Bolsas ‘Dr.ª Conceição Araújo Oliveira Louro’ chegam a mais de 300 universitários açorianos com dificuldades económicas

 O Centro Cultural da Caloura acolhe e promove as bolsas de estudo “Dr.ª Conceição Araújo Oliveira Louro”, atribuídas pelo mecenas Armindo Louro, destinadas aos estudantes açorianos que frequentem cursos de licenciatura ou de mestrado.
O prazo de candidatura às bolsas de estudo vai decorrer desde hoje a 30 de Outubro de 2020.
Nos últimos anos já foram atribuídas mais de trezentas bolsas que, segundo os promotores, “em muito beneficiaram os estudantes açorianos”.
As bolsas de estudo ‘Dr.ª Conceição Araújo Oliveira Louro’ são atribuídas semestral ou anualmente, em número a definir, de acordo com a disponibilidade financeira anualmente atribuída, e em regime de mecenato, por Armindo Louro. 
As bolsas destinam-se a estudantes açorianos, com residência oficial comprovada nos Açores e a frequentar pela primeira vez um curso superior de licenciatura ou de mestrado, numa instituição portuguesa de ensino superior. Destinam-se ainda, a estudantes portugueses deslocados, apenas nos casos em que estes estudantes estejam a frequentar a Universidade dos Açores e com residência oficial comprovada nos Açores. As Bolsas não se destinam a estudantes estrangeiros ou Erasmus. 
A aprovação das bolsas de estudo é da responsabilidade do mecenas, mediante proposta da Comissão de Análise e Acompanhamento.
As Bolsas de Estudo têm por objectivo “promover a justiça social, suprindo incapacidades económicas de estudantes”; valorizar o desenvolvimento cultural e a mobilidade social de estudantes menos favorecidos; e promover a inclusão de estudantes com necessidades educativas especiais; e premiar o mérito excepcional de estudantes”. Podem ser Sociais, de Necessidades Educativas Especiais/NEE;  Bolsas de Mérito; Bolsas de Transportes, Alimentação e/ou Material Escolar; e Bolsas para pagamento de Serviços de Voluntariado no CCC ou colaboração em Projetcos Educativos ou de Investigação, devidamente aprovados pela instituição. 
As bolsas sociais, num montante de quinhentos euros semestrais, ou mil euros anuais, contribuem para o pagamento de propinas dos estudantes que reúnam concomitantemente determinadas condições, nomeadamente serem, preferencialmente, não bolseiros do Estado ou de outra qualquer bolsa; que comprovem documentalmente a sua situação de carência económica, mediante a declaração de IRS (própria ou do agregado familiar) e 3 outros documentos capazes de fazer prova dessa situação de carência económica; e que necessitem de ajuda para o prosseguimento dos seus estudos no ensino superior. 
São atribuídas anualmente duas bolsas de Mérito, desde que os estudantes se encontrem matriculados no 2º ano e seguintes do curso de licenciatura e que se destaquem pelo seu mérito académico no ano anterior ao pedido de bolsa, com média igual ou superior a 17 valores, devidamente comprovada, com declaração passada pelos serviços académicos da instituição que frequenta; se encontrem matriculados no 2º ano do mestrado e que se destaquem pelo seu mérito académico anterior e com média igual ou superior a 17 valores (ou Muito Bom), devidamente comprovada, com declaração passada pelos serviços académicos da instituição que frequenta e, preferencialmente, que não sejam abrangidos por qualquer outra Bolsa de Estudo. 
Quando não houver condições para atribuir as duas bolsas contempladas nesta tipologia, as mesmas revertem a favor das bolsas sociais. 
Podem ser atribuídas bolsas anuais com a finalidade de apoiar as despesas com alimentação, transportes e material escolar, num montante anual não superior a quatrocentos euros, mediante prova de carência económica. 
As bolsas de estudo são atribuídas anualmente e imputadas aos estudantes em duas tranches, durante os meses de Novembro e Fevereiro, dos respectivos anos lectivos, sempre mediante comprovativo do aproveitamento académico do 1º semestre, salvo no primeiro semestre do primeiro ano do ciclo de estudos. 
Os alunos que recebem as bolsas comprometem-se a contribuir, na medida das suas possibilidades ou competências, para o voluntariado no Centro Cultural da Caloura, em prestações de serviço ou em projectos de investigação, compatíveis com a sua situação. As horas de serviço poderão ser pagas pelo fundo das bolsas, desde que tal se justifique; 
Comprometem-se, igualmente, em desenvolver o espírito de solidariedade e inter-ajuda, ajudando, no presente e futuro, outros estudantes carenciados, na medida das suas possibilidades. 

Quem é Armindo Louro?

Armindo Louro é uma figura muito prestigiada da Costa Leste dos Estados Unidos da América, tendo emigrado aos 19 anos de Pombal (Portugal), de onde é oriundo, aos dezanove anos de idade. 
Fez os seus estudos superiores no país de acolhimento, tendo-se licenciado em Engenharia Civil na University of Massachusetts, em 1977. 
Posteriormente, em conjunto com familiares, criou uma Companhia de Construção Civil, na cidade de Fall River. 
O nome das bolsas ‘Dr.ª Conceição Araújo Oliveira Louro’ surge em homenagem a esta médica, que foi casada com o mecenas e que faleceu com o desejo de ajudar estudantes portugueses carenciados. 
                                                                         

 J.P.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima