18 de outubro de 2020

Recados com Amor

Meus Queridos! Percebo que todos os partidos políticos que querem ter os melhores resultados possíveis nas eleições do próximo Domingo queiram que os Açoreanos votem, mas esse desejo não pode levar ao abuso de poder, como agora foi considerado pela Comissão Nacional de Eleições o facto do Governo Regional ter, através do e-mail da Autoridade Tributária, feito um apelo ao voto… Ao Governo compete, em termos administrativos, preparar o acto eleitoral, e aos partidos e à Comissão Nacional de Eleições incentivar ao voto. Devido aos anos que tenho de tarimba, esses deslizes não me fazem moça… mas a César o que é de César e a Deus o que é de Deus!


Meus queridos! O Governo do meu querido Presidente Vasco Cordeiro resolveu dar um voucher de 35 euros a cada passageiro que venha de fora e traga o teste do corona já feitinho… Uma medida que, como diz a minha prima Maria da Praia, não se discute e que é uma ajuda simbólica numa altura em que se sabe que grande parte dos hotéis que tiveram coragem de abrir no Verão… preparam-se agora para fechar portas no Inverno… O que me intriga no meio de tudo isto é que nas regras para gastar o dito pilim esteja uma que diz que o dito voucher só pode ser utilizado numa transacção e não pode ter troco em dinheiro… Então, o turista entra num restaurante, gasta dez euros ou quinze e deixa lá um voucher de 35 euros? E depois, o restaurante, como tem de juntar a factura comprovativa, também recebe os ditos dez ou quinze euros… e o resto “fica dentro”. Não seria mais fácil que pudesse haver o troco, ou seja, que o voucher correspondesse a dinheiro, sem mais aquelas? Para mim, que pouco entendo dessas contas, isto até parece que é dar com uma mão e apanhar com a outra…. Isso é que é cada complicação!

Ricos! Não me meto em campanhas eleitorais, porque acho que é um tempo em que se faz a chamada festa das palavras e cortejo das promessas. Mas, como mulher que gosta de andar informada, lá vou ouvindo e lendo algumas coisas e não leio mais para não me dar algum fanico. Mas não posso deixar de dizer o quanto me espantou a declaração do PAN a exigir que devia haver mais verbas para a Saúde, mesmo que fosse à custa da lavoura. Eu poderia esperar uma tirada dessas de todos os partidos, menos do PAN. E então, ricos, os animais, como é? Pobres das vaquinhas de leite e carne, que iam ficar tão mirradinhas… O que acho é que em política nem sempre vale dizer tudo… É que agora tenho andado a pensar se haverá um lavrador por aí que vote em quem lhe quer dar uma dentada nos rendimentos, mesmo que seja pela sua saúde! De qualquer forma, e porque gosto das coisas direitinhas, tenho de dizer que  gostei da proposta do PAN porque colocou as pessoas antes dos animais…. É uma evolução que merece ser saudada…

Meus queridos! A minha prima da Rua do Poço esteve, no dia 14, mesmo debaixo de chuva, a ver com interesse os movimentos de pessoal no interior dos esqueletos das galerias da Calheta, na hora da inspecção que foi feita pela comissão de peritos da Câmara da minha querida Presidente Maria José. Claro que encontraram tudo limpinho e a minha prima está curiosa a contar os dias para a 28 de Outubro ser divulgado o prometido relatório, a ver em que param as modas e o capítulo que se vai seguir. Ela diz-me que agora aquilo até tem um vigia a tempo inteiro, coisa que nunca aconteceu, desde que há anos um lá apareceu morto. O que ela, nem ninguém da vizinhança entende, é que mistério andará por ali que leve a que, pelo menos, avance a demolição e o ajardinamento, ficando o hotel, que toda a gente sabe que não dá jeito nenhum agora, para uma segunda fase. Assim, nem avança o tão necessário parque de estacionamento, nem o jardim, nem nada. Até parece que já rasgaram o contrato e aquilo ficou terra de ninguém…

Ricos! E como uma desgraça nunca vem só, ali mesmo ao lado das defuntas galerias da Calheta, a Câmara há anos inaugurou um bonito painel envidraçado com uma pintura de Domingos Rebelo e que faz parte do Roteiro do grande pintor, em torno da cidade de Ponta Delgada. O dito cujo foi apedrejado e lá está com o vidro partido à espera que alguém lhe ponha a mão. Como diz a minha prima da Rua do Poço, em cima da desgraça vem o desmazelo… E para os vândalos e ladrões que por aí abundam, a coisa cada vez está mais fácil, porque a polícia não dá para as encomendas nem tem meios de chegar a tudo. É o que temos!

Meus queridos! Tenho cá andando a parafusar como é que vou colocar a tal aplicação do Primeiro-Costa no meu telelé que, coitadinho ainda é da segunda geração, dos anos noventa e nem tem um joguinho sequer, para me entreter. Não sei se o Parlamento vai mesmo aprovar, mas pelo que me vai dizendo a minha sobrinha-neta, que gosta muito de andar pelas redes sociais, a coisa tornou-se no prato humorístico da semana… e há quase uma revolução facebookiana contra a dita cuja APP. Como é que um polícia me vai abordar e dizer que eu tenho de ter telelé comigo se não há lei que obrigue a andar com telefone na mão ou na mala? E no ambiente de trabalho, como pode entrar um agente de autoridade sem mandato? E se o infectado que vai ficar com um número de código como se fosse um presidiário, sai e resolve deixar o telelé em casa? Eu não entendo muito dessas coisas, mas neste caso…. o sapateiro foi mesmo além da chinela.

Ricos! Já agora gostava de saber quem é que pagou os muitos euros que custou fabricar a dita cuja aplicação e que contou com o anúncio gratuito do Presidente da República, do Primeiro-ministro Costa, e dos analistas políticos semanais Marques Mendes e Paulo Portas…. Se não são mais de 200 utilizadores, não é pela falta de tão nobre e abundante publicidade gratuita…

Ricos! Quando a gente anda frequentemente a criticar e lamentar o ensino e as nossas escolas, que infelizmente têm andado nos últimos lugares de quase todos os rankings (creio que é o anglicismo da moda), é bom que haja notícias que são como oásis num deserto…. Por isso fiquei muito contente ao saber que a Escola Básica e Secundária do Nordeste arrecadou seis prémios no VI Concurso Regional “Palavras com História” (ano lectivo 2019-2020) ao qual concorreram 389 alunos de 20 escolas dos Açores. Este ano o tema do concurso de escrita foi “Viagem”… e, se calhar, devido mesmo à quase impossibilidade de viajar, devido à pandemia, os alunos esmeraram-se nas suas fantasias escritas. Um bom exemplo de como se pode estimular a leitura e a escrita. Quem sabe se de algum (menino ou menina) dos premiados de agora não sairá um escritor de futuro? E o Nordeste tem-nos dado bons e famosos frutos na arte de bem escrever… Por isso, deixo aqui um ternurento beijinho para alunos e professores da Escola de Nordeste felicitando-os pela proeza que conseguiram…

Meus queridos! A gente sabe que com esta crise que por aí vai, há milhares de pessoas que não sabem o que fazer da sua vida e só sabem que o futuro é incerto… Mas há actividades que não justificam estar paradas, até porque são ao ar livre e sem riscos para a saúde. Lembrei-me disto num dia destes, ao ver o tamanho das ervas que crescem ao Deus dará nas bermas das nossas estradas e também das SCUT e que aguardam há meses uma boa capinadela… Em vários pontos da ilha do Arcanjo, juro que nunca as estradas estiveram tão mal cuidadas como estão agora... Se fosse noutro tempo não faltariam os medidores de erva a bater no ceguinho todos os dias, mas agora quem manda é o silêncio, e a desculpa vai sempre bater na Covid e nos confinamentos. O que eu acho é que como não há turismo, se calhar pensam que os residentes não olham para as bermas das estradas nem das ruas e canadas por onde passam… Tenham dó!

Meus Queridos! Há coisas que nem sabemos explicar e que vão acontecendo neste país à beira mar plantado. Há dias, foi notícia um assalto feito por um indivíduo no Norte, que acabou numa corrida entre o assaltante e a polícia, entre um tiroteio que atingiu a noiva do dito assaltante, que deixou a vítima à porta do hospital e que de seguida morreu… enquanto o assaltante continuou em fuga… A polícia andou à caça do dito cujo, mas não o achou, apesar dele ter aparecido nas redes sociais, instalado num hotel de luxo no Porto, exibindo uma garrafa de champanhe francês que custa uns bons eurinhos… Até que um agente da GNR, que estava de folga, avistou o dito cujo atrás de uma capela em Braga… e acabou cercado e detido. A minha prima Angélica diz que o pobre diabo que andava a assaltar carros e a roubar tudo o que via à frente… devia estar naquela altura a rezar a Nossa Senhora pedindo ajuda para novos assaltos …. E de caminho, pedindo perdão pelo mal que carrega às costas!... André Pirata, é um homem de sorte… Foi libertado da cadeia na altura do perdão da Covid-19, o tiro da polícia atingiu a noiva e não ele… sabe tratar-se bem em hotéis de luxo… e só é apanhado quando rezava atrás de uma Capela… Angélica diz que ele de repente ainda se livra de voltar à cadeia, tal é o seu saber no sector do crime!...

E já que falo de crime, gostei de saber que o principal responsável pelo roubo das armas de Tancos entregou às autoridades mais uma tranche das armas  roubadas… A minha prima Genoveva diz que o homem tem escola, porque por cada entrega que faz ao abrigo da lei fica com a pena aliviada e, de repente, depois da condenação ainda sai em liberdade, em troca da sua generosidade, e alguns outros dos envolvidos no encobrimento do encontro das ditas cujas armas ainda podem ir parar ao xelindró! 
Quem sabe… sabe !...

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima