Pareceres científicos são favoráveis aos stocks no arquipélago

Comissão Europeia corta na quota do goraz do continente mas mantém intocável as mais de 500 toneladas dos Açores

 A Comissão Europeia quer cortar as capturas de goraz e de peixe-espada preto, deixando a Lisboa a responsabilidade por este corte em águas do continente, no âmbito da proposta de pesca para espécies de águas profundas em 2021 e 2022. Estes cortes não abrangem os Açores.
 De acordo com a proposta de totais admissíveis de capturas (TAC) para três espécies de águas profundas ontem apresentada aos Estados-membros, Bruxelas, com base em pareceres científicos, propõe uma redução de 25%, para as 2.113 toneladas, face a 2020, das capturas de peixe-espada preto nas águas ibéricas da Baía da Biscaia.
 Para as águas portuguesas, nomeadamente nas regiões autónomas, será Lisboa a fixar as possibilidades de pesca de peixe-espada preto.
Os TAC de goraz, por seu lado, são reduzidos para um total de 118 toneladas em 2021 (menos 20% do que as 149 deste ano), sendo a proposta válida também para 2022.
Segundo o gabinete do Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, esta redução das capturas do goraz é para a zona do mar de Portugal continental e não abrange o mar dos Açores onde os pescadores açorianos mantêm a sua quota acima das 500  toneladas intocável.
Aliás, segundo o gabinete do governante, os pareceres científicos indicam a possibilidade de um aumento de quota para o goraz nos Açores, o que seria relevante para os pescadores desta espécie.
Até ao dia 15 de Setembro foram capturadas no mar dos Açores 173,3 toneladas de goraz, no valor de primeira venda de 2,9 milhões e euros, e 207,5 toneladas de peixão, no valor de 1,7 milhões de euros. As duas espécies contribuem para uma captura única de goraz de 380,8 toneladas de goraz, no valor de 4,6 milhões de euros.
As embarcações com licença para a pesca do goraz vão intensificar as capturas nos próximos meses de Novembro e Dezembro, sobretudo no período anterior ao Natal, altura em que os preços são mais elevados no mercado de exportação, nomeadamente em Espanha.
As capturas de lagartixa-da-rocha nas zonas de Skagerrak e Kattegat, espécie que integra as capturas acessórias, são reduzidas em 90%, para as cinco toneladas.
 Os TAC de outras espécies de profundidade em águas da União Europeia, como o imperador e unidades populacionais estão pendentes de um acordo com o Reino Unido.
 Bruxelas introduz ainda a proibição total das capturas de todos os tubarões de águas profundas.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima