28 de março de 2018

Santa Luzia continua em evidência na formação

No passado fim-de-semana, o SC Santa Luzia, das Feteiras, marcou no seu histórico de 11 anos de existência mais um título nos escalões de formação na modalidade de futsal. Sagrou-se vencedor da Taça de Honra no escalão de juniores “C” (iniciados), prova organizada pela Associação de Futebol de Ponta Delgada (AFPD). Recorde-se que a equipa de juniores “C” (iniciados) do Santa Luzia foi campeã da AFPD na presente época, pelo que irá participar, em Junho, como representante dos Açores, no “play off” de apuramento à quarta e última fase da Taça Nacional do escalão. Será, também, em fase concentrada, jogando a pontos e numa só volta com o campeão da Madeira e com o melhor 3.º classificado das três séries continentais da segunda fase. Na época passada foi a equipa de juniores “B” do Santa Luzia a disputar o “play-off” de apuramento, como campeã açoriana. Teve um excelente comportamento ao ficar em 2.º lugar com a vitória, por 3-2, sobre o Marítimo da Madeira e com a derrota tangencial (8-9) com o vencedor do torneio, o Leões de Porto Salvo. Quanto à formação de iniciados do clube das Feteiras, disputou, no pavilhão da Escola Secundária da Lagoa, com a Achada FC, a final da Taça de Honra da AFPD, com a arbitragem a cargo de Nuno Ribeiro, árbitro com provas dadas tanto a nível regional como nacional. Num jogo com a incerteza do resultado para ambas as equipas, as bancadas estavam bem compostas quer por adeptos e pais dos clubes da freguesia do concelho de Nordeste e das Feteiras, cada qual a puxarem pelos atletas. Jogou-se numa toada de ataque e de contra ataque, com trocas de bola bem conseguidas fruto do trabalho do dia-a-dia e que provocaram desequilíbrios nas defesas. No decorrer do jogo os guarda-redes executaram boas defesas, evitando mais golos. Os atletas abusaram, por vezes, dos passes longos, jogando um futsal muito direto, mas com golos espetaculares e para todos os gostos. Em ambos os conjuntos denota-se já um trabalho de base que de futuro deverá dar frutos para a modalidade. Fruto da incerteza do resultado e do nervosismo próprio destas idades, o jogo, por vezes, teve aspetos mais duros mas bem sancionados pela equipa de arbitragem. Na equipa do Santa Luzia o treinador João Amaral denota um trabalho já elaborado, muita dedicação aos escalões de formação e muita liderança no processo evolutivo destes atletas e como dos outros escalões do clube. Na Achada o processo evolutivo está no bom caminho, fruto de uma boa liderança do presidente Arnaldo Sousa, dos diretores e treinadores em levarem o concelho do Nordeste por estes Açores fora com a participação na 2.ª divisão Série Açores, assunto que irei abordar mais tarde e detalhadamente num escrito de opinião. O resultado final foi favorável ao Santa Luzia por 6–3, saindo a Achada deste jogo com muita dignidade, sabendo dentro das quatro linhas perder porque o adversário foi mais forte. No final do jogo, a taça foi entregue pelo presidente adjunto da AFPD, Hélder Medeiros, ao capitão do Santa Luzia, o que provocou nos atletas vencedores uma euforia também participada pelo presidente Luís Pereira e demais dirigentes que acompanham de perto estes “miúdos”. Um aspeto a melhorar, dado que já passaram 4 anos, é o do tempo de jogo jogado. Tem de se passar dos 25 minutos de jogo+10 minutos de intervalo+25 de jogo para 30+10+30 minutos, isto a pensar na evolução dos atletas na modalidade e a pensar na selecção de sub-14, onde já se jogam 20 minutos contados ao cronómetro.
Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima