Associação de Táxis de Ponta Delgada quer criar aplicação de telemóvel para modernizar sector

A Associação de Táxis de Ponta Delgada está, em conjunto com uma empresa da região, a desenvolver uma aplicação informática para telemóvel que facilitará o acesso dos cidadãos ao serviço de táxi, tal como revela o seu principal responsável António Feleja.
 “Trata-se de uma aplicação que pode ser descarregada no telemóvel, tipo my táxi. A pessoa quer um táxi e se não quiser telefonar para o número fixo da central tem essa aplicação”, adianta António Feleja que explica também algumas das características e valências que esta plataforma teria.
“Nessa plataforma aparece a cara do condutor e a pessoa tem o poder de escolha sobre uma viatura de 4, 6 ou 8 lugares. Pode escolher se quer um condutor que fale inglês ou francês e pode também ficar a saber a estimativa do preço a pagar pela viagem e o tempo que a viatura demorará a deslocar-se até ao local pretendido para pegar o cliente”, salienta.
Para o Presidente da Associação de Táxis de Ponta Delgada a futura entrada em funcionamento desta aplicação constitui-se também como um claro sinal, transmitido pelos profissionais, de que o sector quer evoluir e adaptar-se aos novos tempos.
“Os taxistas sempre foram acusados de não se quererem desenvolver e progredir e isto é também uma maneira de demonstrar que queremos ser modernos e eficazes”, afirma.
António Feleja admite que a Associação de Taxis de Ponta Delgada não possui capacidade financeira para avançar sozinha com este processo de modernização e que a ajuda das entidades governamentais é indispensável.
“É uma plataforma que queremos implementar cá com o nome da região e da Associação de Táxis e que seria financiada pelo Governo porque nós não temos capacidade para isso (…) Mesmo para o Governo seria positivo porque está a incentivar e a ajudar uma tecnologia avançada para ser implementada no sector do táxi e que também seria boa para as próprias pessoas”, considera.
O projecto está a ser desenvolvido pela empresa AçoresPRO que dentro de 6 meses terá a aplicação totalmente desenvolvida.
Com o sector a atravessar por uma grave crise devido à pandemia de COVID-19, o principal responsável pela Associação de Táxis de Ponta Delgada mostra-se preocupado com a situação vivida por muitos destes profissionais.
“Este passado mês de Outubro foi terrível apesar de em Setembro ter sido ligeiramente melhor. Outubro foi muito baixo e esperamos que os próximos meses, até Janeiro, sejam também assim. Não estamos a ver um cenário muito animador mas há que ter esperança. Tenho colegas que fazem 20 ou 25 euros por dia”, lamenta.
António Feleja aponta para além da grande quebra do turismo, outros factores que estão a contribuir para que exista menos trabalho para os profissionais deste sector.
“Para além da quebra do turismo, penso que as pessoas também têm medo de gastar dinheiro porque estão a ver despedimentos e lay offs. As pessoas estão reservando as suas economias”, refere Antonío Feleja, Presidente da Associação de Táxis de Ponta Delgada.

L.L

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima