27 de agosto de 2020

Nótulas de Verão

 1. Neste verão escaldante registo algumas incongruências envoltas em disparatadas tiradas em números e afirmações que baralham a mente dos cidadãos nesta época pré eleitoral, contando que a cidadania está muito por baixo e o exercício da democracia tão fraco que poderá levar a uma elevada e quão preocupante abstenção !
Numa Região pobre como os Açores, poucos se têm revelado preocupados com o caminho da atual Autonomia e muito menos com as suas Finanças que o Doutor Eduardo Paz Ferreira, a pensar no “ bem estar das populações dos Açores e da Madeira “ recentemente veio defender a alteração à respetiva Lei das Finanças Regionais, pilar central da sustentabilidade da Autonomia Constitucional. E não se passou daí! Depois veio a episódica aprovação da polémica Lei do Mar que Marcelo apontou falhas ( que podem determinar o espírito da lei )  para correção, apesar do Conselho Económico e Social dos Açores entender que a sua aprovação “ é reconhecimento das Autonomias ...” ! E vamos lá entender isto ! Nesta sequência de episódios incongruentes a Secretária Regional da Saúde anunciou que as escolas dos Açores vão passar a contar com uma Comissão de Prevenção de Comportamentos aditivos quando há dias a mesma entidade tutelar encerrou a Comissão da Dissuasão da  Toxicodependência por falta de pessoal ! E lá nos  vamos enrolando !

2. Nem todos  se terão apercebido que está em discussão pública até 11 de Setembro o chamado Relatório do Estado do Ordenamento do Território de Ponta Delgada que permite avaliar o grau de execução do PDM. As Juntas de Freguesia foram auscultadas mas como estamos permanentemente em ambiente pandémico e de confinamento o assunto passou como gato sobre brasas e nem foram ouvidas outras instituições e agremiações com vista à sua avaliação crítica e à  contribuição de cada uma delas,  para a melhoria dos eixos e desafios do futuro. É que está em causa o futuro da cidade  e do concelho, desde a valorização dos seus recursos e projetos estratégicos que tanto podem virar a cidade para o mar como requalificar os seus valiosos cartazes naturais, aproveitando as potencialidades da Ferraria, de toda a costa norte da Bretanha aos Fenais, da velha Calheta , do Pópulo  e das Milícias . Mas sobretudo para definição concreta, ponderada e séria das  prioridades do maior concelho dos Açores, com relevância para a salvaguarda do seu vasto e rico património natural e construído, as suas raízes e a sua história. Voltaremos ao assunto.

3. Os Lares estão na ordem do dia. Começo por transcrever, com a devida vénia, o editorial do prestigiado jornal Expresso que intitulou  ‘ Os Lares e os nossos idosos’ : “ Quanto mais vamos sabendo sobre o que se passou no lar de Reguengos de Monsaraz mais chocados ficamos: há fortes suspeitas de incúria, descuido e abandono - a par de uma total desresponsabilização. Era altura de os responsáveis políticos explicarem ao país o que se passou. E de passarem das palavras aos atos na proteção dos nossos mais velhos. Afinal, nesta pandemia, são eles que mais precisam de proteção. E é a eles que devemos o que temos “. As palavras deste sentido editorial aplicam-se textualmente à nossa Região que sofreu sobremaneira com esta pandemia. 
Sem ainda ninguém saber de inquéritos e outras averiguações indispensáveis à avaliação concreta e séria da situação, veio já a senhora Ministra Ana Mendes Godinho, da tutela do Trabalho e da Solidariedade e Segurança Social, revelar que “  além da falta de recursos humanos, temos que alterar as regras dos equipamentos sociais ... mais vocacionadas para um envelhecimento ativo e saudável, nomeadamente através da criação de mecanismos de apoio ao domicílio... “  A senhora ministra depois adiantou que o seu Ministério vai disponibilizar quase 200 milhões de euros para obras nos lares e até final do ano vai financiar a criação de 15 mil postos de trabalho nesta área específica do sector social. Por cá, a nível do burgo açórico, para além de obras anunciadas com pompa e alguns milhões,  aguardamos uma pausa da senhora Secretária Andréia Cardoso nas suas incessantes tarefas pré eleitorais para se conhecer o que vai acontecer aos Lares dos Açores, às averiguações  em curso, independentemente do trabalho do Ministério Público, das medidas urgentes que deverão ser tomadas principalmente as que se referem ao funcionamento interno dos Lares, a partir das inúmeras falhas detectadas durante a pandemia!  Pela gravidade e pela atualidade voltaremos a este assunto em próximas Nótulas.

4. É muito preocupante a situação financeira da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, que não merecia passar pelas sérias dificuldades com que agora se confronta. Se as ambulâncias embatucam e os computadores encravam de velhos melhor será deixar tudo como está e chamar a tutela nas emergências! É de bradar aos céus como bailam as prioridades nesta Santa Região insular!
 E na Saúde (apenas um exemplo) as coisas continuam a gerar polémica e preocupação porque o Serviço Regional  de Saúde contava em Junho com uma longa lista de espera para cirurgias de 12 809 açorianos  ! Mas quem  espera sempre alcança, nem que seja debaixo da terra!

               
               Verão de 2020,
               a 20 de Agosto 

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima