28 de março de 2018

Desp. de Rabo Peixe é o primeiro finalista

O Desportivo de Rabo Peixe recebeu e venceu, na tarde de domingo, o Vale Formoso por 2-1, numa das “meias-finais” da Taça de São Miguel. Numa tarde bonita de Primavera e perante boa moldura humana na bancada, o Desp. Rabo Peixe foi para o intervalo a vencer por 1-0, graças ao golo marcado por Valtinha, momentos antes do apito para o descanso (45’+1). O artilheiro ao serviço do Desportivo isolou-se e esperando a oportunidade, rematou rasteiro para o fundo da baliza de César. A equipa da casa foi mais objetiva e ambiciosa e perante o apoio do seu público, foi mais eficaz na finalização. Os “axadrezados” procuraram, até sofrerem o primeiro golo, esperar pela sorte e por um eventual erro da defensiva da equipa visitada, o que era raro acontecer devido à forma coesa em como este setor defendia. No 2.º período, Zé Eduardo aumentou o score (64’), num golo soberbo, a esperar a saída do guarda-redes César para fazer o chapéu com as medidas certas. Dois minutos volvidos (66’), o Vale Formoso reduz, na sequência de um pontapé de canto, com Mestre a surgir no meio para cabecear com êxito. A equipa “axadrezada” foi a primeira a criar perigo, através de um remate de Filipe Medeiros (15’), com boa intervenção de Rodrigo para canto. O Desportivo respondeu (24’) e em dois cantos consecutivos, Emanuel e Caniggia quase marcavam. Aos 40’ Valtinha coloca a bola à mercê de Zé Eduardo que a cabeceia por alto. A melhor oportunidade do jogo, surge por Berto que atira o esférico ao travessão da baliza de Rodrigo (43’). Antes (30’ e 32’), Valtinha sempre irrequieto na frente, tem duas boas oportunidades de golo, só que César intervém com boas intervenções. Mesmo no tempo de compensação (90’+3), Milton Correia podia ter levado o jogo para prolongamento, só que o remate saiu desajeitado para fora. Na 2.ª parte, a equipa da casa foi mais perigosa e justificou por isso, a passagem à final, ficando à espera do outro finalista que sairá da meia-final agendada para esta 4ª feira, onde o Benfica Águia defronta o Operário, na R. Grande, às 20h30. O árbitro Duarte Travassos cometeu alguns erros de palmatória, que em nada influencia o resultado. Uma entrada negligente de Emanuel sobre Mestre (35’), merecia ação disciplinar, para além de outros pormenores de apreciação técnica. O árbitro assistente Diogo Botelho falhou no ajuizamento de alguns foras-de-jogo arrancados na 2.ª parte aos atacantes do Desportivo de Rabo Peixe. Em jogos desta natureza, são indispensáveis assistentes com mais experiência e Diogo Botelho é um jovem aprendiz. J.L.T.
Print

Categorias: Desporto

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima