Quebra de 38,7% no número de passageiros transportados em urbanas e interurbanas na Região

O transporte de passageiros nas carreiras urbanas e interurbanas caiu no ano passado cerca de 38,7% nos Açores, em comparação com o ano anterior, revelam dados divulgados ontem pelo Serviço Regional de Estatística. As empresas de transportes terrestres da ilha de São Miguel fazem contas aos prejuízos de um ano atípico, marcado pela pandemia, com uma redução considerável na mobilidade dos açorianos.
As empresas procuraram minimizar os impactos financeiros negativos da redução do número de passageiros transportados, recorrendo-se da redução do número de carreiras, do lay-off e dos apoios governamentais, que não foram suficientes para fazer face a todos os prejuízos. E, a manterem-se, este ano, as reduções de passageiros transportados, os empresários poderão ser mesmo levados a fazer reestruturações empresariais.
Em 2019 tinham sido transportados 6,9 milhões de passageiros nas urbanas e interurbanas das nove ilhas dos Açores, caindo para 4,2 milhões de passageiros transportados em 2020, o que representa uma quebra de menos 2,6 milhões de passageiros.
Os meses de maiores quebras no transporte de passageiros por urbanas e interurbanas foram Abril e Maio. Assim, em Maio de 2019, haviam sido transportados 712.857 passageiros, passando para 124.563 passageiros em 2020, uma quebra de 82,4%.
Já no mês de Abril de 2019 haviam sido transportados 532.349 passageiros em urbanas e interurbanas, passando para 70.236 passageiros em Abril de 2020, uma quebra de 86%.
O transporte de passageiros por urbanas e interurbanas em São Miguel representa à volta de 62% do total regional. E, nesta ilha, a quebra no transporte de passageiros em 2020 foi de 38,5% em relação a 2019.
De facto, em 2019, as urbanas e interurbanas tinham transportado em São Miguel 4,2 milhões de passageiros e, em 2020, transportaram apenas 2,6 milhões de passageiros, o que representa uma quebra de 1,6 milhões de passageiros.
A quebra no número de passageiros por urbanas e interurbanas também foi significativa na ilha do Pico. Em 2019 tinham sido transportes pelas urbanas e interurbanas 237.321 passageiros e, o ano passado, apenas foram transportados pelos mesmos meios de transporte 83,871 passageiros, o que representa uma quebra de 153.450 passageiros. Nas outras ilhas da Região, a quebra no transporte de passageiros pelas urbanas e interurbanas foi menos significativo. Na ilha Terceira, por exemplo, registou-se uma quebra de 38% entre 2019 e 2020 no transporte de passageiros. Ou seja, o ano passado foram transportados nas urbanas e interurbanas da ilha 1,2 milhões de passageiros quando, no ano anterior, tinham sido transportados 1,9 milhões de passageiros. Na ilha do Faial foram transportados em 2020 pelas urbanas e interurbanas 141.134 passageiros quando, no ano anterior, haviam sido transportados 209.642 passageiros.
Na Graciosa haviam sido transportados pelas urbanas e interurbanas 80.143 passageiros em 2019, passando para 52.793 passageiros em 2020, uma quebra de 27.350 passageiros.
Na ilha de São Jorge tinham sido transportados 19.381 passageiros em 2019, passando para 24.012 passageiros em 2020, uma diminuição de 5.369 passageiros.
Nas Flores tinham sido transportados 40.290 passageiros pelas urbanas e interurbanas, passando para 35.021 passageiros, o que representa uma quebra de 5.169 passageiros.

 

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima