Secretário da Saúde preocupado com falta de recursos humanos e défice mensal de 3 milhões de euros no Hospital do Divino

O Secretário Regional da Saúde e Desporto visitou domingo o Hospital do Divino Espírito de Ponta Delgada e reuniu com o Conselho de Administração. 
Em declarações à imprensa no final do encontro, Clélio Meneses revelou preocupação pelo que ouviu: “O défice mensal desta unidade é de três milhões de euros e os recursos humanos são cada vez menos. Vamos ter de trabalhar muito para recuperar esta situação”.
O governante revelou que o maior hospital da Região perdeu 10 médicos e 15 enfermeiros num ano, facto revelador de outro défice: os recursos humanos. Clélio Meneses sublinha que a situação é grave e segue o colapso do sistema de saúde nos Açores, que urge evitar. “Há aqui duas questões muito graves… a suborçamentação crónica da Saúde e a falta de recursos humanos. Tudo isto se agudiza no actual cenário dominado pela pandemia”.
O governante apelou à união e à resiliência, pediu aos açorianos que assumam responsabilidades individuais, perante a gravidade da pandemia e alertou que “não pode haver divisões, nem de ordem geográfica, nem ideológica, nem de especialidades nem de profissionais de saúde, porque todos fazem parte dum sistema integrado que visa proteger o cidadão”.
O titular da Saúde, segundo refere a nota do GaCS,  esteve acompanhado nesta e em outras visitas, pelo Director Regional da Saúde, Berto Cabral e por Gustavo Tato Borges, Coordenador Regional de Saúde Pública nos Açores. Clélio Meneses reuniu igualmente com outras entidades, como a Ordem dos Médicos, o conselho de administração da Unidade de Saúde de ilha de S. Miguel e com os delegados de saúde de Ponta Delgada, assim como a Ordem dos Enfermeiros.

Ordem dos Enfermeiros destaca postura de abertura dos novos 
titulares da da Saúde nos Açores

A Ordem dos Enfermeiros manifestou-se satisfeita após primeira reunião com o novo Secretário e com o novo Director Regional da Saúde Esta reunião, que teve lugar no Solar dos Remédios em Angra do Heroísmo, foi, segundo o Presidente da Ordem, Pedro Soares, a primeira oportunidade de se identificar os desafios mais urgentes para a enfermagem na Região e de se definir prioridades para a sua resolução. Para além das apresentações e saudações formais, esta reunião acabou por ser essencialmente dedicada à identificação de soluções para os problemas mais prementes, sobretudo no que à pandemia de Covid-19 diz respeito, revestindo-se esta conversa de um carácter muito prático, com vista a alinhar esforços para implementar soluções no imediato.
Para o Presidente do Conselho Directivo Regional da Ordem dos Enfermeiros, “este foi um momento importante, que permitiu estabelecer um primeiro contacto e perceber a total disponibilidade para um trabalho sério e em parceria, numa primeira fase focado na gestão da pandemia, ficando criadas as pontes para no futuro próximo haver uma análise e resolução de alguns problemas mais estruturais que persistem na região.”
À saída do encontro, o enfermeiro Pedro Soares salientou ainda que “fica claro para o Governo o papel importantíssimo dos profissionais de saúde, nomeadamente dos Enfermeiros, e nós enquanto Ordem clarificámos algumas questões que carecem de resolução urgente, nomeadamente no que confere à reorganização de recursos humanos, à comunicação de informação e à coordenação efectiva da gestão pandémica, conforme já explanado na Visão Estratégica que desenvolvemos recentemente.”
A Ordem dos Enfermeiros destaca com satisfação a postura de proximidade e de abertura  demonstrada, bem como a garantia dada de que haverá mais momentos de contacto.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima