Bispo de Angra exorta clero açoriano a realizar os mesmos passos de Jesus Cristo

O bispo de Angra exortou o clero da Vigararia Nascente (São Miguel e Santa Maria) a realizar os mesmos passos de Jesus, a viver a mesma alegria e a desenvolver a mesma missão no mundo. “Hoje, no contexto da nossa Igreja diocesana e do mundo actual, somos convidados a deslocarmo-nos até ao local onde Deus nos quer vivificar com a Sua Palavra, renovar na unção sacerdotal e fortalecer na missão evangelizadora” disse D. João Lavrador na homilia da missa concelebrada na igreja Matriz de São Sebastião, em Ponta Delgada, com o clero da Vigararia Nascente (São Miguel e Santa Maria). “A força, os fundamentos, a pedagogia e a fidelidade da acção pastoral recolhem da realidade de sermos enviados por Jesus Cristo todo o seu sentido e finalidade” disse o prelado lembrando que é do exemplo de Jesus, “nas Suas Palavras, nos Seus gestos e no Seu testemunho” que advém a força “ de ser sacerdotes fiéis ao mando divino e à realidade do mundo presente”. Esta foi a primeira de um conjunto de três celebrações a que o prelado vai presidir nos próximos três dias nas ilhas de São Miguel, Pico (amanhã às 12h00 na igreja da Madalena com o clero da Vigararia do Ocidente) e na Terceira (dia 28 às 20h00 com o clero da Vigararia do Centro) e na qual convida todos os presbíteros a renovarem as suas promessas sacerdotais. A renovação destas promessas é um dos ritos presentes na Missa Crismal, onde são benzidos os santos óleos (dos doentes, dos catecúmenos e do crisma) que, por tradição, reúne à volta do bispo diocesano, durante a Semana Santa antes do inicio do tríduo pascal, todo o clero diocesano. Esta missa terá lugar na Sé de Angra, na próxima quarta feira, e por motivos de geografia e de deslocação inter-ilhas, D. João Lavrador antecipou, de certa forma, e de maneira descentralizada, outras celebrações. Esta segunda feira teve lugar a primeira celebração com o clero das ilhas de São Miguel e Santa Maria. D.João Lavrador centrou a sua reflexão naquela que é a missão essencial do presbítero e a sua “responsabilidade acrescida” como educador da fé. “Temos por obrigação estar no meio do Povo de Deus, caminhando no interior da comunidade cristã, mas como exemplo de fidelidade a Jesus Cristo e de comunhão eclesial” disse o bispo de Angra convidando os sacerdotes a desinstalarem-se e a saírem de uma certa acomodação. “Estamos perante a exigência de nos situarmos no essencial da nossa missão que nos orienta para os dinamismos da evangelização no mundo actual e para o apelo a uma renovação e actualização do mistério e da actuação pastoral que exigem de nós desinstalação, abertura interior, redobrada generosidade, anseio para melhor conhecer o mistério de Deus Revelado e da Sua Igreja através da formação permanente que deverá atingir todos os aspectos da nossa vida”, sublinhou D. João Lavrador. O prelado diocesano, que preside pelo terceiro ano às celebrações da Semana Santa na Diocese de Angra, lembrou o sentido da “caridade pastoral” e desafiou os presbíteros (perto de centena e meia em toda a diocese) a serem homens atentos ao mundo. (...) Hoje o bispo de Angra preside a uma nova celebração na Igreja da Madalena do Pico, ilha onde tem estado em visita pastoral e, na quarta feira, já precedendo o inicio do tríduo Pascal e na catedral diocesana presidirá à Missa Crismal, às 20h00, na Sé de Angra do Heroísmo.
Print

Categorias: Regional

Tags:

Theme picker

Revista Pub açorianissima