Um morto e um ferido grave em incêndio numa moradia na Povoação

 Pouco passava das 5 da madrugada de Quinta-feira quando os Bombeiros Voluntários da Povoação foram chamados a um incêndio numa moradia no lugar do Morro, naquela vila. De acordo com o comandante da corporação, Rúben Franco, foram accionados para este incêndio 10 elemento apoiados por três viaturas, que quando chegaram ao local ainda estava activo. Na habitação estava um homem, com cerca de 60 anos, “que estava desorientado e que retirámos da habitação”, tendo sido depois transportado para o Centro de Saúde da Povoação e posteriormente para o Hospital do Divino Espírito Santo.
Os elementos dos Bombeiros Voluntários da Povoação sabiam “da possibilidade de haver mais um elemento da família” dentro da habitação – que era habitada por um casal – mas só quando o incêndio foi extinto é que se depararam com um cadáver de uma mulher no interior da habitação. Rúben Franco reconhece que “é sempre ingrato” para os “soldados da paz” serem chamados a acudir a situações que causam vítimas mortais, ainda para mais quando o casal em questão teve três filhos que, antes de emigrarem, também foram bombeiros na Povoação.
As causas do incêndio são ainda desconhecidas, mas o mesmo não se propagou para as moradias vizinhas. A investigação do incêndio foi entregue à Polícia de Segurança Pública.
O Hospital do Divino Espírito Santo, confirma que deu entrada um ferido ligeiro, decorrente do incêndio, mas que após avaliação clínica “e dada a sua estabilidade já teve alta.”

21 incêndios rurais

Este é o segundo incêndio numa habitação, num curto espaço de tempo, a que os Bombeiros Voluntários da Povoação foram chamados a acudir no concelho.
Já ao nível dos incêndios rurais, de acordo com informação disponibilizada pela Corporação, em 2020 foram chamados a acudir a 21 incêndios desta natureza. O mês de Junho foi o que mais deu trabalho aos Bombeiros Voluntários da Povoação, tendo-se registado oito destes incêndios. Em Agosto registaram-se quatro incêndios rurais, enquanto em Março, Julho e Setembro se registaram dois destes incêndios em cada um dos meses. De acordo com os dados disponibilizados pela Corporação, em Abril, Maio e Novembro houve um incêndio em cada um dos meses. Em Janeiro, Fevereiro, Outubro e Dezembro não houve necessidade de accionar os Bombeiros da Povoação por não se registar qualquer incêndio rural.

C.D.

Print
Autor: CA

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima