25 de outubro de 2020

O Multibanco no “Meu Super”


       Há perto de vinte anos que foi colocada nos Ginetes uma destas famosas máquinas “ATM” melhor conhecidas entre nós por “Caixa Multibanco” que quando funcionam correctamente descomplicam a vida à nossa gente e a quem nos visita, mesmo se sabemos muito bem que este ano devido à pandemia do Covid-19 os visitantes foram e ainda são muito poucos.
Vivia eu num outro grande país quando apareceram as primeiras máquinas do género tendo como grande objectivo influenciar as pessoas a não guardar “dinheiro vivo” em casa pois a taxa de criminalidade era demasiado elevada no assalto a residências sobretudo de gente mais idosa. Fomos progredindo lentamente e passados alguns anos os cheques de viagem praticamente desapareceram pois em qualquer parte do mundo, creio eu, podemos ter acesso aos valores autorizados por uma instituição bancária evitando assim ter que apresentar os mais variados documentos que nos eram exigidos quando viajávamos num país que não o de residência habitual. Foi assim que sucedeu vários anos comigo e com outros como eu na altura em que nada disto existia, sendo um procedimento normal por segurança mas causando muito tempo de espera numa operação bancária que hoje se faz em menos de 1 minuto. 
       Hoje todos estes problemas estão praticamente ultrapassados, excepção feita se a Caixa Multibanco decide simplesmente “não cumprir a missão” para a qual foi inventada.
       Felizmente temos duas aqui nesta terra, uma situada no Edifício da Secção Destacada de Ginetes dos Bombeiros Voluntários de Ponta Delgada, que funciona muito bem, excepção feita quando já não tem dinheiro, e outra colocada no “Meu Super” que tem um vício muito feio que é o de “engolir cartões”. 
       Aparentemente bonita, muito fácil de manusear, mas tem este defeito desde o início e de tal o Banco responsável sabe-o muito bem. Se não tem conhecimento é porque alguém não cumpriu o seu dever. Penso mesmo que é rara a semana que não aparece com problemas. É verdade que nos emitem outro cartão quando tal sucede, mas o tempo que as pessoas esperam sem poder efectuar qualquer transacção pode ser complicado para alguns. Estamos a cerca de vinte e cinco quilómetros de Ponta Delgada o que deveria pesar na consciência dessa gente que sabe como se vive numa terra tão pequena. Hoje se não tens dinheiro ou cartão de débito ou crédito ficas de mãos vazias, pois os velhos comerciantes que tanto faziam para apoiar em momentos difíceis a sobrevivência de muitas famílias foram confrontados com “gigantes” contra os quais não conseguiram defender-se. Melhor dizendo: agora “não há fiados”. Tens dinheiro compras e levas para a tua casa…não tens dinheiro desenrasca-te.
       Sei que a loja do “Meu Super” de Ginetes nada tem a ver com os problemas do Multibanco, mas infelizmente os funcionários e funcionárias, por mais simpáticos sejam eles, acabam por “apanhar de tabela” como dizemos em linguagem popular. Tive conhecimento que ainda recentemente um indivíduo que se dirigiu à referida máquina para levantar dinheiro, esta não apenas lhe “engoliu” o cartão como igualmente não deu quantia alguma, mas enviou-lhe o saldo como se a operação tivesse sido efectuada. Grande parte das pessoas dos Ginetes já têm receio de se aproximar desta “maldita” máquina, pois preferem dar mais uns passos e dirigirem-se àquela que se encontra na Sede dos Bombeiros.
       Neste período de pandemia que atravessamos em que nos solicitam ficar em nossas casas desde que possível, utilizar o telefone para evitar ajuntamentos, por amor de Deus as Instituições façam também a parte que lhes compete.  
       Não conheço os termos do acordo entre a loja do “Meu Super” e a Instituição a que pertence esta máquina que de pouco serve, mas certamente lá não está apenas para ornamentar um pequeno espaço da fachada do edifício. 
       Espero que este problema seja resolvido como todos merecemos. Estou certo que se tal sucedesse em Ponta Delgada há muito estaria solucionado.
       É verdade que a distância que nos separa não ajuda, mas mesmo assim com um pouco de compreensão e respeito por esta gente não é nada difícil de resolver. Apenas boa vontade…nada mais.
 

Print

Categorias: Opinião

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima