BE quer transportes públicos mais baratos para o utilizador e menos poluentes para o ambiente

O Bloco de Esquerda assinalou ontem o Dia Europeu Sem Carros com uma viagem simbólica de autocarro na cidade de Ponta Delgada. António Lima, candidato do BE ao Parlamento dos Açores, apresentou as principais propostas do partido para o sector dos transportes públicos terrestres: baixar os preços, melhorar horários e rotas e apoiar a transição para autocarros eléctricos.
A primeira proposta do Bloco de Esquerda para os transportes públicos é baixar significativamente o preço do passe, para que, por exemplo, quem ganha o salário mínimo possa trabalhar fora da sua área de residência sem deixar uma parte significativa do salário em transportes. Actualmente, um passe entre Ribeira Grande e Ponta Delgada custa 51 euros por mês e apenas permite circular nesta rota, quando um passe para a área metropolitana de Lisboa custa 40 euros e permite circular sem limitações entre diversas cidades e entre vários operadores.
O objectivo do BE é fazer com que o transporte público possa ser “uma primeira solução para muitas pessoas e não uma alternativa de recurso para quem não tem transporte próprio”. Para isso, além de propor a redução do preço, o Bloco propõe a melhoria de rotas e horários.
“Os transportes públicos nos Açores são do século passado. Não se actualizaram e não servem as pessoas”, disse António Lima, que defendeu uma aposta séria na renovação da frota de autocarros através da atribuição de apoios públicos à compra de autocarros eléctricos.
António Lima, na nota enviada às redacções, diz mesmo que os transportes públicos têm sido desprezados nos Açores pelo Governo Regional e pelas autarquias, e deu o exemplo de Ponta Delgada, que continua sem ter um terminal de autocarros: “não há um local digno para as pessoas comprarem bilhetes e esperarem pelo autocarro”.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima