PS/A perdeu maioria absoluta e procura solução estável e PSD/A disponível para diálogo com todos os partidos

O PS/Açores venceu as eleições legislativas regionais com 39,13% dos votos e a eleger 25 deputados, perdendo 5 deputados e ficando a 4 deputados da maioria absoluta. Os socialistas açorianos perderam 2.565 votos em relação às eleições regionais de 2016.
A segunda força política mais votada foi o PSD/Açores com 35,091% dos votos, elegendo 21 deputados, mais dois do que nas últimas eleições legislativas regionais. Os sociais-democratas açorianos obtiveram mais 6.301 votos do que nas eleições de 2016. O PSD/A foi mesmo o único partido do arco da governação na Região a crescer em termos eleitorais.
Quer o PS/Açores como o PSD/Açores procura soluções governativas. O líder do partido mais votado, Vasco Cordeiro, procura um entendimento para uma solução governativa estável. Isto enquanto José Manuel Bolieiro – com 21 deputados, menos 4 que o PS - tenta unir a direita que é maioritária na Assembleia Legislativa Regional. 
Assim, está tudo em aberto. Quer à esquerda, quer à direita, é possível uma solução governamental de giringonça, como foi conseguida, a nível nacional, pelo líder socialista, António Costa, (mesmo não tendo a maioria dos votos), para formar o próximo Governo dos Açores. 

O que farão os pequenos partidos?

Os açorianos estão na expectativa sobre o que farão os pequenos partidos com grupo parlamentar ou representação parlamentar na próxima Assembleia Legislativa Regional. Quem conseguirá formar governo estável na miscelância de partidos com assento parlamentar? E será que o novo governo conseguirá estabilidade para um mandato? Duas das grandes incógnitas que resultaram da noite eleitoral.
O CDS/PP manteve-se como terceira força política mais votada, com 5,51% dos votos, elegendo 3 deputados, menos 1 do que nas eleições de há quatro anos. Os centristas perderam 840 votos em relação às eleições regionais de 2016.
O CHEGA foi a quarta força política mais votada nos Açores com 5,06% dos votos, elegendo dois deputados à Assembleia Legislativa Regionais com 5.260 votos. O ‘CHEGA foi mesmo a grande surpresa da noite eleitoral atingindo o objectivo a que se proponha, ter um grupo parlamentar no Parlamento dos Açores.
O Bloco de Esquerda obteve 3,81% dos votos elegendo dois deputados, com 3.962 votos. 
O PPM atingiu os 2,34% dos votos, elegendo um deputado por São Jorge. Elegeu um deputado, Gustavo Alves pelas Flores. E manteve, em coligação com o CDS/PP o deputado na ilha do Corvo. Assim, o PPM surge no novo Parlamento com um grupo parlamentar.
O PAN obteve 1,93% dos votos, elegendo um deputado, Pedro Neves, pelo círculo de compensação.
O Iniciativa Liberal obteve 1,93% dos votos. Pelo IL foi eleito Nuno Alberto Barata Almeida e Sousa pelo círculo de compensação.
Pela coligação PPM/CDS.PP foi eleito Paulo Estêvão, pelo Corvo com 0,11% dos votos.
A coligação PCP/PEV perdeu a sua representação parlamentar no acto eleitoral de domingo.
A abstenção de 54,58%, embora continue alta, foi inferior à das últimas eleições regionais.
                                                 

 J.P.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima