nome uma vez na lista dos mais rápidos e foi quarto após uma corrida a pensar no Campeonato de Portugal de Ralis, competição em que obteve a maior pontuação. Logo atrás, João Silva demorou algum tempo a reencontrar o ritmo competitivo e a descobrir o Skoda Fabia R5 Evo até conseguir rodar de forma consistente entre os mais velozes.
Entre o sexto e o nono posto ficaram alguns dos habituais animadores do campeonato nacional, com José Pedro Fontes (Citroën C3 R5) a levar a melhor sobre Armindo Araújo e Ricardo Teodósio (Skoda Fabia R5 Evo) e ainda Pedro Meireles (VW Polo GTi R5). A fechar o lote dos dez primeiros classificados, Filipe Freitas levou o seu Porsche 991 GT3 à quarta posição na competição regional e ao triunfo no grupo RGT. Vítor Sá, 14º em Citroën DS3 R3T, levou a melhor sobre rui Jorge Fernandes, 15º em Renault Clio R3T, num duelo que durou entre a PE 1 e a PE 16 tanto pela vitória no agrupamento RC3 como pela primazia nos utilizadores de viaturas de tração dianteira.
Classificação final dos 11 primeiros classificados: 1.º Miguel Nunes/João Paulo, 1:40:39,5; 2.º Alexandre Camacho/Pedro Calado, +13,1; 3.º Pepe Lopez/Borja Rozada, +24,0; 4.º Bruno Magalhães/Carlos Magalhães, +34,2; 5.º João Silva/Victor Calado, +39,7; 6.º José Pedro Fontes/Inês Ponte, +1:00,0; 7.º Armindo Araújo/Luís Ramalho, +1:15,1; 8.º Ricardo Teodósio/José Teixeira, +1:42,1; 9.º Pedro Meireles/Mário Castro, +2:38,4; 10.º Filipe Freitas/Daniel Figueiroa, +4:12,4; 11.º Luís Rego/Jorge Henriques, +4:29,4; (…).

 

Print
Autor: CA

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima