Equipas açorianas participam em projecto da ESA que recorre a tecnologia avançada para detectar lixo marinho

Equipas açorianas participam no projecto de detecção de lixo marinho ‘Spectrometer for marine litter’, financiado pela Agência Espacial Europeia (ESA), que testou, na baía de Porto Pim, na Horta, tecnologias de percepção sensorial com capacidade de detecção de plásticos em zonas costeiras e em águas pouco profundas.
O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia congratulou-se com o envolvimento  dessas equipas. Presente na apresentação dos resultados deste projecto, Gui Menezes considerou-o “muito interessante e oportuno”.
Com um financiamento de 200 mil euros pela ESA, o ‘Spectrometer for marine litter’ foi promovido pelo Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) em parceria com o IMAR, o Instituto OKEANOS e o AIR Centre, e contou com a colaboração do Fundo Regional da Ciência e Tecnologia.
O objectivo foi validar e desenvolver tecnologia para utilização em satélites de monitorização, com vista à deteção de plásticos no mar.
“Cada vez mais, vamo-nos apercebendo do problema da poluição dos oceanos por plásticos, que é um problema mundial, desde a superfície até ao fundo do mar, desde o Pólo Norte até ao Pólo Sul, e os Açores não estão imunes”, disse o Secretário Regional, em declarações aos jornalistas.
Gui Menezes salientou que as tecnologias que estão a ser testadas no âmbito deste projeto podem ser muito úteis para recolher informação acerca da quantidade e das rotas dos plásticos que se encontram no mar, acrescentando que “podem também utilizadas para outros fins, como a monitorização de mamíferos marinhos, quando estiverem mais desenvolvidas”.
“É muito interessante ver que existem equipas nos Açores envolvidas nestes projectos”, disse, sublinhando que estas parcerias “vêm ao encontro da estratégia do Governo dos Açores de internacionalização dos centros de investigação, de impulsionar as cooperações internacionais e nacionais”.
“É destas parcerias e destas colaborações que, de facto, surgem inovações”, afirmou.
Para além deste projecto, Gui Menezes adiantou que “recentemente foram aprovados mais dois projectos na Região financiados pela ESA, envolvendo entidades regionais”.
Um desses projectos é o ‘Ports of the Future’, aprovado na semana passada, que integra a empresa Amber Jack Solutions, o AIR Centre, a Portos dos Açores e outras entidades europeias, e é liderado pelo INESC TEC.
Este projecto visa estudar a viabilidade de soluções de monitorização em tempo real, através de múltiplas fontes de dados em portos, que pretende contribuir para um objectivo mais vasto de desenhar e construir os portos oceânicos do futuro, recorrendo a tecnologias capazes de aumentar a sua eficiência operacional e diminuir a sua pegada ecológica.
Destaque ainda para o projecto, aprovado Segunda-feira, que será liderado pela empresa Eyecon, sedeada no TERINOV, na área do cálculo e detecção automática de deslizamento de terra e taludes.
Neste último ano, a ESA aprovou três projectos na Região, envolvendo entidades açorianas, num investimento global de cerca de meio milhão de euros.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima