Vejam o Santa Clara jogar

Nos 4 jogos do Santa Clara registaram-se 17 golos. Uma valiosa contribuição para os 105 golos já marcados na Liga NOS desta época, dando uma média de 2,92% por jogo. Muito superior aos últimos anos. O primeiro jogo em branco aconteceu Sábado, no Belenenses-Vitória de Setúbal. Dezanove jogos terminaram com mais de 3 golos e 17 com menos de 3 golos. Com 9 golos apontados o Santa Clara apresenta um ataque forte, pela qualidade de quem tem missões ofensivas. Foram 105 ataques desenvolvidos com 38 remates. Já a defender, com 8 golos, há necessidade de melhorar. Como todos reconhecem. O facto do guarda redes Marco Pereira ser o que mais defendeu até agora revela que há permeabilidade defensiva. Mas quem joga deliberadamente no ataque, destapa a retaguarda. Marco tem 21 defesas. São 14 de situações sem perigo e 4 de situações de perigo. Com futebol a ser sinónimo de golos e tendo, até agora, a equipa que veio da 2.ª Liga como uma das referências, a recomendação é de verem, ao vivo ou pela televisão, os jogos do Santa Clara. A partida de Sábado não foi de uma qualidade técnica de espantar. Foi de uma denotada aplicação dos atletas, resultando numa luta acérrima pela posse da bola. As 41 faltas assinaladas são disso exemplo (o Santa Clara já cometeu 67 faltas), resultando em muitas paragens no jogo. Mesmo assim a partida foi intensa, emotiva, recheada de condimentos apelativos para um apoio em maior número nos jogos futuros. Para os adeptos locais há, para já, 6 mil lugares disponíveis. Os restantes 2 mil são para quem vem acompanhando ou apoia as equipas adversárias. Ainda não se atingiram os 5 mil espectadores do burgo. Rashid, que golo!!! A equipa que alinhou de início foi a mesma que empatou em Portimão. A diferença esteve no banco de suplentes. Saíram Mamadu Candé e Arroyo, substituídos por Rui Silva e por Alfredo Steffens. Este jovem do Panamá tem revelado qualidades ao ponto de ser uma opção mais segura para já. Entrou bem a render Thiago Santana, cuja saída de jogo, 10 minutos depois de ter marcado, deixou preocupações atenuadas com a vitória. A lesão no joelho parece não ser da gravidade que se supunha inicialmente, mas a ressonância magnética irá retirar as dúvidas. A paragem do campeonato por 3 semanas veio na melhor altura. Realce para as actuações de Bruno Lamas na condução para o segundo golo, de Fernando e para o golão de Rashid de livre directo, não esquecendo o sprint de quase 50 metros para marcar o 4-1 após quase 113 minutos de desgaste. O melhor em campo. Minhoca voltou a entrar. Tarde? Talvez, embora se reconheça que a forma como o jogo se desenrolava requeria mais força do que técnica. A verdade é que o açoriano com mais jogos na 1.ª Liga pós Eliseu e Armando Fontes, voltou a mexer com o jogo e a ter apontamentos de arregalar a vista. Aqueles dribles junto ao banco do Boavista valeram repetições na Sport TV. A marcha do marcador, já todos sabem, mas aqui fica: 1-0 Thiago Santana (19m), 1-1 Falcone (45+2m); 2-1 Fernando (50m), 3-1 Rashid (61m); 3-2 Talocha (65m) e 4-2 Rashid (90+7m). João Henriques: “Futebol positivo e alegre” No final do jogo de Sábado, em declarações à Sport TV, João Henriques falou sobre os 13 minutos de compensações dados pelo jovem árbitro António Nobre. As primeiras declarações centraram-se no jogo: "Este resultado é o premiar do trabalho que tem vindo a ser feito, das exibições que temos realizado. A sequência das exibições nos 4 jogos mostraram um Santa Clara com um futebol agradável, com um futebol com golos. As pessoas ficam satisfeitas por verem os jogos do Santa Clara. Temos 9 golos marcados, provando que temos sempre os olhos postos na baliza adversária. Nós vamos fazer jus a isso sempre que possível, chegando a zonas de finalização com sucesso e apresentando um futebol positivo e alegre. Somar 5 pontos nesta altura do campeonato era importante para consolidarmos o que temos vindo a fazer. Temos sido a equipa com mais tempo útil de jogo, ao contrário do que as pessoas dizem de cor. Por exemplo, na Madeira tivemos 71% de tempo útil de jogo, ao contrário do Boavista, que teve na última jornada teve 41,9%. Hoje as pessoas tiveram o prazer de ver mais 13 minutos de jogo, injustificadamente, a meu ver. Ainda bem, porque possibilitou mais um golo para o Santa Clara." Jorge Simão: “Resultado exageradíssimo” O treinador Jorge Simão achou o resultado exageradíssimo e muito difícil de digerir. "É difícil de digerir este resultado. Chegamos ao intervalo merecedores do golo que fizemos porque fomos realmente melhores do que o Santa Clara, que teve a felicidade de ter o vento a favor na 1.ª parte, o que influenciou muito o seu jogo. Na 2.ª parte o vento já não foi tão forte. Fomos mais rematadores e estivemos mais perto de fazer mais do que os golos que marcamos. Quando era natural que na 2.ª parte a tendência do jogo fosse mais favorável para nós, sofremos 2 golos em 10 minutos. Mesmo a perder por 3-1, continuamos com uma atitude muito positiva. Fizemos o 3-2, mas a partir do minuto 75 deixamos de ter o critério que vínhamos a ter no jogo. As emoções sobrepuseram-se à razão. Apesar disso é um resultado exageradíssimo. Eu próprio não me excluo desse descontrolo. Acho que a saída do Fábio Espinho acabou por ser penalizadora, porque deixamos de ligar o jogo."
Print
Autor: J.S.

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima