Ensino vai manter-se à distância devido à pandemia de Covid-19

Governo cria equipas multidisciplinares de intervenção e acompanhamento para ajudar populações de maior risco

 O Governo Regional vai criar equipas multidisciplinares de intervenção e acompanhamento das populações em localidades onde haja maior risco relativamente ao contágio pelo novo coronavírus. Equipas formadas por médicos, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais, para “apoio e orientação” aos casos positivos, contactos próximos, e ajudar nos “comportamentos adequados para estas populações”. O anúncio foi feito ontem pelo Secretário Regional da Saúde e Desporto, Clélio Meneses, que referiu que estas equipas coordenadas com a Vice-Presidência, também ajudarão no apoio ao alojamento, para quem não tiver condições para garantir o isolamento de casos positivos e contactos próximos.
Serão também realizadas testagens nesses locais onde for detectado maior risco, para evitar circulação de pessoas para realizarem o teste de confirmação da doença. Nesses locais de maior risco, foi ainda determinado pelo Governo proceder a rastreios regulares com testes de detecção rápida “em escolas, hospitais, lares, se percebermos que existe algum tipo de situação que pode levar a preocupação”.
Clélio Meneses falava em conferência de imprensa, para anunciar as novas medidas de contenção da pandemia após terem sido aprovadas em Conselho de Governo, tendo sido determinadas algumas mudanças às medidas anteriormente em vigor.

Novas medidas
Sendo que a ilha de São Miguel se mantém com alto risco de transmissão do novo coronavírus e as restantes ilhas se caracterizam como ilhas de baixo risco, é na maior ilha açoriana que as medidas mais restritas se vão manter e nas restantes ilhas até haverá um aliviar de restrições. Por exemplo, nas ilhas de baixo risco passa agora a poder haver público em espaços desportivos. Até agora tal não era permitido, mas considera o Governo que “é mais seguro determinar limites de lotação” sendo possível a ocupação de um quarto da lotação do espaço, mantendo-se também o distanciamento dos espectadores. Clélio Meneses diz que há quem assista a estes eventos desportivos “em pastagens, em carrinhas, e em aglomerados que não garantem segurança”, daí esta alteração, que garante, de certa forma, alguma segurança aos espectadores.
Quanto à ilha de São Miguel, onde se concentra 96,5% dos casos positivos de Covid-19, as restrições vão manter-se. Mas há novidades para as duas localidades que se mantém com cordão sanitário: Ponta Garça e Rabo de Peixe, que na última testagem massiva foram realizados 2.871 testes, tendo sido detectados 80 casos positivos.
Na freguesia de Ponta Garça, a cerca sanitária vai ser levantada. A testagem em massa detectou apenas 2% de positividade nos testes realizados e, por isso, vai deixar de haver restrições na circulação de e para a freguesia, embora se mantenham as proibições de circulação na via pública, encerramento dos estabelecimentos de ensino e encerramento dos estabelecimentos de bebidas e restauração.
Já em Rabo de Peixe a cerca sanitária vai prolongar-se durante mais uma semana, já que os testes rápidos realizados indicam que existe 5% de positividade na vila. Daí que se mantenham todas as restrições até agora em vigor.
Mas em toda a ilha de São Miguel passa também a haver regras mais apertadas para os funerais e velórios, embora passe a depender das autarquias locais, responsáveis pelos cemitérios, a determinação do número de pessoas naqueles espaços, para que se cumpram as distâncias de segurança, tendo em conta a realidade de cada localidade.
Mantendo-se São Miguel como ilha de alto risco de transmissão do vírus, permanece a determinação de limitações à circulação aos fins-de semana a partir das 15 horas. Mas haverá excepções no próximo Domingo, dia de eleições presidenciais, em que será permitida a circulação para além desta hora, para execício do direito de voto.
As escolas também vão manter-se em ensino à distância por mais uma semana, sendo a situação avaliada na próxima semana.
 
Situação “perfeitamente controlada”
O Secretário Regional da Saúde e Desporto explicou ontem que a situação pandémica nos Açores “está perfeitamente controlada” devido às medidas adoptadas pelo Governo e devido ao comportamento da população. Clélio Meneses referia-se à decisão do Governo da República de encerrar a escolas a partir de hoje que já tinha sido tomada na Região há 15 dias. “Quando decidimos colocar as escolas em ensino à distância houve incompreensão e muita crítica, mas percebia-se que era a forma mais adequada” de controlar a mobilidade em São Miguel.
O mesmo acerca das cercas que “são uma medida limite”, mas que foram importantes para delimitar a circulação ao verificar-se que o número de casos nas freguesias limítrofes de Rabo de Peixe, nomeadamente no Pico da Pedra, estavam a crescer. O mesmo aconteceu em Ponta Garça quando, no final de Dezembro, “começaram a surgir números preocupantes em Vila Franca do Campo mas não havia nenhum caso em Ponta Garça”, mas que em poucos dias passou a ser a localidade do concelho com mais casos positivos. “As pessoas passaram de umas localidades para as outras, o que prova a importância da cerca sanitária como última medida”, explicou o governante.
Apesar de acreditar que a situação está “perfeitamente controlada” em São Miguel, Clélio Meneses ressalvou que tudo depende sempre do comportamento dos cidadãos e que “basta haver um descuido e comportamentos que levem a suscitar sinais de preocupação” para a situação voltar a suscitar mais cuidados.
O governante alertou que nesta altura em que se celebram dias tradicionais, como o Dia de Amigos, Dia de Amigas, Dia de Compadres, Dia de Comadres e o Carnaval, “é essencial que seja preservada a saúde de cada um”. Os alertas vão no sentido de não cometer excessos, celebrando “na medida do adequado mas sempre com limites, garantindo as regras de higiene e o uso de máscaras que é essencial”. Palavras que “têm de ir para além da intenção” e têm de ser postas em prática para que não aconteçam novos surtos e cadeias de transmissão.

Capacidade dos hospitais
Uma das situações que tem suscitado preocupação nos últimos dias, principalmente com o número de casos em São Miguel, é a capacidade de resposta dos hospitais. Clélio Meneses referiu que o Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, tem capacidade para 33 doentes ventilados e para 163 não ventilados, enquanto o Hospital de Santo Espírito da ilha Terceira pode acolher 18 doentes ventilados e 56 não ventilados e o Hospital da Horta tem capacidade para 2 doentes ventilados e 12 não ventilados. O governante deixou também uma palavra de apreço ao apoio que tem sido prestado pelo Comando Operacional dos Açores, que disponibilizou 22 militares ao Serviço Regional de Saúde, disponíveis para reforçar as linhas de apoio à vigilância activa. “É um reforço muito importante para que essas linhas sejam mais eficazes e para que através deste mecanismo consigamos combater a pandemia”, explicou.
Já em relação à vacinação contra o novo coronavírus, iniciou-se ontem a segunda toma da vacina da Pfizer e já foram vacinadas na Região 5.160 pessoas. Até final de Fevereiro o Governo espera já ter vacinado a generalidade da população residente em lares de idosos das nove ilhas. A segunda tranche da vacina contra o SARS-Cov2 deve chegar aos Açores no início de Fevereiro.

                                               

Print
Autor: Carla Dias

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima