Os Açores representam Portugal no Simpósio CIOR-NATO na Estónia

O CIOR (Confédération Interalliée des Officiers de Réserve), Confederação Interaliada dos Oficiais da Reserva, em virtude das contingências da Covid-19, substituiu o Simpósio presencial “Conferência Anual do Báltico sobre Defesa” por um evento de um dia intitulado “Fortalecimento da Resiliência Social do Báltico e da Defesa Militar” em colaboração com o Centro Internacional de Defesa e Segurança. A ocorrer a 30 de Setembro em Tallinn, Estónia, os palestrantes incluem altos funcionários e políticos da Estônia, EUA, Reino Unido, Alemanha, Espanha e Portugal, iniciando-se os trabalhos com o Presidente da Estônia, H.E. KerstiKaljulaid.
Sérgio Rezendes enquanto representante português pela Direcção Nacional dos Reservistas de Portugal na Confederação de Reservistas da NATO para a DEFSEC, Defence Attitute and Security Issues Committee, terá como missão abordar e debater com os aliados os desafios actuais e emergentes de segurança e defesa global ao nível estratégico, a fim de fazer colaborar o CIOR na interoperabilidade das forças da NATO e da Reserva Aliada visando uma maior eficácia operacional das suas tropas. O investigador açoriano participará nos seguintes pontos de discussão: ilações para as nações, NATO e União Europeia da crise do COVID-19 e a sua relevância para a defesa colectiva, nacional e resiliência social; diferentes exemplos de apoio militar às autoridades civis, nesse contexto; o papel das reservas, incluindo dos membros de organizações de defesa voluntária, em ambiente previsível de ameaças militares e emergências civis como a crise Covid-19;uma possível resposta dos EUA e dos Aliados NATO a uma eventual agressão russa; opções capacidade e estrutura da força dos Estados Bálticos enquanto estratégia integrante NATO, visando dissuadir e defender-se perante esse cenário; capacidade de apoio das reservas em corresponder aos requisitos mais elevados das nossas forças; o impacto da mudança social, incluindo a mobilidade da população, desde o fim da Guerra Fria; credibilidade das estruturas de força que dependem de reservas e formas inovadoras de optimizar os recursos da sociedade para a Defesa, em caso de crise militar.
Portugal, e os Açores ficam assim com capacidade de informar e participar no desenvolvimento de políticas centradas na Aliança, face à rápida evolução nas tensões internacionais, colaborando com diferentes visões nacionais, corporativas e mesmo académicas numa sã relação entre a NATO e os Ministérios de Defesa. A comprová-lo, o facto do Ministro da Defesa Nacional de Portugal, João Gomes Cravinho, ser o primeiro interveniente seguindo-se o seu homónimo estónio, Jüri Luik. Ao longo do dia, mais de seiscentos participantes irão estarem sessões cujos intervenientes são Baroness Goldie, Ministra de Estado do Ministério da Defesa do Reino Unido; Elena Gómez Castro, Directora de Política de Defesa do Ministério da Defesa de Espanha; Jan-Olof Lind, Secretário de Estado do Ministério da Defesa da Suécia; Janne Kuusela, Directora-Geral do Departamento de Política de Defesa do Ministério da Defesa da Finlândia; General Jörg Vollmer, Comandante das Forças Conjuntas de Brunssum; Tenente General Christopher G. Cavoli, Comandante do Exército dos EUA na Europa; Vaidotas Urbelis, Director de Política de Defesa do Ministério da Defesa da Lituânia e Mark Lancaster, ex-Ministro das Forças Armadas e Brigadeiro da Reserva do Exército, Reino Unido.
A Liga dos Reservistas representou a Reserva Voluntária de Portugal pela primeira vez na Confederação de Reservistas da NATO em fevereiro de 2020, tendo o Chefe da Delegação Portuguesa, comandante Bellem Ribeiro, participado no seu órgão máximo, o CIOR Council, que agrega os representantes dos Reservistas Aliados na sede da NATO em Bruxelas. A responsabilidade atribuída pelo Estado-Maior Geral das Forças Armadas (EMGFA) aos Reservistas junto da Aliança compele a melhorar o conhecimento NATO sobre o nosso país, disponibilizando aconselhamento e consultadoria sobre matérias relacionadas com as Reservas junto de instâncias como o Comité Militar, apoiando as orientações e contribuindo para a sua execução. Em sentido contrário, aos Reservistas Voluntários cabe promover as capacidades de Defesa Colectiva da NATO como factor primário de segurança e defesa dentro do Conceito Estratégico da Defesa Nacional, com destaque junto das escolas portuguesas pelo que são Embaixadores NATO. 
Enquanto professor e Embaixador NATO, Sérgio Rezendes promove junto dos alunos do Colégio do Castanheiro, ou de qualquer escola que solicite o projeto, vários valores que visam preparar os alunos para as múltiplas exigências da sociedade contemporânea, tendo em conta a relação entre o indivíduo e o mundo que o rodeia, contribuindo para um conjunto de domínios transversais e multidisciplinares da Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania por intermédio de actividades e projectos que promovem o relacionamento social e intercultural; a democracia; o desenvolvimento sustentável; a globalização e interdependência; a Paz e a gestão de conflitos. Para esta mudança, os Reservistas de Portugal contam com a colaboração do Instituto da Defesa Nacional, de que Sérgio Rezendes é auditor, e de uma vasta experiência na formação de Cadetes Voluntários que, em voluntariado cultural nas escolas, auxiliam a leccionação do Programa de Cidadania (Referencial de Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz) a convite das direções das mesmas.
Enquanto unidades próprias dos núcleos de Reservistas, as Unidades de Cadetes aprendem e divulgam a cultura de Defesa, Alianças e Forças Armadas junto dos outros jovens, tornando-se embaixadores EMGFA junto dos colegas, enquadrados pelos Reservistas. Em consequência, os Reservistas Voluntários assumiram junto do EMGFA, a execução de debates sobre Defesa e Forças Armadas junto das escolas, ainda que temporariamente suspensos nos meses que se avizinham, podendo contar com o apoio dos seus pupilos, os Cadetes do Mar (Marinha) e Defesa (Exército) se necessário.
O Núcleo de Reservistas dos Açores gere, enquanto não surgem novas escolas que se proponham ao projeto, as Unidades de Cadetes do Mar e Defesa do Colégio do Castanheiro. Interrompido pela crise Covid-19, o Núcleo de Reservistas dos Açores ainda conseguiu nos primeiros meses de 2020,empenhar cerca de meia centena de cadetes/participantes em actividades com a colaboração do Regimento de Guarnição N.º 2 e o Patrulha Oceânico atribuído à Zona Marítima dos Açores. A nível nacional, o núcleo presidido pelo Tenente Sérgio Rezendes, foi pioneiro ao disponibilizar-se para colaborar junto do EMGFA no contexto da pandemia Covid-19 (via Comandos de Zona Marítima e Militar) e apadrinhou a fundação do seu homónimo do Porto que adoptou o Regimento da Serra do Pilar como unidade anfitriã, para além do Museu Militar do Porto, aliás à semelhança do que sucede cá, com o Museu Militar dos Açores. Ultrapassada a presente crise, o núcleo continuará a apoiar a exposição sobre 100 anos de Aeronáutica Naval nos Açores, presentemente a percorrer o arquipélago, ou eventualmente outras cujos comandos militares entendam desenvolver; promover os valores da Defesa, Forças Armadas e Aliança Atlântica nas aulas do Referencial de Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz junto às escolas; participar em acções com os cadetes, em colaboração com as unidades militares, capitanias e navio atribuído à Zona Marítima e promover o 1.º Congresso Açoriano de Reservistas. Dado o atual contexto de trabalho à distância, surge no evento do dia 30, na Estónia, a possibilidade dos alunos do Colégio do Castanheiro acompanharem on-line as actividades do CIOR-NATO, a executar caso seja possível assegurar todas as medidas impostas às escolas em virtude da Covid- 19, e eventualmente, sempre de modo seguro, abrir a outras instituições escolares e académicas. O Colégio do Castanheiro é a única escola a nível nacional a aceder ao evento.
Licenciado em História e Ciências Sociais (Via Ensino) e Doutor em História Insular e Atlântica (séculos XV-XX); antigo oficial do Exército e sub-director do Museu Militar dos Açores; detentor e com experiência docente no Mestrado em Património, Museologia e Desenvolvimento e na licenciatura de Estudos Europeus e Política Internacional na academia açoriana, Sérgio Rezendes acresce ao seu currículo de Auditor de Defesa Nacional e de vogal da Comissão de Turismo Militar dos Açores da Defesa Nacional, a representação por Portugal no DEFSEC, inserindo o arquipélago numa abordagem directa e nacional junto dos seus aliados e vizinhos europeus e atlânticos por intermédio da maior organização de oficiais da reserva militar do mundo composta por 34 países no total, representando 1,3 milhões de reservistas.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima