18 de julho de 2021

Recados com amor...

Ricos! Já que estou com “a mão na massa” e a propósito de pombos, pombinhos e afins, tenho de dizer que a minha prima Jardelina está furiosa porque estaciona a sua viatura em casa ao ar livre numa zona arborizada como faz há anos… Só que de uns tempos a esta parte tem sido atacada diariamente por jactos de dejectos de rola brava e de pombo torcaz…  que se tornaram aves intocáveis… À medida que dejectam para cima do automóvel a pintura do popó vai ficando corroída e sem remissão que não seja repintar o dito cujo… Jardelina diz que não tem outro remédio e vai ter de mandar pintar o carro, mas vai de seguida endossar a factura do prejuízo ao Governo Regional em primeira instância que é quem devia tomar conta dos bandos que andam a voar por aí dando cabo das colheitas dos agricultores que se queixam amargamente sem que acudam à sua situação…. Depois ela vai fazer igual endosso ao PAN para ser ressarcida pelos prejuízos que tem sofrido!

Meus queridos! A gente sabe que com o “bicho” ainda à solta, todos os cuidados são poucos, mas é tempo de ir repondo também alguma normalidade e uma delas em Ponta Delgada e noutros locais da Ilha… Tenho dito e repiso que é gritante a necessidade de olhar para as instalações sanitárias públicas…. A minha prima Eufrásia esta semana já se deparou com supostos turistas a urinarem entre os contentores que ficam numa rua que separa uma unidade hoteleira de Ponta Delgada… Isto é, um residente que se desloque a Ponta Delgada ou um turista que chegue e se queira “aliviar”, seja de dia e muito mais à noite, não tem sítio onde o faça. Em termos de casas de banho públicas estamos igual ou piores do que há meio século, quando se sabe que já há alternativas, mesmo que pagas, em que se poderia investir. A gente sabe que há por aí muito vandalismo e que seria preciso equipas de vigilância, mas com tanto desemprego e em vez de apoios sem retorno, investir no trabalho seria melhor. Assim é que se vê… Qualquer canto serve para a descarga e coitado de quem todos os dias de manhã tem de levar e limpar os “presentes”…. E quando houver de novo festas e ajuntamentos, nem quero pensar no que nos espera!

Ricos! E já que estou a falar de Ponta Delgada tenho de dizer que até já me arrepia quando venho trazer os meus recadinhos ao simpatiquérrimo director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio. E não sou só eu. Diz-me a minha sobrinha-neta que nas redes sociais e para as redacções dos jornais, crescem as queixas e as fotografias do crescente número de indivíduos que ou andam a pedir, de forma insistente e malcriada, insultando quem não lhes dá dinheiro, (porque outra coisa não aceitam ou se aceitam deitam ao lixo). Há ainda os que andam caídos de vinho ou droga e fazem dos passeios, dos bancos ou da relva o seu lugar de dormir, de dia e de noite. Uma coisa é compreender a degradação em que caíram, outra é o agir, pela lei ou pelo acompanhamento para que sejam recolhidos e se tratem. Não pode valer o eterno argumento de que não se pode obrigar ninguém a cumprir regras. Se houver uma lei que diga que não podem dormir nos passeios ou no vão das portas e se houver onde os recolher, o resto pertence à autoridade… Nunca mais se ouviu falar de uma comissão mista criada em tempos idos… e que incluía vários serviços e entidades para combater e acudir a situações como a que refiro… Sabe-se que sem-abrigo há em todo o mundo, mas num meio pequeno como o nosso, saiam dos gabinetes, por favor!

Meus Queridos! Esta semana telefonou-me a minha comadre Maria da Purificação que deu o litro enquanto trabalhou na Empresa de Electricidade dos Açores depois de ter transitado da “defunta” Empresa Insular de Electricidade dizendo que depois de ter sido bem aceite a nomeação do novo Presidente da EDA, as coisas agora estão a toldar… porque está em marcha uma reestruturação interna, onde os cargos de confiança (directores e chefes de departamento) estão a ser preparados para acolher ex-elementos de governos socialistas, … que apesar de serem trabalhadores daquela casa, retornam depois de ausências de 25 anos, passando por cima dos técnicos que se mantiveram ao serviço da empresa dando o seu melhor durante estes anos e que fizeram a EDA crescer …. enquanto  agora se está talhando fatos à medida para “vestir” a regressados Secretários,  chefes de Gabinete  antigos Presidentes de Empresas Públicas e quiçá e Adjuntos  de qualquer coisa…..Maria da Purificação diz que caso se concretizem as nomeações que se afiguram, será um retrocesso muito grande que vai agudizar  o clima de revolta e consternação que neste momento se vive “dentro de portas” da empresa. Diz Maria da Purificação que Deus nos livre se isso fosse feito noutro tempo quando o PS era oposição e pintou o “diabo” com a EDA, levando até à Assembleia Regional a compra de uma cadeira feita pela primeira administração da EDA

Ricos! Quem anda numa maré alta e cheia de trabalho, agora que se aproxima um novo ano lectivo é a determinada Secretária Sofia Ribeiro que conseguiu, em poucos meses, que quase três centenas de professores contratados, alguns há mais de dez anos, passassem para o quadro. Pode não resolver todos os problemas, mas nunca se resolveu tantos de uma só vez… E logo de seguida, reduz o número de alunos por turma, em vários ciclos de ensino, o que vai proporcionar mais tranquilidade e proximidade do professor. Se o “bicho” deixar que haja ensino presencial no próximo ano lectivo, já vamos ver a diferença e o que irão os professores e encarregados de educação dos novos números para as turmas. O ensino é paralelamente com a saúde, a área mais difícil, mas com diálogo e com determinação há passos que nunca se pode parar de dar para uma melhor escola e melhores condições para professores e alunos, para não falar dos auxiliares de educação cada vez mais importantes na vida das escolas.

Meus queridos! Telefonou-me a minha prima Maria dos Flamengos, dizendo-me que estava pior que estragada, porque lhe tinham dito lá na cidade da Horta que as embarcações semi-rígidas da capitania do Porto da Horta e que serviam para missões de fiscalização e apoio no mar, foram simplesmente vandalizadas e rasgadas, de tal modo que estão inoperacionais. A minha prima viu fotografias de duas dessas lanchas rápidas e ficou horrorizada. Para além da malvadez dum acto que as polícias devem e estão a investigar com certeza, ela pergunta-se é como pode equipamento assim ficar à mercê de qualquer um, sabendo-se que neste tempo estranho que estamos a viver, cada vez é mais verdade que nada está a salvo e que como dizia o Padre António Vieira, nem Deus nos templos e sacrários está seguro… Agora na cidade dos iatistas e do mar, apenas uma lancha de socorro está a funcionar, até que “eles” queiram, porque para aquilo que a gente sabe que se passa no mar, dá muito jeito esse tipo de vandalismo. Mas que droga!

Ricos! Voltaram à baila os radares meteorológicos. Prometidos há anos, repetidamente anunciados, por ministros e secretários de Estado  e aplaudidos por cá, agora, dizem eles, é que vai ser… Mas o mais engraçado é que depois de tantos anos de promessas e esperas, agora vão voltar a estudar a localização em São Miguel e nas Flores, quando a localização em São Miguel já havia sido decidida durante o governo de Vasco Cordeiro, embora a localização na Barrosa como mandou o governo tenha sido recebida a contragosto do IPMA que pretendia usar as Sete Cidades para a dita instalação…  Vá lá  que o da Ilha de Jesus, felizmente, está montado, mas para os que falta instalar,  vão levar os estudos da nova localização até dois mil e vinte e três…. e com toda a calma e serenidade dizem que lá para 2027 os ditos cujos deverão ser inaugurados. E cá estamos embalados em mais quatro anos, com mudanças de Governo pelo meio e com o risco de tudo vir à estaca zero, assim tipo romance da bagacina da cadeia de São Miguel… E lá vamos…

Meus queridos! Já aqui nos meus recadinhos tenho falado muitas vezes no miserável estado em que estão as bermas das nossas estradas, pelo menos aqui pelos lados da ilha do Arcanjo, já que nada tenho ouvido sobre as outras. Será mesmo que o pessoal das roçadeiras da Secretaria e das Câmaras foi todo despedido? Há dias prometi que ia começar a publicar umas fotos e sei que já houve pessoas que se dispuseram a entregar fotos de várias estradas da ilha, mesmo das SCUT, onde já não há erva, mas sim matagal… Se o director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio me autorizar, a galeria fotográfica poderá começar em breve, porque nunca viu nada assim…

Ricos! A minha prima Maria do Pico disse-me esta semana que estava muito contente porque os Centros de Saúde das Lajes e de São Roque daquela bela e progressiva ilha, a partir de Setembro, e depois de uma luta de anos, com o anterior Governo, iam recomeçar a funcionar 24 horas por dia, sem interrupção, como era anteriormente. E eu soube isto no mesmo dia em que aqui na minha cidade-norte, o meu querido presidente Gaudêncio desafiava o Governo a olhar para o Centro de Saúde da Ribeira Grande que está a pedir pelas almas e já não é mais do que um posto de transferência de doentes para as urgências do Divino… Agora, como fuseira de gema que sou, também vou ficar atenta para ver quando chega a hora da minha cidade-norte que, em termos de instalações de Saúde, não tem tido sorte nenhuma… Espero que os fervores não passem depois das eleições!

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima