17 de outubro de 2021

Recados com Amor...

Meus Queridos! Esta semana levantou-se uma tempestade na Região por causa da corrida ao sorteio de 117 milhões de euros do PRR… destinado a empresas dos Açores… Para chegarem ao “cacau”… foram concebidas umas chamadas Agendas Mobilizadoras encomendadas pelo Governo Regional a uma empresa de consultadoria que foi multada pelo Banco de Portugal em três milhões de euros por causa das auditorias que tinha feito ao célebre Banco Espírito Santo… no tempo de Ricardo Salgado, e que não previram a ruína que estava já à vista… A consultora foi absolvida pelo Tribunal que trata dessas coisas comerciais e de consultadoria, mas o Banco de Portugal não se conformou com o perdão e voltou a recorrer para o Supremo Tribunal… e aguarda o resultado. Pelo que se ouve, essa operação foi muito mal concebida e agora ninguém tem culpas no cartório… aparecem como uns “anjinhos” e andam a empurrar as culpas da bernarda para a dita empresa de consultadoria, ou de “facilitação”, como a classificou o meu rico Secretário das Finanças… Ora, a empresa “facilitadora” não conhecia as empresas que tinham projectos de milhões ou de centenas de milhares de euros, prontos a entrar no “forno” da competição… e pior que isso tudo foi o secretismo como decorreu todo o processo. Eu não sou mulher de me meter nesses assados, mas por tudo quanto me chegou aos ouvidos e pelo conteúdo das ditas Agendas Mobilizadoras, ali há “gato escondido com o rabo de fora”… e para bem das empresas que estão envolvidas neste imbróglio e do próprio Governo, é preciso que haja coragem de se assumir o erro e tentar emendar o que está mal e pode dar para o torto….

Meus Queridos! No rescaldo da pandemia começa a aparecer os “podres” que ela tem deixado, começando pelos milhões de vidas que foram ceifadas e agora é o agravamento do custo de vida que apanha os produtos alimentares como as carnes, peixe, legumes e frutas, acabando no preço dos combustíveis e da electricidade que estão a subir, enquanto o preço do barril de petróleo se tem mantido nos mercados internacionais… A minha comadre Ernestina disse-me que em Portugal a gasolina super já custa quatrocentos escudos por litro em moeda antiga e dois euros na moeda nova… Mas o que ela não percebe é como é que se tem aumentado o preço dos combustíveis no rectângulo, semana sim… semana não, … enquanto os preços dos combustíveis em Espanha continuam mais baratos do que em Portugal e até compensa aos portugueses que moram perto da fronteira ir encher os depósitos dos seus popós ao país “hermano” … Diz ela que ouviu que até perto de Bragança há um posto que faz descontos especiais para portugueses, com uma promoção semanal de sete cêntimos de desconto ao preço de tabela por litro de gasóleo, às Terças e Quartas-feiras. Tudo isso sem falar nos impostos encapotados que o Governo de António Costa se prepara para lançar no orçamento para 2022, que vai desde taxas de 4 euros pelos utentes da televisão por cabo e da assinatura da Netflix …. a outras que ainda se vão descobrir… isto para além das taxas sobre bebidas açucaradas e outras… Parece o país das maravilhas contado pelo Governo e visto às avessas pelos pobres dos contribuintes…


Ricos! A minha prima Francelina contou-me que segundo os especialistas, uma cratera israelita parece-se muito com a vastidão dos desertos de Marte e por causa dessas parecenças, seis cientistas, cinco homens e uma mulher, resolveram mudar-se para a cratera Ramon no deserto sul de Israel para estudar como será viver durante um mês no planeta vermelho. Francelina diz que tem havido avanços extraordinários ao longo dos tempos na ciência e na tecnologia, mas não compreende que se gaste tanto dinheiro para explorar o espaço, enquanto cresce a miséria no planeta Terra, onde na velha Europa a população vai decrescendo… Francelina diz que os sinais dos tempos são preocupantes tal como previa o visionário, médico, astrólogo e ocultista Nostradamus…. que de acordo com a profecia para 2021… previa que  um cientista russo iria  criar uma arma biológica que seria um novo vírus que poderia  resultar na extinção da raça humana… Francelina diz que espera que não se chegue a tanto, mas que o planeta Terra está a precisar de uma lufada de ar fresco e de responsabilidade para preservar este paraíso onde habitamos e deixarem-se de certas aventuras.


Meus Queridos! Li no jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio que os estudantes de jornalismo manifestam “motivações altas e expectativas baixas” sobre o seu futuro, e dos mil e tal alunos ouvidos num inquérito, muitos têm dúvidas se vão mesmo ter emprego na profissão para a qual estudam. E não é para menos. Quando se ouve, na mesma semana, em plena Assembleia da República, o Ppresidente da RTP dizer que este ano só vão admitir 19 pessoas e nem todas são jornalistas e que para os Açores nem há pilim para admitir seja quem for, com que espírito fica quem gostaria de ser mesmo jornalista. E depois ainda com a crise geral nas empresas de comunicação e com a falta de apoios, como querem que haja emprego para os frequentadores de 38 licenciaturas e mestrados de jornalismo que há por esse país fora? Vai valendo que muitos vão conseguindo entrar de uma forma ou de outra em lugares de assessoria de comunicação, em governos, câmaras ou grandes empresas, porque se assim não fosse, a coisa ainda ia piar mais fino… Só para a ilha de São Jorge é que parece que não acham ninguém para correspondente da RTP/A. Mas também, como querem um faz-tudo, não vai ser fácil…


Ricos! Faltam apenas 8 dias para se completar um mês sobre a data das eleições autárquicas e a maior parte dos novos edis e presidentes de Junta já tomou posse, mas para alguns partidos ainda não chegou a hora de retirarem os seus cartazes e tabuletas dos cantos das ruas e das rotundas, alguns a causar incómodos a quem passa. A lei é clara e diz que a limpeza deve ser feita nos dias seguintes às eleições, mas há quem goste de ver-se por aí, por tempo indeterminado, talvez para lembrar os passantes que não votaram neles. Não sei a quem compete fiscalizar, mas fica o reparo, e já agora a talho de foice, muitos daqueles que mais defendem o ambiente e que andaram a contar os sacos de lixo durante a campanha eleitoral, são os que agora ainda não retiraram a sua publicidade eleitoral, pensando que o vento e a chuva levam e lavam tudo…


Ricos! A minha prima Maria do Pico telefonou-me esta semana para me dizer que muito tinha gostado da entrevista a dois tempos que o jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio publicou com o ex-padre, antigo deputado regional e professor Manuel Serpa, que na ilha Montanha é conhecido como o Comendador do Povo. A entrevista andou de mão em mão e mesmo nas redes sociais conseguiu multiplicar-se em partilhas e comentários, pela frontalidade nas respostas e pelo testemunho que Manuel Serpa deixou, do alto dos seus 80 anos, com a clarividência de chamar os bois pelos nomes e esconjurar aqueles que estão sempre a chorar que o Pico não tem isto e aquilo, quando para Manuel Serpa, mesmo esperando um futuro melhor, é preciso dizer que o Pico já tem um belo presente. Claro que não faltou quem por lá dissesse que não era bem assim, mas a verdade é que é preciso quem tenha equilíbrio e saiba dizer as coisas, porque realmente uma coisa é a política e outra a vida real das pessoas que tão bem soube descrever aquele picoense de gema, a quem mando um ternurento beijinho.


Meus queridos! Por todos os lados aumentam as queixas de roubos e vandalismo nos popós, durante a noite e aqui na minha cidade norte tem sido uma coisa muito séria, mesmo nos parques de estacionamento e até algumas vezes em plena luz do dia. E não há maneira de haver mais polícia nas ruas porque, coitados, nem dão para as encomendas do expediente e para as operações stop e acidentes dos popós a que são chamados, para não falar dos que têm de andar a controlar os parquímetros. Coitados dos que ficam com os prejuízos e que já nem chamam a polícia, porque sabem que não resolve nada… E depois, com a teoria de alguns juízes que só sabem mandar os suspeitos para casa, os polícias até se sentem constrangidos na hora de prender os meliantes que se desculpam sempre na droga e no álcool. Infelizmente é a sociedade que está já aí e que mete medo a muita gente. Ninguém está seguro…


Ricos! Quero mandar um ternurento beijinho aos filhos da saudosa escultora e professora Luísa Constantina, Fausto e Luís Bernardo Brito e Abreu, pela oferta que fizeram à cidade de Ponta Delgada, doando a escultura feita por sua Mãe e que agora foi colocada em local apropriado e bem escolhido no Jardim António Borges. A professora e escultora Luísa Constantina que é patrona da Escola Básica e Integrada da Rabo de Peixe, onde em 2017 também foi homenageada, tendo-se, na altura, procedido à reposição de uma das peças numa das figuras monolíticas de pedra basáltica da sua autoria e que esteve presente pela sua arte em vários países do mundo, merece este gesto de homenagem de seus filhos, que muito honram a sua memória e que Ponta Delgada não esquecerá. Prometo que quando for levar os meus recadinhos ao sinpatiquérrimo Director do jornal que tão generosamente me acolhe no seu seio, irei fazer uma visita ao novo motivo de interesse do emblemático jardim…


Meus queridos! A minha sobrinha-neta, que gosta de andar pelas redes sociais, mostrou-me esta semana várias fotografias e vídeos de muitas procissões que agora regressaram, algumas a assinalar o 13 de Outubro e já com bastante presença de devotos, a cantar e rezar, de vela na mão. Uma coisa que me tem feito espécie é o regresso da moda dos barretes eclesiásticos, os célebres barretes de três bicos que muitos padres, quase todos jovens, resolveram voltar a usar. Até há reverendos que vão nas procissões com as tridentinas batinas, sobrepelizes de richelieu, romeira e barrete… Para quem pensou que o passado não voltava, ele aí está e, curiosamente, pela mão de jovens padres… Toma que é para aprenderes, diria o saudoso Monsenhor José Gomes…

 

Print
Autor: CA

Categorias: Maria Corisca

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima