Após buscas no CD Santa Clara

Rui Cordeiro vai processar criminalmente accionista da SAD

O Santa Clara já tinha confirmado que, na segunda-feira, decorriam operações de recolha de informações da equipa de investigação da Polícia Judiciária nas instalações da Santa Clara Açores, Futebol SAD, e ontem o Presidente do Clube disponibilizou-se a fornecer mais algumas informações de toda a situação.
As explicações foram dadas ontem, por Rui Cordeiro, na loja do CD Santa Clara, e segundo o mesmo, “as buscas ocorreram, não só na sede das instalações da Santa Clara Açores, Futebol SAD, mas também na antiga sede, na Rua Comandante Jaime de Sousa e tiveram por base uma denúncia criminal, daquilo que conseguimos apurar, da autoria de um accionista da Santa Clara Açores, Futebol SAD.
O âmbito das buscas teve por base o suposto favorecimento ao SL Benfica, através da compra do atleta Hamdou, tendo em vista obter ganhos desportivos nos jogos entre estas duas equipas”.
Rui Cordeiro explanou que “o contrato de cedência dos direitos desportivos cumpriu com todos os requisitos legais e, por outro lado, nas épocas desportivas 2016/2017 e 2017/2018, o Santa Clara militava na II Liga, não podendo competir em duas ligas e com isso prejudicar a verdade desportiva”.
“O Santa Clara sempre teve e sempre terá o máximo de respeito por todas as instituições do desporto em Portugal, sendo um clube acarinhado pelos demais clubes de futebol, com os quais mantém uma relação de cordialidade, assim como com a Liga Portugal e com a Federação Portuguesa de Futebol.
O Santa Clara esteve 15 anos consecutivos na II Liga, com cinco meses de ordenados em atraso, com dívidas ao Fisco, à Segurança Social, sem pagar nada a ninguém e sem credibilidade, e a lutar para não descer à III Divisão.
Hoje, o universo Santa Clara orgulha-se de apresentar contas consolidadas com o Fisco e Segurança Social, vencimentos em dia, sem passivo bancário no clube e que não promoveu, apesar das terríveis dificuldades, um único despedimento nesta fase da pandemia complicada para todos os portugueses.
No fecho de contas provisório da época 2019/2020, cuja Assembleia Geral será agendada para breve, apresentará um lucro consolidado a rondar os 900 mil Euros. Tudo isto implica trabalho, sacrifício e muita dedicação, sendo este, talvez, o melhor Santa Clara de sempre”.

Outras campanhas
“nas redes sociais e cafés”

Rui Cordeiro considera, que no decorrer daquelas que foram o teor das denúncias, “está uma campanha insidiosa levada a cabo por pessoas despejadas de carácter, que ao longo dos últimos anos, a coberto das denúncias nas redes sociais e cafés tenta denegrir e aniquilar a honra e dignidade pessoal, daqueles que tentam reerguer este clube e prestigiar os Açores”.
“Com o acto eleitoral do CD Santa Clara a seis meses de distância, verificamos, infelizmente, que começaram os jogos de bastidores na luta do vale tudo”, acrescentou.
E para que fique registado, Rui Cordeiro disse que “nunca um presidente da história do Santa Clara foi tão insultado na praça pública, desde mentiroso, escroque, aldrabão, criminoso, nazi, adúltero, trapaceiro, dissimulado, doente sem carácter, desprezível, falso, falsificador, cordeiro tosquiado que abocanha, corrupto, traficante de heroína, consumidor de cocaína”.
“Ninguém gosta de ver dignidade profissional ser assediada com buscas domiciliárias, porque somos humanos e custa ver o nosso nome ser julgado na praça pública, em lume brando sob a capa da presunção da inocência.
Enquanto estivermos cá e enquanto for o presidente desta instituição, não nos vergamos, não temos medo e desde 2015 que sabíamos que ao vínhamos: devolver o CD Santa Clara aos sócios e os Açores ao lugar que merece, no topo do futebol português. Colaboraremos de forma activa com o Ministério Público, fornecendo todos os elementos probatórios que forem necessários para o apuramento da verdade material, de forma que a justiça seja célere e eficaz”.

Os sócios decidirão

Mais disse Rui Cordeiro que “os sócios decidirão, se querem um CD Santa Clara de segunda ou uns Açores de primeira. Até lá, deixam-nos trabalhar, porque queremos um CD Santa Clara na Primeira Liga, pelo terceiro ano consecutivo, podendo finalizar o nosso mandato numa situação inédita, sem passivo”.
Rui Cordeiro mandou um recado para aqueles que costumam esconder-se atrás das denúncias anónimas: “Só sabemos responder com verdade e colaboração com a justiça”.
Sobre um possível branqueamento de capital, por via da entrada de accionistas, que tanto se falou, ressalvou que “o único branqueamento que o Santa Clara sabe fazer é com lixívia” para limpar a roupa aos jogadores.
Rui Cordeiro acrescentou no final, que vai intentar uma acção criminal contra o suposto acionista denunciante.

Marco Sousa

 

Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima